sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Um poema de Urbano Tavares Rodrigues


Primavera

A Primavera vem dançando
com os seus dedos de mistério e turquesa
Vem vestida de meio dia e vem valsando
entre os braços dum vento sem firmeza

Nu como a água o teu corpo quieto e ausente
Só este inquieto esvoaçar do teu sorriso
Loiro o rosto o olhar não sei se mente
se de tão negro e parado é um aviso
do destino que me fixa finalmente

Ai, a Primavera vai passando
com os seus dedos de mistério e de turquesa
Segue Primavera vai cantando
Que será do nosso amor nesta praia de incerteza

Urbano Tavares Rodrigues, in Horas de Vidro

Lê outro poema do escritor aqui



1 comentário:

Lília Tavares disse...

Caro Miguel, morreu Urbano...
Só à noite vou conseguir partilhar em 'Sophia'.
Gosto especialmente deste poema...
Abracinho...

Lília Tavares