sábado, 2 de julho de 2016

«A Teia de Carlota», de E. B. White e Garth Williams

Editora: Booksmile
Data de publicação: 9/05/2016
N.º de páginas: 192

Um porquinho nasceu demasiado pequeno e frágil. O senhor Avelar, o dono, queria, por essa razão, desfazer-se dele o quanto antes. Não fosse os suplícios de Flor, a sua filha mais nova, prometer que tomaria conta do recém-nascido, ele teria uma morte prematura e cruel. Assim nasce um elo de ligação de cumplicidade e amizade entre os dois. Todavia, por ser um porquinho irrequieto, o pai de Flor manda-o para a quinta do irmão, onde existe mais espaço e outros animais onde Abílio pode conviver.
Mesmo com a separação física, a rapariga não deixa de visitar o celeiro do tio, onde Abílio está instalado, porque «estar junto do porquinho deixava-a feliz». No estábulo, o porquinho conhece ovelhas, cordeiros, um casal de gansos e Tenório, o rato mais sem escrúpulos que vive na quinta. Mesmo assim, Abílio sente-se só, sem um amigo de verdade. Sem se esperar, ele faz uma amiga muito especial, não sem antes ele a julgar pelas aparências: «feroz, implacável, manhosa, cruel». Abílio atormentava-se com as dúvidas habituais que surgem com cada nova amizade, mas depressa descobriu que estava enganado acerca de Carlota, a aranha que vivia na parte mais alta da pocilga. «À medida que os dias passavam, Abílio gostava cada vez mais de Carlota»
Será esta aranha inteligente e experiente que dará conselhos sábios ao pequeno porco, como: «não te deixes levar pelas emoções», «nunca te apresses e nunca te stresses», e ensiná-lo-á palavras novas como «sedentário», «tolo», «versátil», «definhar». Mas acima de tudo, Carlota faz uma promessa a Abílio, a de que lhe salvaria a vida, pois ele nem sequer sabe o que lhe pode acontecer quando chegar o Natal. Carlota, com as suas teias e artimanhas, convence a família Zacarias e toda a população vizinha de que Abilío é um animal especial.
A pequena Flor, vai acompanhando todas estas mudanças na vida do seu amigo de quatro patas, mas ao mesmo tempo ela vai ganhando outros interesses próprios da sua idade. Esta é uma das diversas e importantes reflexões que o autor transmite neste livro, a de que nada nem ninguém é nosso para sempre; com a transitoriedade da vida tudo se transforma, tudo acalma.
Dividido em 22 capítulos, A Teia de Carlota, é um livro infantil que tem muito a oferecer aos leitores a partir dos 8 anos (idade recomendada) e aos adultos. Temas como a solidão, a amizade, o amor, a lealdade e a empatia têm realce ao longo da história. O texto de E. B. White (1899-1985), que além de escrever histórias para crianças foi um grande ensaísta, tendo ganhado o Prémio Pulitzer pelo conjunto de sua obra em 1978, lembra-nos a abrir os olhos e a mente para as maravilhas e milagres que muitas vezes se encontram nas mais simples coisas. Embora não seja a parte visual a mais importante neste livro — o texto fala por si — há que salientar as cerca de 50 ilustrações a preto e branco da autoria de Garth Williams (1862-1937).
Outra área que não pode ser descurada e mencionada nesta resenha é a tradução. A transposição de Charlotte’s Web (1952) para língua portuguesa esteve a cargo de Carla Maia de Almeida (n. 1969), escritora, formadora e tradutora na área do livro infantil (obras de Maurice Sendak, Tomi Ungerer e Munro Leaf contam-se entre as que já traduziu.)
A Booksmile já anunciou que em 2017, os livros Stuart Little e Trumpet of the Swan, outros dois clássicos de E. B. White, serão publicados.
Uma das mais recentes versões cinematográficas deste livro intemporal é datado de 2006, e conta com as vozes de Julia Roberts e Oprah Winfrey, entre outros.

«Uma teia de aranha é mais forte do que parece. Não se parte facilmente, ainda que seja feita de fios finos e delicados.»

1 comentário:

helena frontini disse...

Muito obrigada pela sugestão. Embora os meus alunos sejam mais velhos, será, certamente, uma boa obra a ler com eles.