terça-feira, 22 de agosto de 2017

«O Prodígio», de Emma Donoghue

Edição: Porto Editora
Data de publicação: Maio 2017
N.º de páginas: 328

O mais recente romance da escritora Emma Donoghue (n. 1969) posiciona o leitor na Irlanda em 1859, dez anos após este país ter sido assolado pela Grande Fome, um período negro da história da Europa que vitimou mais de um milhão de irlandeses.
Lib Wright, uma experiente enfermeira inglesa, é contratada por um comité de habitantes influentes de uma aldeia, para observar um fenómeno extraordinário: uma menina de onze anos, Anna O'Donnell, abstém-se há quatro meses de ingerir qualquer alimento… e continua viva. Esta enfermeira, treinada por Florence Nightingale durante a guerra da Crimeia, desde logo adopta uma atitude incrédula em relação à menina-prodígio, como já é conhecida pelo mundo fora.
Assim, uma autêntica vigília é escrupulosamente implementada na casa da família O'Donnell, composta por Rosaleen, a mãe, Malachy, o pai, e Kitty, a empregada e prima de Anna. Lib e uma colega repartem turnos para não deixar a menina nenhum momento sozinha. O intuito desta rigorosa observação é de pôr a descoberto quaisquer logros ou falsidades, não só desta criança que dedica desmesuradamente o seu tempo de jejum a orar, mas também da sua família e figuras próximas, como o padre e o médico local.
Com o auxílio de um jornalista, Lib tentará que a verdade venha ao de cima, mesmo que para isso também os seus segredos e desejos venham também à tona.
Será que alguém a alimenta secretamente durante o sono? Será que lucrar com as oferendas dos visitantes que visitam a casa para ver a menina-milagrosa é o objectivo desta fraude? Quem está por detrás dela: o padre, para conseguir mais atenção da Santa Sé? O médico, para ser reconhecido mundialmente? Os pais, para conseguirem sair da miséria? Ou será que Anna é mesmo um milagre vivo?
«Toda a gente detém um repositório de segredos», podemos ler na página 228 deste livro. Esta frase ilustra bem a mensagem que a irlandesa Emma Donoghue, autora do best-seller internacional O Quarto de Jack, quis passar neste seu nono romance.
O Prodígio (traduzido a partir de The Wonder por Cláudia Ramos) é um romance histórico cujo narrador cria pouca interacção com o leitor. Os capítulos longos e a primeira metade do livro ser monótona, centrada exclusivamente num foco, numa acção, faz com que a leitura não seja célere e entusiasmante.
Em todo o caso, tecnicamente o livro está bem escrito e a autora consegue trabalhar com mestria temas como o fanatismo religioso e a superstição. Mesmo sendo uma história ambígua e por vezes inverosímil, chegar as últimas páginas não cria nenhum desapontamento.
Emma Donoghue já fez saber que O Prodígio está actualmente a ser adaptado por si para ser transposto para o cinema.

1 comentário:

Mia Alex disse...

Um dos meus livros preferidos ^^

Mia Alex