quinta-feira, 19 de julho de 2018

As mais recentes publicações da Gradiva

O Banco do Tempo que Passa
Meditações Cósmicas
de Hubert Reeves
«Próximo do lago de Malicorne, em frente a um imponente salgueiro que se reflecte na água calma, há um banco de madeira: ‘o banco do tempo que passa’. Sento-me ali para tentar sentir o fino fio de tempo que nos prende ao longo da nossa existência.
Após um momento de silêncio, vêm-me ao espírito pensamentos que prolongam a minha interrogação constante sobre o mundo. A meditação sobre o mundo que simultaneamente me maravilha, me fascina e me inquieta é também uma busca da tranquilidade.
Este livro destina-se a todos os que se interrogam sobre o grande mistério da realidade na qual o nascimento nos pôs a viver durante algum tempo. Quero partilhar aqui as minhas reflexões sobre temas que me são caros. Procuro exprimir o que extraio das minhas experiências de vida e do meu ofício de astrofísico para transmitir, aos que me dão a honra de se interessarem, as minhas convicções íntimas, aquelas que desempenham um papel importante quando temos de julgar uma situação ou tomar uma determinada decisão.
Mas nada nestas páginas é definitivo. Tudo aqui é provisório e a actualizar… continuamente.»

Do mesmo autor:
Íntimas Convicções (Piaget, 1997); Onde Cresce o Perigo Surge Também a Salvação (Gradiva, 2014); Já Não Terei Tempo… - Memórias (Gradiva, 2010).


Misteriosa Chama da Rainha Loana
Romance Ilustrado
de Umberto Eco
Yambo, um abastado alfarrabista de Milão na casa dos sessenta, perdeu parte da memória após um acidente vascular cerebral – lembra-se do enredo de cada livro que leu, de cada verso, mas não se lembra do próprio nome, não reconhece as filhas nem a mulher e a infância e a família estão envoltas em névoa.
Numa tentativa de recuperação de si próprio, Yambo decide voltar à casa de campo da sua infância, onde descobre livros, álbuns de banda desenhada, revistas e discos de uma época distante. Começa aí uma viagem em busca do tempo perdido, povoada de imagens e personagens ora fictícias, ora reais, mas todas importantes para a redescoberta de si.
É assim que as suas memórias vão sendo recuperadas, e o passado vai surgindo diante dos seus olhos como uma banda desenhada.
A Misteriosa Chama da Rainha Loana é um romance profusamente ilustrado, fascinante, nostálgico, divertido e emocionante, do incomparável Umberto Eco.

Do mesmo autor:
Número Zero (Gradiva, 2015); Baudolino (Gradiva, 2016); A Ilha do Dia Antes (Gradiva, 2017); O Signo (Presença, 2017); Semiótica e Filosofia da Linguagem (Piaget, 2001); Confissões de um Jovem Escritor (Livros Horizonte, 2012)


Um Passado Imprevisível
de Ernesto Rodrigues
Regressado a Budapeste e ao convívio com um velho professor universitário, vê-se o herói em busca do passado – imprevisível. O que sabemos da vida que julgamos ter vivido, se nem sempre assistimos às consequências dos nossos actos? Conhecemos quem está ao nosso lado? Não será cada passo condicionado por outrem?
Sujeito renascendo entre dois mundos – Hungria e Moçambique –, cujas feridas saram em encontros felizes, são também os perigos de hoje (violência, arbítrio, tráfico de crianças...) crua e subtilmente desvelados, nesta terra de verdade que é a ficção.

Do mesmo autor:
Uma Bondade Perfeita (Gradiva, 2016); Passos Perdidos (Âncora, 2014); O Romance do Gramático (Gradiva, 2011); Verso e Prosa de Novecentos (Piaget, 2010).



Da Ciência ao Amor
Pelo esclarecimento espiritual
de Luís Portela
O século passado registou grande desenvolvimento nas áreas científicas e tecnológicas, possibilitando, por exemplo, um grande conhecimento do corpo humano, com um enorme aumento da esperança média de vida à nascença. Vive-se mais tempo e com muito mais conforto material. Contudo a área espiritual foi pouco estudada, verificando-se algum desequilíbrio na postura de muitas pessoas, mais focadas no mundo físico, no ter e no parecer, e menos atentas aos valores universais, ao ser, à vida espiritual.
Fazendo um ponto da situação da evolução científica em algumas áreas normalmente incluídas na fenomenologia parapsicológica, o autor defende o seu aprofundamento, para que os seres humanos se conheçam melhor, criando condições para aproveitarem todas as suas potencialidades. Nesse sentido, faz algumas reflexões na área da espiritualidade e cruza conhecimentos, admitindo que o esclarecimento espiritual poderá proporcionar um crescente respeito pelo outro, nas suas diversas formas, evoluindo até uma postura de harmonia e de amor incondicional.
Um livro de desenvolvimento pessoal para leitores que não se contentam com o materialismo das sociedades desenvolvidas e querem ir mais longe no conhecimento de si.

Do mesmo autor:
O Prazer de Ser (Gradiva, 2015); Serenamente (Gradiva, 2014); Ser Espiritual (Gradiva, 2013); Encarar a Realidade (Asa, 2007).



Hereges!
Os Assombrosos (e Perigosos) Primórdios da Filosofia Moderna
de Steven Nadler e Ben Nadler
Esta narrativa gráfica divertida e esclarecedora conta a empolgante história dos pensadores do século XVII que desafiaram a autoridade – às vezes arriscando a exclusão, a prisão e até a morte – para estabelecer as bases da filosofia e da ciência modernas e ajudar a inaugurar um novo mundo. Com diálogos magistrais e ilustrações sugestivas, Hereges! proporciona uma introdução única ao nascimento do pensamento moderno em banda desenhada – inteligente, elegante e muitas vezes divertida.
Os seus protagonistas são filósofos e cientistas questionadores e controversos como Galileu, Descartes, Espinosa, Locke, Leibniz e Newton, que mudaram de forma substancial a maneira como vemos o mundo, a sociedade e a nós mesmos, pondo tudo em causa, desde a ideia de que a Terra é o centro do Universo à noção de que os reis têm o direito divino de governar. Mais apegados à razão do que à fé, esses pensadores defenderam novas perspectivas, encaradas como escandalosas, sobre a natureza, a religião, a política, o conhecimento e a mente humana.
Hereges! conta a história das ideias, vidas e tempos desses pensadores de uma maneira diferente e cativante. Acompanhando por toda a Europa as viagens e exílios desses vultos, a narrativa descreve os encontros e confrontos entre si – assim como os confrontos com as autoridades religiosa e régia – relatando os momentos-chave de um dos mais brilhantes períodos da história da filosofia e da ciência modernas.



Os Anos Trump
O Mundo em Transe
de Eduardo Paz Ferreira
Trinta anos depois da queda do Muro de Berlim, o governo sueco reiniciou uma prática que havia suspendido: a publicação de um opúsculo entregue a todos os suecos e traduzido em 13 línguas, online, intitulado Se Chegar a Crise ou a Guerra, que procura ser um manual de sobrevivência. Mesmo admitindo que a Suécia não é o país em maior risco, impressiona a percepção do seu governo de que tornamos a viver num mundo perigoso, de muitas incertezas. Algumas já existiam antes da presidência Trump, mas outras são consequência dela ou foram por ela substancialmente reforçadas.
O livrinho em causa contém uma importante advertência aos cidadãos: caso ouçam a notícia de que foram dadas ordens para cessar a resistência, trata-se de fakenews (uma falsa notícia) e devem continuar a luta.
É este o aviso que aqui também assumimos: não nos renderemos.

Do mesmo autor:
Da Europa de Schuman à Não Europa de Merkel (Quetzal, 2014); Encostados à Parede (Quetzal, 2015); Por uma Sociedade Decente (Marcador, 2016).

Nuvem de Letras lança livro infantil sobre o Eléctrico 28

Eléctrico 28, escrito pelo italiano Davide Cali, ilustrado por Magali LeHuche e publicado pela Editora Nuvem de Letras. Este livro, indicado para leitores de todas as idades (a partir dos 6 anos), é um guia ilustrado (de uma ilustradora que conta com mais de cinquenta livros publicados) sobre as colinas da cidade de Lisboa. Eléctrico 28 (à venda a partir de 31 de Julho) é uma homenagem a uma das cidades mais trendy do momento.

Sinopse
O Amadeo conduz elétricos em Lisboa.
No seu magnífico Eléctrico 28 mora a felicidade e a boa disposição, todos querem subir a bordo do elétrico amarelo e juntar-se à festa.
Anda para cima, para baixo, aos ziguezagues. Um simples passeio transforma-se numa viagem cheia de surpresas e de beijinho!
E a culpa é do Amadeo
Apanha o mítico Eléctrico 28 de Lisboa com os passageiros mais apaixonados da cidade para um passeio cheio de surpresas por uma das cidades mais românticas do mundo.

«Contos de Encantar», de E. E. Cummings

Editora: Ponto de Fuga
Data de publicação: Maio de 2018
N.º de páginas: 96
O norte-americano Edward Estlin Cummings, mais conhecido como E. E. Cummings (1894-1962), foi um dos poetas mais importantes do século XX. Além de poesia, escreveu alguns ensaios e romances. Três anos após o seu desaparecimento, foram publicados pela primeira vez — o que para os seus leitores dessa altura foi uma surpresa — um quarteto de histórias infantis, que o escritor tinha escrito, na década de 1920, para a sua filha, Nancy, quando esta era criança.
O velho que perguntava “porquê” é o título do primeiro conto, que tem como protagonista um Silfo que vive na mais longínqua das estrelas. Após milhões de anos a viver tranquilamente, este simpático ser do espaço é abordado por outros vizinhos, que procuram-lhe insistentemente na sua estimada estrela, reclamando de um velho homem de barba grande, que, a partir da lua, não pára de questionar os porquês de tudo. O Silfo, que come luz e silêncio, voa até esse satélite e tenta persuadir o velho a pôr um término às suas questões infindáveis.
O segundo e terceiro contos desta colectânea que primeira vez é publicada em Portugal, são muito parecidos no que respeita ao desfecho
E ficaram a gostar sempre um do outro.
Afinal, sou uma casa cheia de sorte, quem diria!
e à lição moral, sobre a amizade e a solidão, que das histórias podemos extrair: um elefante e uma borboleta, e uma casa e um pássaro, são, respectivamente, os pares inusitados de cada um dos contos.
A quarta narrativa, A menina chamada Eu, é muito singela e de uma graciosidade ímpar, onde Cummings apresenta-nos duas meninas: a Eu e a Tu. «Quem és tu? Tu. É quem eu sou (…) Eu chamo-me Tu.»
Contos de Encantar, traduzido por Hélia Correia a partir de Fairy Tales, é um livro que vai agradar não só às crianças mas também aos adultos. São histórias encantatórias, pungentes e tocantes, pinceladas aqui e ali com poesia. A nível visual, o laranja, o azul e o preto, as únicas cores que Rachel Caiano escolheu para legendar as palavras do poeta americano, empolam a imaginação do leitor e engrandecem este objecto-livro.
Infelizmente, Nancy, a destinatária destas quatro fábulas, só ficou a saber que o seu (verdadeiro) pai era E. E. Cummings quando já tinha 26 anos.

Bertrand Editora lança 3 novos romances de intriga e suspense

Vocês não Me Conhecem, de Imran Mahmood 

Só uma coisa importa: é ele o culpado?
«Um drama jurídico original que põe o leitor no lugar do júri. Extraordinária ficção centrada nas personagens. Uma obra de mestre.» Guardian

«Espantosamente original, impressionante, escrito de forma esplêndida.» Daily Mail

«Um drama jurídico original e impressionante.» The Times

«Nunca vai conseguir adivinhar o final.» The Sun

Fica Comigo, de Lucie Whitehouse

Até onde podemos ir para proteger aqueles que amamos?
«Uma intriga elegante, personagens esplêndidas e uma reviravolta de matar.» Sunday Mirror

«Fica Comigo confirma a reputação da autora.» Daily Mail

«Esta história inteligente e cativante entra-nos na cabeça e não sai de lá. Que arrepiante.» Heat

«Um thriller psicológico cheio de tensão.» Marie Claire

A Coroa do Demónio, de James Rollins

Às vezes, para ganhar a guerra, é preciso unir forças com o inimigo
«De gelar os ossos.» Publishers Weekly

quarta-feira, 18 de julho de 2018

5 novos romances que vão invadir as livrarias nas próximas semanas

A Cadeira Preta, de Sarah Lemonnier (Oficina do Livro)
O Cobrador, de Seth C. Adams (Topseller)
Monteperdido, de Agustín Martínez (Suma de Letras)
Morrer à Sombra das Palmeiras, de Heinz Konsalik (Bertrand)
O Mapa de Sal e Estrelas, de Jennifer Zeynab Joukhadar (Saída de Emergência)

Já à venda
Não minto, não engano, sou o que sou.
Pode parecer arrogância, mas é verdade.
Sou a Beatriz e ganho a vida a escrever. Transformo facilmente uma conta bancária razoável em álcool e más decisões. Sou depressiva, analítica, estupidamente inteligente e sufoco com o compromisso. Não sou uma mulher normal, nem pretendo ser.
O meu objectivo é bem mais simples: ser feliz. Numa tentativa de autodescoberta, com uma leve pitada de masoquismo, comecei a consultar uma psicóloga. Semana após semana, fui forçada a falar sobre o Marcelo (por quem sou apaixonada), o Henrique (com quem vou para a cama) e o Paulo (o meu apoio emocional e, por vezes, físico também).
São estes os três homens que arruinaram a minha vida e a quem sou completamente devota.

30 de Julho à venda
Esta é a noite. Chegou a hora.
Quando entrei na floresta pela primeira vez, era pouco mais do que uma criança. Tinha 13 anos, acabara de me mudar para uma pequena vila no Arizona, e o único amigo que tinha era o meu cão, o Bandit.
Foi assim que conheci os meus amigos, com quem formei o Clube dos Intrusos. O Bobby Gordo, o Jim e a Tara. Eles tornaram-se os meus melhores amigos. Tivemos alguns encontros desagradáveis com miúdos mais velhos armados em vilões, e com um polícia que provavelmente não devia ser autorizado a ter armas nem a usar distintivo. Tirando isso, divertimo-nos imenso.
Foi também assim que encontrámos um carro abandonado, bem no meio da floresta, onde ninguém ia. Ninguém exceto nós. Foi aí que as coisas começaram a piorar. No banco da frente, uma fortuna em notas. No porta-bagagens, um cadáver. Parecia ser um mistério divertido para resolver.

31 de Julho à venda
Um thriller psicológico absorvente e de ritmo cinematográfico.
Ana e Lucía, duas amigas de onze anos de uma pequena aldeia dos Pirenéus, abandonam a escola e vão para suas casas. Mas nunca chegam ao seu destino. Cinco anos mais tarde entre os despojos de um acidente de carro, num desfiladeiro próximo a Monteperdido, aparecem o corpo de um homem e uma adolescente gravemente ferida e desorientada. É Ana, uma das meninas que desapareceu há muito tempo. Enquanto toda a aldeia tenta assimilar o rumo dos acontecimentos, o caso é reaberto.

3 de Agosto à venda
Quando uma garrafa com uma mensagem surge numa praia alemã, todos julgam que só pode tratar-se de uma brincadeira. A mensagem, escrita por um tal Werner Bäcker, diz que, após uma violenta tempestade, ele sobreviveu numa ilha perdida do Pacífico. E precisa de ajuda.
Mas a história de Werner está longe de ser uma brincadeira. Perdeu a mulher e os três filhos num mar enraivecido e, embora a princípio apenas desejasse a morte, a vontade de viver prevaleceu. Agarrando-se à vida com todas as fibras do seu corpo e tendo como única companhia um albatroz, Werner aprende a viver sozinho e a amar a sua ilha.
O destino reserva-lhe contudo mais surpresas. Quando toda a esperança de regressar ao mundo dos homens desaparece do seu coração, eis que surgem sobreviventes de um naufrágio, um outro homem e uma mulher.
Os seus novos companheiros trazem para a ilha segredos desconcertantes. Conseguirá Werner lidar com os sentimentos que se geram e que mudarão uma vez mais, a sua vida para sempre?


10 de Agosto à venda
Duas raparigas separadas por oito séculos. A mesma história de dor, triunfo e coragem.
Primeiro Nour perdeu o pai. Depois, a casa onde sempre viveu. Reside agora na cidade de Homs, na Síria, para onde a mãe se mudou para ficar mais perto da família. Mas quando um ataque quase as mata, elas são obrigadas a escolher: ficar e arriscar a vida todos os dias, ou fugir novamente. Infelizmente, até a fuga tem os seus perigos e apenas as memórias de sua casa dão esperança a Nour para continuar a caminhar.
Oitocentos anos antes, a jovem Rawiya sabe que tem de fazer alguma coisa para ajudar a sua mãe viúva. Ansiosa por ver o mundo, disfarça se de rapaz e torna-se aprendiz de um cartógrafo a quem foi atribuída a tarefa de criar um mapa do mundo. Rawiya embarca numa viagem épica onde encontra monstros míticos e figuras históricas reais.
Abraçando as ricas culturas do Médio Oriente e do Norte de África, O Mapa de Sal e Estrelas segue a jornada de Nour e Rawiya à medida que percorrem caminhos idênticos, enfrentando o desconhecido e apenas guiadas pelo desejo de finalmente chegarem a casa.

Novo livro de Richard Paul Evans: «Caminho Acidentado»

A Nascente, uma chancela da Editora 20|20, acaba de lançar no mercado livreiro um novo livro de Richard Paul Evans, escritor americano que já vendeu mais de 20 milhões de livros em todo o mundo, quatro dos quais adaptados ao cinema.
Em Caminho Acidentado, o autor revela uma história inesquecível sobre segundas oportunidades. Esta obra é o primeiro volume de uma nova trilogia sobre os caminhos que percorremos, as escolhas que fazemos e a possibilidade recomeçar.

Richard Paul Evans já escreveu 25 livros; entre eles já foram traduzidos para português A Arca de Natal (Saída de Emergência, 2010), O Dom (Saída de Emergência, 2011), Grace (Arcádia, 2011), A Caminhada, (Saída de Emergência, 2012) e As Quatro Portas (Nascente, 2014).

Sinopse
Nos seus dias de glória, a Route 66 era muito mais do que uma imensa estrada asfaltada a ligar Chicago a Santa Mónica. Era um caminho que os americanos percorriam, quais pioneiros, rumo a um novo mundo de oportunidades. Era o sonho americano. Charles James é a personificação desse sonho: apesar de uma infância de pobreza e sofrimento, consegue criar uma fortuna invejável graças ao retumbante sucesso profissional. Mas nem tudo é perfeito na sua vida. Charles fica abalado quando descobre que um dos seus clientes se suicidou por sua causa, ainda que indiretamente, e pelo seu modo de vida moralmente duvidoso. Começa então a questionar as suas escolhas e a colocar em causa o tipo de homem em que se tornou. Assombrado pelo próprio sucesso, apenas uma reviravolta do destino pode mudar a sua vida e dar-lhe uma segunda oportunidade. E é precisamente isso que acontece. A questão é: o que fará Charles com essa dádiva? Saberá realmente aproveitá-la?

terça-feira, 17 de julho de 2018

Filho de John Lennon escreveu um livro infantil

A Asa Editora disponibiliza hoje nas livrarias um novo livro infantil: Vamos Ajudar a Terra. Esta obra é da autoria de Julian Lennon e Bart Davis e contém ilustrações de Smiljana Coh. Julian Lennon é um cantor, compositor, produtor, fotógrafo, filantropo e músico britânico. É o filho primogénito do ex-beatle John Lennon.

«Um dia o meu pai disse-me que, quando ele falecesse, haveria uma forma de ele me demonstrar que ia ficar bem, que todos íamos ficar bem. A mensagem chegaria até mim sob a forma de uma Pena Branca. E então aconteceu-me algo espantoso! Durante uma viagem pela Austrália, recebi das mãos de uma anciã aborígene, do povo Mirning, que procurava ajuda para a sua tribo, uma pena branca. Fiquei sem fôlego! No momento em que a Pena Branca me foi oferecida, eu soube o que me estava destinado. Criei a instituição 'The White Feather Foundation', para dar voz e apoiar quem não consegue ser ouvido. Para mim, a Pena Branca sempre representou a paz e tudo o mais inerente à paz. Eu acredito que, se ensinarmos todas as crianças do mundo a conhecer e amar o nosso planeta, elas vão naturalmente querer cuidar dele. Por isso, embarquemos no Avião da Pena Branca e, juntos, poderemos ajudar a Terra, para fazer dela um sítio melhor… para todos!»
Julian Lennon

Sinopse
Embarca nesta viagem para ajudar a Terra!
Coloca-te aos comandos do Avião da Pena Branca, um avião mágico que pode levar-te até onde quiseres, e faz parte desta aventura para ajudares a Terra! Basta carregares nos botões das várias páginas e inclinares o livro nas direções indicadas.
O Avião da Pena Branca tem como missão transportar os leitores numa viagem pelo mundo fora e mostrar-lhes como podem fazer da Terra um sítio melhor para toda a Humanidade, protegendo o meio ambiente e ensinando todos a amar o nosso planeta.

«Eu sempre admirei o cantor Julian Lennon porque, devido a tudo o que ele já viu um pouco por todo o mundo, as suas melodias contêm um certo encanto infantil… assim como as suas palavras. Comprem este livro, para que as suas palavras se tornem ações.»
Bono

Acaba de ser publicado «Corpo Dela e Outras Partes», um dos livros-sensação nas feiras do livro em 2017

Foi eleito um dos melhores livros de 2017 por diversas publicações, como as seguintes: Barnes & Noble, Book Riot, Chicago Review of Books, Elle, Huffington Post, Kirkus Reviews, Los Angeles Times, New York Times, Paris Review, Publishers Weekly, Washington Post e Esquire.

Foi finalista do National Book Book Award 2017 na área de ficção. 

Venceu os seguintes prémios: Bard Fiction Prize; John Leonard Prize; Crawford Award; ABA's Indies Choice Book Awards; Shirley Jackson Award; Lambda Literary Award for Lesbian Fiction; Bisexual Book Award for Fiction.

Falo do livro Corpo Dela e Outras Partes, o romance de estreia da norte-americana Carmen Maria Machado, que em Portugal é editado pela Alfaguara.
Texto sinóptico
As mulheres reais têm corpo.
Uma mulher recusa deixar o marido tirar-lhe o misterioso laço verde que ela traz ao pescoço, é um pedaço sagrado, inviolável, de si e ninguém pode tocar-lhe. Outra mulher, isolada numa ilha enquanto uma praga aniquiladora se espalha pela Terra, lista os seus encontros sexuais ao longo da vida, tentando identificar aquele que a condenou. Há ainda uma outra epidemia que torna invisíveis algumas mulheres (sobretudo as jovens e bonitas), que depois reaparecem numa loja de vestidos num centro comercial, assombrando a empregada de balcão.
As narrativas destas páginas misturam géneros, combinam realidade e cultura popular com mito, folclore e fábula, e assim desafiam fronteiras, questionam o género como identidade, e pelo caminho contribuem para mapear a vida das mulheres, a sua força e vulnerabilidade, os seus apetites e compulsões, as suas transgressões e agressões.
Histórias terrenas e surreais, excêntricas e sensuais, alegres e cáusticas, cómicas e profundamente sérias, em que o corpo pode ser inconsequente, os humanos podem ser monstros, e a raiva pode ser erótica. O corpo dela e outras partes é uma visão simultaneamente sombria e luminosa, simples e extravagante, sobre o mundo no feminino, estendendo ao leitor um espelho ligeiramente distorcido do mundo que conhecemos e um convite a repensarmos as escolhas e relações que nos definem.

Elogios da imprensa
«Uma peça de ficção do outro mundo, coberta de lantejoulas e escamas…» New York Times

«Machado usa uma lente vívida e original para mostrar a luta das mulheres por um lugar. Surpreendente!» The New Yorker

«Um talento extraordinário que capta uma verdade vital mas até agora pouco falada sobre as mulheres.» Los Angeles Times

«Nestas páginas, carregadas de um feminismo musculado, o corpo da mulher está envolto em sexo, poder, prazer e dor. Machado cria uma alquimia feroz.» The Boston Globe

«Brilhante e inquietante… Machado está ao nível de Shirley Jackson e Margaret Atwood» Financial Times

«Simultaneamente excitantes e assustadoras, estas histórias abalam e encantam.» Chicago Tribune

«Machado esquece os tabus e trata a sexualidade das mulheres com lirismo e franqueza… Estas histórias são profundamente feministas, mas não de forma dogmática, revelando os momentos em que começamos a temer os nossos desejos e a desejar o que mais tememos.» Slate

«Uma jóia literária e um manual de escrita num só livro. É um livro sem medo, que não será esquecido.» Los Angeles Review of Books

«Machado escreve com fúria e subtileza. Um primeiro livro excepcional, original e comovente.» Kirkus Reviews

«Machado cria mundos assustadores e diferentes, que espelham o nosso mundo, conseguindo com isso desafiar e comover o leitor.» Publishers Weekly

«A escrita é lírica, a narração é directa e refrescante, e o sexo abunda. Um livro que nos leva a repensar as escolhas e relações da nossa vida.» Booklist

segunda-feira, 16 de julho de 2018

«A Viagem», de Francesca Sanna

Editora: Fábula
Data de publicação: 04-06-2018
N.º de páginas: 48
Os termos “refugiado” e “migrante” nunca foram tão usados nos meios de comunicação como nos últimos tempos. São inúmeros os livros sobre estas temáticas que têm sido publicados um pouco por todo o mundo, para informar e alertar os leitores sobre as géneses e problemáticas à escala global que estes acontecimentos podem resultar, se não forem resolvidos. Os editores e escritores para o público infantil e juvenil, são da opinião de que é preciso falar de assuntos sérios com as crianças, e portanto, este flagelo não deve passar despercebido — até porque elas, inadvertidamente, ouvem as notícias que passam na televisão.
A Viagem é o título de um novo álbum ilustrado, escrito e ilustrado pela italiana Francesca Sanna, que aborda o tema delicado de uma família refugiada. Em texto posfácio, a autora informa que entrevistou muitas pessoas de inúmeros países que passaram por esta situação dolorosa.
Eu vivo com a minha família numa cidade perto do mar. (…) no ano passado as nossas vidas mudaram para sempre (…) A guerra chegou. Todos os dias começaram a acontecer coisas horríveis.
É através da voz do filho do casal que vamos acompanhando o trilho da história, que começa com uma família constituída por quatro elementos e logo fica restringida a três: a mãe e os dois filhos.
Um dia a guerra levou o meu pai. Desde então, tudo ficou mais sombrio e a minha mãe foi ficando cada vez mais preocupada.
O lugar onde sempre viveram deixa de ser seguro e por isso despedem-se de todos os que conhecem e, «na calada da noite», dão início a uma viagem (física e emocional) muito atribulada, atravessando fronteiras (de carro, barco, a pé).
Quanto mais nos afastamos… mais deixamos para trás.
O medo, o desespero, a perda, a instabilidade, o perigo, são emoções que despoletam interiormente na mãe destas crianças. Mas, qual mãe-coragem, ela nunca transparece esses sentimentos para os filhos, ao longo da sua jornada.
A Viagem aborda de forma subtil um tema muito delicado, não esquecendo de sublinhar a dureza do mesmo. O que o texto não revela, a parte visual deste álbum encarrega-se de fazê-lo. As ilustrações ricamente detalhadas que acompanham esta história são plenas de metáforas, criam impacto e captam perfeitamente as dificuldades enfrentadas pela família que é obrigada a migrar. Há muitas sombras e manchas de cor preto nas páginas de A Viagem, mas há também cor e esperança.
Podemos interpretar este livro de duas formas: uma, vendo-o como um álbum infantil, e lendo-o e mostrando-o às crianças; outra, como uma novela gráfica, indicado para adolescentes e adultos. Seja através da primeira ou da segunda forma, este é um livro que ajudará a entender o mundo em que vivemos.

Autobiografia de Osho na primeira semana de Agosto à venda

A Pergaminho, a editora que tem levado aos leitores portugueses a maioria das obras de Osho (actualmente conta com quase 50 títulos publicados), vai publicar no início de Agosto a autobiografia do indiano Rajneesh Chandra Mohan Jain (1931-1990), o líder religioso e mestre na arte da meditação e do despertar da consciência.
Sinopse de Autobiografia de um Místico Espiritualmente Incorreto
Há mais de vinte anos que Osho abandonou a sua vida corpórea, «tão calmamente como se estivesse a partir de férias», como disse o seu médico. Este livro pretende oferecer uma contextualização histórica e biográfica de Osho e da sua obra. Quem era este homem, conhecido como «o guru do sexo», «o pai da meditação dinâmica», «o guru dos Rolls-Royce», ou, simplesmente, como «Mestre»? Ao longo destas páginas encontramos a história da sua infância e educação, da sua vida como professor catedrático de Filosofia e das suas viagens pelo mundo, a ensinar a importância da meditação, bem como uma reflexão atenta acerca do seu legado filosófico e espiritual. 
Autobiografia de um Místico Espiritualmente Incorreto é uma celebração da vida de um dos mestres espirituais mais provocantes dos nossos dias.
Na década de 1970, Osho captou a atenção de milhões de jovens ocidentais fascinados pela meditação e pela transformação pessoal; quase duas décadas após a sua morte, a influência dos seus ensinamentos não deixa de crescer, atraindo leitores em todo o mundo. 

Algumas obras de Osho que a editora já publicou:
Padres e Políticos (2017); Encontros Com Pessoas Extraordinárias (2011); Tantra - A Compreensão Suprema (2006); O Livro do Sexo (2005); Intuição (2003).

Novo tríler: «O Gene da Atlântida», de A. G. Riddle

A Lua de Papel decidiu neste Verão premiar os seus leitores com um tríler arrepiante. Trata-se de O Gene da Atlântida, o romance de estreia de A. G. Riddle, autor americano que vive na capital da Carolina do Norte. Esta livro com 536 páginas, traduzido para português por Pedro Ribeiro, deu origem à trilogia The Origin Mystery.
Sinopse
Há 70 mil anos, a erupção de um supervulcão na Indonésia quase levou a raça humana à extinção. Sobrevivemos, mas nunca ninguém percebeu como, nem porquê. Até agora. Os Immari, uma sociedade secreta de contornos maçónicos, guardam o segredo há dois mil anos. E desde então têm feito de tudo para evitar que seja revelado.
Até que, na costa da Antártida, a erosão de um iceberg revela um submarino nazi há muito desaparecido - acoplado a uma estrutura que não devia, nem podia, estar ali. a milhares de quilómetros, num laboratório em Jacarta, a brilhante investigadora Dra. Kate Warner acredita ter descoberto finalmente a cura para o autismo.
Mal sabe ela, porém, que duas das crianças que acompanha, e que revelam um comportamento invulgar, podem esconder a chave para a compreensão das origens da nossa espécie. E não imagina que as suas experiências estão a ser seguidas de muito perto pelos Immari. David Vale, um agente que há anos vigia a perigosa seita dos Immari, percebe entretanto que algo de estranho está a acontecer.
Os serviços secretos onde trabalha estão sob ataque, sucedem-se as mortes, e ele é o próximo alvo a abater. E sabe que apenas uma pessoa no mundo o pode ajudar a solucionar o enigma: a Dra. Kate Cooper. Juntos irão envolver-se numa intriga internacional, que os levará a percorrer meio mundo, dos cumes gelados do Tibete ao calor asfixiante da Indonésia, numa corrida contra o tempo, em que está em jogo a sobrevivência da raça humana.

domingo, 15 de julho de 2018

Seis novos livros infanto-juvenis que este mês são lançados

O Meu Amigo de Outro Mundo
de Ross Montgomery (ilustração da capa de David Litchfield, autor e ilustrador de O Urso e o Piano e O Gigante Secreto do Avô)

Caitlin tem 10 anos e vive com os pais numa ilha deserta onde nada acontece.
Um dia, depois de uma chuva de meteoros, ela encontra um pequeno extraterrestre perdido na praia. Apesar de lhe parecer estranho, Caitlin percebe que ele está assustado e decide tomar conta dele.
Fala-lhe sobre a amizade e a família, mostra-lhe as estrelas, ensina-o a falar e até lhe dá um nome: Perigeu. Há apenas um pequeno problema, o seu amigo Perigeu não para de crescer. E, no dia em que o mundo o descobre, a história ganha uma dimensão tal que a própria Terra fica em perigo.
Há apenas uma pessoa capaz de salvar o mundo e o Perigeu: Caitlin.

«Cheia de magia e alegria, esta história é uma das melhores aventuras dos tempos modernos.» BookTrust


A Orquestra do Bacio
de Guido Van Genechten

Apresentamos a primeira Orquestra do Bacio do mundo! Sim, isso mesmo: com sons do bacio. Então, de ouvidos bem abertos (e nariz bem fechado), desfruta este verdadeiro concerto! Desafiamos-te a tentar não te rires e convidamos-te a ir buscar o teu bacio para te juntares à festa! Do autor de Posso espreitar a tua fralda?


Escondidas
de Sam Mcbratney

«Já te escondeste? Aí vou eu!»
Brincar às escondidas na floresta pode conduzir a descobertas inesperadas... Vê com mais atenção... Que coisas consegues encontrar no meio das árvores?

Os livros de Sam McBratney estão traduzidos para mais de cinquenta países, tornando-se alguns deles em best sellers. Por exemplo, Adivinha Quanto Eu Gosto de Ti, também editado pela Caminho, vendeu mais de 40 milhões de cópias em todo o mundo.


Rosa Meira, Engenheira
de Andrea Beaty e ilustrações de David Roberts

O que para alguns é lixo, para a pequena Rosa Meira é fonte de inspiração!
Mas só quando está sozinha no sótão, à noite, é que a tímida menina se permite dar asas à imaginação. É então que constrói as mais incríveis engenhocas, como por exemplo umas calças-balão, um chapéu anti cobra ou uma geringonça voadora!
Tudo criações verdadeiramente assombrosas, que, todavia, ela não mostra a ninguém com medo de fracassar e ser alvo de troça. Até que recebe a providencial visita da sua tia-avó Rosa, que a faz perceber que não há maior fracasso do que desistirmos dos nossos projetos com medo de nos expormos.

Dos mesmos autores: Ivo Neto, Arquiteto


Que Medo!
de Barbara Frandino

É verdade que quando os pais se separam têm de dividir tudo, até mesmo o gato, e que, por isso, a mãe poderá ficar com o focinho, e o pai com a cauda? E que uma vez um menino meteu a mão no escuro e nunca mais a encontrou?
Podemos ter medo de muitas coisas diferentes: de nos perdermos, de crescer, de sermos criticados, de falhar… O medo é uma emoção normal, que deve ser respeitada, e que nos permite ficar de sobreaviso em relação aos perigos. Mas é também uma faca de dois gumes: por vezes, não conseguimos distinguir uma preocupação real de uma desnecessária.
Neste livro, vais ficar a conhecer os medos e os seus pontos fracos, porque para enfrentar o inimigo é preciso primeiro conhecê-lo e depois ter uma carta na manga para o derrotar.
Com posfácio de Stefania Andreoli, psicóloga e psicoterapeuta.


Fábulas de perder e ganhar
de Margarida Fonseca Santos, Rita Vilela, Maria Teresa Maia Gonzalez e ilustrações de Susana Monteiro

Publicado em 2011 pela Pi, uma das chancelas do Grupo Babel, este livro escrito pelas mãos de três reconhecidas autoras de livros infanto-juvenis é reeditado este mês pela Verbo.

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Novo romance de Megan Maxwell

É publicado na próxima semana Uma Flor para Outra Flor, o 4.º livro da nova série de Megan Maxwell, a popular autora de romance sensual.
'As Guerreiras Maxwell' conjuga o romance histórico com erotismo, possui personagens bem construídas e uma intensa história de amor que fará as delícias dos leitores mais românticos.

Há um tempo Zac pousou os olhos em Sandra, uma jovem de cabelo castanho que o cativou com o seu sorriso. Mas quando o pai de Sandra faleceu, os avós maternos obrigaram-na e à mãe a deixar as Highlands, e a regressar a Carlisle, um sítio onde não conseguem ser felizes, sobretudo quando os avós estão empenhados em arranjar-lhe marido.
Disposto a salvar a amada, Zac foi até Carlisle, mas ao chegar depara-se com Sandra rindo divertida com um dos ingleses. Assombrado e de coração partido, regressou às Highlands determinado a esquecê-la. Para ganhar tempo, Sandra ia afastando os pretendentes, aumentando a inimizade dos avós e por fim a culpa pela morte da avó.
Quarto volume da série de grande sucesso Guerreiras Maxwell da autoria de Megan Maxwell. Com mais de 1,7 milhões de leitores a autora é um êxito de vendas no género da literatura erótica.
Com uma componente erótica própria deste género, trata-se de uma história de amor apaixonante, com personagens fortes e dramáticas, que nos farão sonhar com os highlanders.

Passatempo: «Mafalda - Assim vai o mundo», de Quino

Passatempo a decorrer na página deste blogue no Facebook, aqui.