quinta-feira, 23 de maio de 2024

Novo livro de Joana Bértholo

Augusta B. ou as Jovens Instruídas 80 Anos Depois é o título do novo livro da escritora e dramaturga Joana Bértholo. Em 2023, no Festival Corrente D’Escritas, na Póvoa de Varzim, foi desafiada a escrever sobre a Póvoa de Agustina Bessa-Luís, do qual nasceu esta obra, do género novela, que chega às livrarias a partir do próximo dia 4.
Relembrar que a autora venceu o Prémio Literário Fundação Eça de Queiroz (2023) com a obra A História de Roma, editada em 2022, pela Caminho.

Excerto
«— Lês demasiados livros, Raquel. São só rapazes!
Aí residia o problema, serem só rapazes. Será que Augusta não percebia? Ou fazia-se desentendida?
— Sabes que mais? Devíamos fazer como a Agustina! — exclamou.
E foi aí que tudo começou. Foi nesta frase que tudo teve início, quando Raquel desafiou Augusta a seguirem o exemplo de Agustina. Os olhos de Augusta abriram-se como se ouvisse este nome pela primeira vez. A sua atenção cativa: o que fez Agustina?, foi a questão nunca formulada mas de imediato respondida. Raquel detalhou então a ousadia de um gesto que celebrava naquele ano — 2024 — oitenta anos. Tudo naquela história soava obsoleto: o veículo, os modos e o contexto. Mas talvez não o impulso, sentiram elas; talvez não o anseio, talvez não a carência, a volúpia ou a intensidade. Porventura nada do que realmente importa teria mudado.» (pp. 28-29)

Alguns outros livros de Joana Bértholo
O Meu Treinador (FFMS, 2023); Ecologia (Caminho, 2018); O Museu do Pensamento (Caminho, 2017); Diálogos para o Fim do Mundo (Caminho, 2010).

terça-feira, 21 de maio de 2024

Autor madeirense Luís Costa publica livro de contos sobre Machico

Depois das obras poéticas Ecos de Mim (2019) e Poética(Mente) (2022), o autor madeirense Luís Costa (n. 1971) apresenta o seu novo livro. Composto por 15 contos, Vale Profundo... Contos Históricos de Machico nos leva a conhecer monumentos históricos e histórias sobre gentes e costumes de Machico, cidade e concelho onde o autor nasceu e vive. Nas palavras de Luís Costa - que exerce a profissão de Técnico de B.A.D (Biblioteca, Arquivo e Documentação) e também é actor -, os machiquenses são um «povo simples e humilde, mas de uma sapiência sem igual, cuja cultura e tradições correm-lhes nas veias.»
O primeiro conto, “Nas Ondas da História”, fala-nos sobre 'A Lenda de Machim e de Ana d'Arfet', dois amantes que desembarcaram em Machico muito antes da chegada de João Gonçalves Zarco.

O livro, fruto de longa pesquisa histórica, será apresentado no próximo dia 25, às 16h00, na Feira do Livro de Machico, onde exemplares desta obra, cuja edição é de Autor, estarão à venda. Os três livros do autor podem também ser adquiridos através do seu Facebook e no Núcleo Museológico de Machico - Solar do Ribeirinho.

Do Prefácio, da autoria de Virgínia Nóia:
«O autor criou umas personagens que querem ser esclarecidas sobre a história de Machico, outras que integram a ação. Os diálogos têm uma carga dramática e enternecedora, o que torna a leitura um exercício tocante.»

«Numa linguagem simples e despretensiosa, Luís Costa discorre, com emoção, sobre situações nas quais os machiquenses não ficarão indiferentes e os restantes apreciarão a leitura. Trata-se de um livro transversal. Os contos têm laivos autobiográficos que revelam a vivência do autor em Machico.»

Os mais recentes livros lançados pela Idioteque

Eis as publicações mais recentes da Idioteque.

Mentes Tóxicas destroem homens bons, de Sofia Torgal Brás
Este livro fornece um suporte empático e estratégico para pessoas que precisam de lidar com questões na área das relações interpessoais, contribuindo para que possam deixar a toxicidade, quebrar o ciclo da dor e encontrar uma paz interior mais profunda, ao mesmo tempo que melhoram o autoconhecimento e constroem relacionamentos mais saudáveis.
A sua leitura apresenta ferramentas práticas e aplicáveis à realidade do dia a dia, muito úteis para alcançar resultados positivos e concretos, sendo ao mesmo tempo uma viagem de autodescoberta, superação e amor, onde homens e mulheres podem encontrar um abrigo seguro para as suas dores e dificuldades, libertando a sua força interior e descobrindo uma felicidade mais genuína.

Tratar o cancro por tu
, de Luísa Melo, Nuno Ribeiro e Nuno Teixeira Marcos

Agora em livro, o essencial das conferências que têm percorrido o país e que visam contribuir para a literacia em cancro e colocar os doentes no centro da discussão. Simplifica conceitos sobre diagnóstico precoce, prevenção, avanços científicos e terapias mais recentes. Junta alguns dos melhores especialistas e reflete sobre o cancro do pulmão, mama, cólon, próstata, pele, tumores pediátricos, leucemia e linfomas.

Coordenação do Prof. Doutor Manuel Sobrinho Simões
Patologista Oncológico e investigador, fundou e preside o Ipatimup - Instituto de Patologia e Imunologia Molecular da Universidade do Porto. Co-autor de cerca de 330 artigos científicos e de livros como O Cancro (FFMS, 2014) e Gene, Célula, Ciência, Homem (Verbo, 2009). Realiza anualmente 200 a 300 casos de consulta diagnóstica (tumores da tiróide, sobretudo) para instituições da Europa, Estados Unidos da América, América do Sul e África. Actualmente é professor catedrático e director do Departamento de Patologia e Oncologia da FMUP, chefe de serviço no Hospital de São João e vice-presidente do Health Cluster Portugal.

Comer para evoluir
, de André Amorim

Este livro não apresenta um tipo de alimentação adequado para desportistas, outro para empresários, outro para reverter doenças, outro mais sustentável a pensar no planeta ou ainda outro para promover uma maior longevidade. Uma abordagem holística da alimentação para o ser humano do século XXI deve ser capaz de dar resposta a todas estas questões e, simultaneamente, promover a sua evolução mental e espiritual.
Ao longo do livro, o autor destaca a profunda interconexão que existe entre o ser humano e o mundo natural que nos rodeia, sublinhando a importância de uma abordagem que transcenda os modelos alimentares do homem primitivo, para quem a sobrevivência era a principal preocupação. Para além de um regime alimentar terapêutico, o livro promove também princípios de um estilo de vida adequados aos desafios e complexidades da vida moderna.

André Amorim é autor de O Poder Transformador do Jejum, publicado em 2021 pela Idioteque.

O que pensa cada Prémio Nobel sobre o futuro da humanidade?

Poucas pessoas mudaram o mundo como os vencedores do Prémio Nobel. Prova disso são os inspiradores relatos de 9 Prémios Nobel da Química, 4 da Física, 8 da Medicina e 3 da Economia, que o neurocientista italiano Stefano Sandrone reuniu no livro Vida de Nobel. Esta obra chancelada pela Guerra & Paz Editores chega hoje às livrarias, numa tradução assinada por Carolina Mendes e Cláudia Aurélio.

A gama de temas discutidos em Vida de Nobel, o livro em que Stefano Sandrone entrevista 24 cientistas vencedores do Prémio Nobel é variadíssima.

Cada um dos intervenientes – 9 nobéis da Química, 4 nobéis da Física, 8 nobéis da Medicina e 3 nobéis da Economia – conta, nestas entrevistas intimistas, a sua história única, combinando conselhos e inspiração, desafios e descobertas, momentos eureca, mas também fracassos.
Este livro é o apelo de cientistas galardoados às próximas gerações em todo o mundo e um incentivo para que os jovens procurem o que ainda está por descobrir.

quinta-feira, 16 de maio de 2024

«Mulheres refugiadas em Portugal» entre os novos livros da Fundação

No início deste mês, a Fundação Francisco Manuel dos Santos publicou os ensaios O Sono dos Portugueses, Água em Portugal e Património Alimentar de Portugal. Agora, já no dia 22, serão lançados três novos títulos da colecção 'Retratos'.

Mulheres refugiadas em Portugal
de Francisca Gorjão Henriques
A chamada “crise dos refugiados” de 2015 transformou a realidade do acolhimento em Portugal. Mas, se o processo de inclusão social é um desafio para todos, o grupo bastante heterogéneo das mulheres migrantes enfrenta barreiras ainda mais difíceis de ultrapassar.


Eles que nos levam

de Raquel Albuquerque
Todos os dias e noites, por ruas citadinas, estradas secundárias ou caminhos de terra, milhares de motoristas de transportes públicos levam alguém até um destino. Passam anos ao volante de um autocarro ou de um elétrico, a verem as paisagens a mudar e, se forem efetivos num par de carreiras, a acompanharem passageiros ao longo de várias etapas da vida.

A morrer ou a viver?

de Sofia Teixeira
Diz-se, muitas vezes, de alguém com uma doença grave e incurável: «Está a morrer.» Todavia, essa pessoa está, ainda e sobretudo, a viver. Para que o faça com o mínimo sofrimento e o máximo apoio possíveis, existe o suporte de Cuidados Paliativos, ao qual têm acesso apenas 30% dos portugueses que dele precisam.
Colhe mais informações sobre estes livros e autores, em https://ffms.pt/pt-pt/livraria

Nova série policial da dupla sueca Lars Kepler, que tem novo pseudónimo

A Singular, uma recente chancela do Grupo Porto Editora, publica Vou Encontrar a Chave, o primeiro livro de Alex Ahndoril, o pseudónimo de uma dupla de escritores de enorme sucesso mundial: Alexander Ahndoril e Alexandra Coelho Ahndoril. Conhecidos até aqui pelo pseudónimo Lars Kepler, com o qual têm assinado os livros da série Joona Linna (como O Hipnotista e A Vidente), dão agora início a uma nova série policial, protagonizada pela investigadora privada Julia Stark.

O livro, com tradução a partir do sueco por Ivan Figueiras, chega hoje às livrarias.

terça-feira, 14 de maio de 2024

Nova edição de «Brand Sense», de um dos maiores especialistas mundiais em branding

Já está disponível novamente nas livrarias o livro Brand Sense – Os segredos sensoriais que nos levam a comprar, editado pelo Grupo BertrandCírculo. Nesta obra, traduzida para português por Rita Figueiredo, o guru do branding e marketing Martin Lindstrom revela como as empresas e os produtos mais bem sucedidos do planeta integram o tacto, o sabor, o cheiro, a visão e o som para criar marcas que os consumidores não conseguem esquecer!
Com uma abordagem inovadora e surpreendente, o autor de O Ministério do Bom Senso e Small Data, demonstra a importância da ligação multissensorial no comportamento consciente e subconsciente do consumidor. E dá exemplos que sustentam as suas teorias.

«A Kellogg´s passou anos a explorar esta ligação entre a textura e o sabor. A empresa contratou um laboratório dinamarquês especializado em criar o som preciso de um floco de cereais a estalar». O que aconteceu? No dia em que a marca lançou no mercado a sensação única de trincar os seus cereais, as suas vendas disparararam.

Elogios da imprensa
«Um livro notável que nos estimula, que nos deixa intrigados e que enriquece a nossa compreensão acerca do modo com os consumidores percecionam as marcas.» The Marketeer
«Há imensos livros que tentam destilar a essência desta magia tão especial. Brand Sense destaca-se dos restantes.» The Economist

segunda-feira, 13 de maio de 2024

Duas novidades com o selo Clube do Autor

As próximas décadas serão caracterizadas por uma onda inevitável de inovações que afetarão setores tão diversos como a biologia sintética, a inteligência artificial e a ciência da computação. Estes avanços, impulsionados por fortes incentivos estratégicos e financeiros, resolverão muitos desafios e trarão riqueza. Mas também acarretam muitas ameaças à nossa sociedade.
A Próxima Vaga, livro da autoria de Mustafa Suleyman com Michael Bhaskar é um alerta fundamental sobre os riscos associados às tecnologias em rápido desenvolvimento e o que é possível fazer para os evitar enquanto ainda há tempo.

Minúscula
é um romance revelador, com uma escrita irrepreensível, sobre o dia a dia de uma pessoa com ansiedade e, simultaneamente, uma história terna e envolvente sobre as palavras, os sonhos e o amor.

Marta Coelho é argumentista para televisão, estreou-se na escrita com A ilha das quatros estações e publicou três livros infantis. Agora, traz-nos uma história cativante, fresca e surpreendente em que aborda uma questão particularmente pertinente nos dias de hoje: como é que uma pessoa que enfrenta todos os dias o peso da ansiedade consegue escolher o melhor caminho? Como se encontra no meio das dúvidas e das indecisões? Como se perdoa pelos erros e mentiras em que, irremediavelmente, recai?

sexta-feira, 10 de maio de 2024

São lançados este mês livro de contos e a novela mais conhecida de Kafka

A 22 deste mês, a Presença, para assinalar o centenário da morte do autor, publica dois livros de Kafka: o livro de contos O Abutre e Outras Histórias (tradução a cargo de João Bouza da Costa) e a novela A Metamorfose (tradução assinada por Gabriela Fragoso), que foi originalmente publicado em 1915.

Em Kafka, em tudo o que escreveu, como tão bem notou Jorge Luis Borges, há apenas um homem; o essencial, porém, sublinha, está no argumento e no ambiente. Se tomarmos por boa a dedução de Borges, uma das melhores formas de começar a ler Kafka é mergulhar nos seus contos, e esta antologia reúne alguns dos mais fantásticos, na dupla acepção do adjectivo.

Nos doze textos que compõem O Abutre e Outras Histórias, conhecemos, estranhamos e reconhecemos muito de Kafka, muito de nós ou ambos os anteriores. Um dos maiores efeitos secundários desta leitura desemboca, por fim, numa das mais clássicas respostas a inquéritos humanos: a várias das questões levantadas, somos tentados a devolver «Não sabe/Não responde», uma réplica bem menos comezinha, não nos enganemos, do que as certezas que tendem a assolar-nos, a nós, pessoas do século XXI.


Num dia normal, um homem banal acorda. O mundo continua o mesmo, mas Gregor Samsa é outro - será? -, agora metamorfoseado num enorme e monstruoso insecto.

Relegado para um quarto, o caixeiro-viajante torna-se uma anomalia, um ser paradoxal, uma coisa estranha e insuportável para os outros. Ainda um homem - será? -, procura ajustar-se à sua nova forma e à realidade de um corpo imposto, mas ninguém - parece - o vê ou encontra, que não é dizer o mesmo.
O ostracismo, o absurdo e o inadequado encontram neste livro uma das suas imagens mais justas, enquanto vemos desfilar, por entre a tão económica e acutilante línguagem de Kafka, a grande e burocrática fila dos desesperos humanos.

«O Segredo dos Açores», a estreia literária de Pedro M. Duarte


Esta semana foi lançado O Segredo dos Açores, um livro fruto de três anos de investigação por parte do autor, Pedro M. Duarte.
Esta é uma narrativa ficcionada com muitas referências arqueológicas e históricas sobre os Açores e sobre a história de inúmeras civilizações do passado. O tema principal do livro - que tem edição de Autor - é o do mistério dos célebres maroiços açorianos da ilha do Pico, que têm um paralelo com muitas estruturas piramidais de degraus semelhantes existentes nas ilhas Canárias.

Sinopse
Uma aventura inesperada de dois amigos tropeça num perigoso segredo escondido durante séculos por uma sociedade secreta ancestral do Atlântico Norte. Tiago Rodrigues, um geólogo dos Açores encontra-se a realizar uma investigação sobre as estruturas piramidais de degraus da ilha do Pico, conhecidas como “maroiços”. A sua semelhança com construções de pedra vulcânica existentes por todas as ilhas Canárias colocava a dúvida se teriam realmente sido construídas pelos povoadores do início do século XV. Tendo chegado a um impasse na sua busca científica resolve convidar Truman Thorn, um amigo arqueólogo, investigador e explorador especializado em civilizações antigas para o ajudar a decifrar este enigma. Inesperadamente acabam por se envolver numa espiral de acontecimentos que os obriga a confrontarem-se com uma poderosa sociedade secreta atlântica secular, cuja principal missão é evitar que o maior segredo dos Açores, do Mediterrâneo e de toda a Macaronésia seja revelado fora do seu círculo restrito.

Excerto
«Pela janela do avião, Truman já conseguia ver o vulcão da ilha do Pico, envolto numa pequena névoa que o circundava, um pouco abaixo do ponto mais alto deste colosso do vulcanismo oceânico atlântico. Uma imagem que ele bem recordava da sua juventude, de quando tinha estado na ilha do Faial com a sua família no final da década de noventa, vinte e sete anos antes. Tinham sido tempos de felicidade pura na sua juventude, no seguimento de um trabalho de investigação arqueológica que o professor James Thorn, seu pai, estava então a realizar para a Universidade de Cambridge. À sua memória afluíam imagens fugazes das explorações que fizeram juntos durante sete meses a algumas das nove ilhas deste arquipélago português, situado numa localização tão especial mas relativamente remota, onde se cruzam as placas tectónicas norte-americana, africana e euro-asiática.»

O autor
Nasceu em Lisboa em 1970 e desde cedo revelou preferência pelas artes, em especial o desenho e a escrita. Como arquiteto especializou-se em Cultura Arquitetónica, o que lhe permitiu estudar muitos mistérios das civilizações antigas. E é nelas que se inspira para escrever. Durante a pandemia mergulhou na escrita criativa lançando-se como escritor independente.

segunda-feira, 6 de maio de 2024

Devir lança «Boa noite Punpun», do mangaká Inio Asano

Boa noite Punpun é um novo mangá a publicar pela Devir. É uma história dramática sobre o crescimento, que nos faz chorar e rir, que nos surpreende a cada passo da narrativa. Da autoria do japonês Inio Asano, cujas obras são conhecidas por serem realistas e abordarem o universo jovem, variando do slice of life para o horror psicológico.


Sinopse
A vida de Punpun não é fácil.
Em casa os pais discutam, os adultos que conhece são neuróticos e a rapariga de quem ele gosta acaba de se mudar.
Felizmente, uma nova aluna chega à escola. O seu nome é Aiko Tanaka, e Punpun apaixona-se perdidamente por ela. Mas, com a sua timidez, não será fácil chamar a sua atenção e ao mesmo tempo a situação em casa complica-se...

Um slice of life que acompanha o crescimento de Onodera Punpun, com o desenho pormenorizado e muito expressivo de Inio Asano.
Punpun e os membros da sua família são humanos “normais”, mas são retratados por Inio Asano na forma de pássaros, com traços muito simplificados, que quase parecem anedóticos, mas são na realidade uma forma brilhante de tratar temas como a depressão, amor, trauma, isolamento social, morte e família.

O romance de estreia do autor de «Tia Guida»

O autor de Tia Guida, actualmente na 17.ª edição, apresenta o seu romance de estreia. As Sete Carruagens sai a 22 deste mês, com o selo da Manuscrito, uma chancela do Grupo Presença.
André Fernandes, nascido em 1991, é formado em Ciências da Comunicação, é palestrante com dezenas de intervenções e presença assídua na TV. Tem cinco livros publicados na área da autobiografia e desenvolvimento pessoal. Além do grande sucesso de vendas Tia Guida, a solo, publicou 25+ A vida é uma Escola, Sobre Amor, Só não lhe chames amor e Do Luto ao Amor.


Texto de apresentação
«O despertador tocou. Desnecessariamente. René já não dormia. Quem não dorme também não desperta. Não se desperta, a não ser do sono.»

É assim que começa o arrebatador romance de estreia de André Fernandes, um livro poderoso sobre um homem devastado pelos traumas do passado e o fim recente da sua relação amorosa.
Encarcerado nas memórias de uma vida - não da que viveu, mas daquela que gostaria de ter vivido -, num dia igual a tantos outros, entra na estação de metro habitual para ir trabalhar. E, de repente, nada volta a ser como antes.

O que faria se fosse obrigado a reviver o mesmo dia vezes sem fim? Durante sete dias, René entra na mesma estação, para tomar consciência de que o dia presente é igual ao anterior. No acaso da vida, porém, quer o destino que acabe por entrar sempre numa carruagem diferente. E todas as viagens têm uma lição a ensinar a René. Até ao derradeiro final.
Uma história emocionante em que cada carruagem revela um segredo diferente para a verdadeira felicidade.

domingo, 5 de maio de 2024

Está de volta às livrarias a primeira biografia de Sophia de Mello Breyner Andresen

A biografia de Sophia de Mello Breyner Andresen (1919 - 2004), publicada pela primeira vez em 2019, no centenário do seu nascimento, regressa às livrarias quando passam 20 anos sobre a sua morte.

Sophia foi uma das mais importantes poetisas portuguesas do século XX e a primeira mulher portuguesa a receber o mais importante galardão literário da língua portuguesa, o Prémio Camões, em 1999.
A autora, a jornalista e investigadora Isabel Nery, já escreveu várias obras de não-ficção, como Tudo por uma História (2017), Os 5 Homens que Mudaram Portugal para Sempre (2022) e Cerca ao Parlamento (2023).
Sophia de Mello Breyner Andresen estará à venda a 28 de Maio, numa publicação a cargo da Dom Quixote.

sexta-feira, 3 de maio de 2024

Livros de psiquiatras sobre o sono e o burnout são publicados este mês


O Sono dos Portugueses é um dos novos ensaios da Fundação Francisco Manuel dos Santos. 
Este livro será apresentado no próximo dia 1 Junho, na Feira do Livro de Lisboa, com a presença da autora, de Gustavo Jesus, da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental, e da neurocientista Luísa Lopes.

Texto sinóptico
Sabia que, quando adormece tarde, a quantidade de sono profundo é menor e irreparável, mesmo se dormir mais de manhã? E que, se dormir mal, a dieta não resulta? Ou, ainda, que os adolescentes têm dificuldade natural em adormecerem antes das 23h e que uma criança privada das horas de sono suficientes corre sérios riscos físicos e cognitivos?
Este ensaio explica-lhe o que é o sono, como se organiza, evolui e modifica, desde os primeiros meses de vida até à velhice, e que distúrbios podem afetá-lo. Analisa o sono dos portugueses, muitas vezes pouco e insatisfatório, e identifica estratégias para melhorá-lo. O que tem em mãos é um manual do bem dormir, fonte basilar de saúde física e mental.

A autora
Sofia Gomes,
é médica especialista de Psiquiatria no Centro Hospitalar Universitário de Santo António, na Unidade Orgânica do Hospital de Magalhães Lemos, no Porto. É docente da Unidade Curricular de Psiquiatria do Mestrado Integrado em Medicina do Instituto de Ciências Biomédicas Abel Salazar da Universidade do Porto. Membro do Conselho Fiscal da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental e membro da direção da delegação norte da Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar.

Excertos
«O sono caracteriza­‐se por uma redução temporária da consciência, com diminuição da atividade motora e da resposta aos estímulos externos. Ao contrário de outros estados de inatividade, como o coma, a hibernação ou anestesia, é rapidamente reversível e regulado por mecanismos que nos fazem dormir ou estar acordados.»

«Desde o nascimento até à velhice, o sono vai evoluindo e modificando de modo a responder às necessidades do organismo, em particular do cérebro, nas diferentes fases da vida. Por sua vez, o tempo necessário de sono diário, que inclui o sono da noite e das sestas, vai diminuindo da criança até ao adulto.»

Outros livros com a mesma temática: O Meu Sono e Eu; O Sono; A Ciência do Sono; Sono Ideal; Porque dormimos?; Dormir Bem Para Viver Melhor; O Teu Mal é Sono.

Outras novidades de Maio - nas livrarias a partir do dia 7 - da FFMS: Água em Portugal e Património Alimentar de Portugal.



Maria Antónia Frasquilho dedica-se, desde 1985, ao estudo, ensino e intervenção no burnout, sendo, por isso, uma das maiores referências na área em Portugal. Burnout - Guia completo de prevenção e tratamento será publicado este mês pela Manuscrito.

Texto sinóptico
«Tira uns dias de férias que isso passa.»
«Será burnout ou estou só stressado?»
«Burnout? Isso é coisa de gente fraca.»

Sente-se exausto, irritado e derrotado pelo trabalho. Atingiu o fim da linha e desconhece a origem do problema. Afinal, adora o que faz e sempre se orgulhou de dar tudo de si em prol da empresa.
Certo, mas... consegue perceber como estes sinais são perigosos? Eles podem indiciar que está a entrar em burnout, o bicho-papão da sociedade moderna e a síndrome mais prevalente na população ativa a nível mundial - e que, muitas vezes, é o primeiro alerta para o que pode vir a ser um quadro de doença mental grave. E, não, a solução não passa «por tirar uns dias de férias».
Para desmontar a narrativa que insiste em confundir stresse e burnout, a psiquiatra Maria Antónia Frasquilho preparou este guia completo. Desde os primeiros sinais de alerta até à prevenção e tratamento, pode socorrer-se ainda dos casos clínicos e exercícios práticos para voltar a encontrar o equilíbrio necessário para uma vida saudável e feliz no trabalho.

A autora
Médica psiquiatra, Maria Antónia Frasquilho especializou-se em Psiquiatria Forense, com um pezinho em Pedagogia da Saúde, Medicina do Trabalho e Avaliação do Dano Corporal. Consultora em saúde mental no trabalho, dedica-se, desde 1985, ao estudo, ensino e intervenção no burnout. ACtualmente exerce a sua prática clínica na Alterstatus, em Algés.
É co-autora das obras 
Stress, Depressão e Suicídio e Organizações de Intervenções Preventivas.

terça-feira, 30 de abril de 2024

Novo livro de Salman Rushdie, entre as novidades da Dom Quixote

Eis 10 novas publicações que as Edições Dom Quixote vão publicar até ao final de Maio.

Manual para a Obediência

Com perspicácia e lirismo, Sarah Bernstein aborda as questões de cumplicidade e poder, desenraizamento e legado. É um romance minucioso e perturbador, uma obra-prima que confirma Bernstein como uma das mais estimulantes novas vozes da literatura em língua inglesa.

Anna Kim – de ascendência coreana a viver na Áustria – escreve um romance em torno da noção de raça, tema que ainda hoje marca as sociedades e se impõe no espaço privado, dividindo famílias ou impedindo a progressão de carreiras. De um modo inteligente e tocante, História de Uma Criança, baseado num caso verídico, fala de como olhamos para o outro e do que acreditamos ver nele.

Baseado numa história real, a partir de relatos de família e artigos de jornais, Voltar do Bosque – que evoca a prosa de Pavese – é a história de um trauma, de uma amizade improvável e da comunhão do ser humano com a natureza. Nomeado para o Prémio Strega em Itália, em 2023, é o romance de estreia de Maddalena Vaglio Tanet.


Escrito com uma simplicidade apenas aparente, A Filha Única (finalista do Prémio Booker Internacional 2023) é um romance profundo e cheio de sabedoria que nos fala de maternidade, da sua negação ou aceitação, das dúvidas, incertezas e até dos sentimentos de culpa que a rodeiam, das alegrias e angústias que a acompanham. É também um romance sobre três mulheres – Laura, Alina, Doris – e os laços – de amizade e amor – que estabelecem entre elas.
Guadalupe Nettel nasceu na Cidade do México, em 1973, e é uma das vozes mais importantes da nova geração de escritores latino-americanos.

Depois do sucesso de Pátria, este novo romance de Fernando Aramburu arrasta-nos, de uma forma muito ágil e surpreendente, para uma aventura inesperada com um desenlace magistral. Contado com um humor permanente, cáustico e veloz, e escrito com frases cuja brevidade são um autêntico virtuosismo, Filhos da Fábula é mais uma prova de que Fernando Aramburu pertence à estirpe dos grandes escritores, aqueles que nos contam histórias como mais ninguém é capaz de o fazer.


Detalhes é um romance construído à volta de quatro retratos, revelando os pequenos detalhes que, juntos, compõem uma vida. Quem é o sujeito real do retrato, a pessoa que está a ser pintada ou a pessoa que segura no pincel? Será que nos tornamos plenamente nós próprios através das nossas conexões com os outros? Pode um ente querido desaparecer de facto?
Numa prosa estimulante e provocadora, Ia Genberg levanta estas e outras questões profundas sobre a natureza das relações e a maneira como contamos as nossas histórias. O resultado é um estudo íntimo e esclarecedor sobre o que significa ser humano.

Maldade
, o novo tríler do norueguês Jørn Lier Horst.

O best-seller que inspirou a segunda temporada da série Wisting, transmitida no AMC.
Um caso arquivado ganha nova vida quando o corpo de uma jovem mulher é encontrado na floresta. Ela foi morta e desmembrada de uma forma que lembra estranhamente a assinatura do assassino em série Tom Kerr. Mas Kerr está a cumprir o seu quarto ano de prisão e não poderia ter cometido este homicídio. Em seu lugar, tudo aponta para o homem a quem a imprensa chamou o Outro – o parceiro de Kerr, que não chegou a ser encontrado.
Adrian Stiller prepara uma reconstituição na qual Kerr conduzirá a polícia aos restos mortais de uma antiga vítima. O local situa-se numa península com cerca de quinhentos hectares de florestas e terras agrícolas, e Wisting fica com a segurança a seu cargo. A sua filha Line foi destacada para documentar todo o processo. Kerr está acorrentado e algemado. A polícia tem cães e armas. Mas a reconstituição corre desastrosamente mal e, quando Kerr foge, desaparecendo na floresta, Wisting percebe que será transformado em bode expiatório.
Agora, dois cruéis assassinos estão de novo a monte e, com o relógio em contagem decrescente até ao próximo homicídio, Wisting tem de arriscar tudo para deter um mal terrível antes que este ataque de novo.

A 12 de agosto de 2022, trinta e três anos depois da fatwa contra ele decretada pelo aiatola Khomeini, assim que subiu ao palco do anfiteatro de Chautauqua, Nova Iorque, para falar sobre a importância de manter os escritores fora de perigo, Salman Rushdie foi atacado, e quase morto, por um jovem com uma faca.
Falando pela primeira vez, e com memorável pormenor, dos traumáticos acontecimentos desse dia, Salman Rushdie responde à violência com a arte e relembra-nos o poder que as palavras possuem de racionalizar o que é impensável. Ao fazê-lo, oferece-nos não só o relato pungente e profundamente pessoal da experiência – e superação – desse atentado, mas também uma revigorante meditação sobre a vida, a perda, o amor e a arte – e sobre a descoberta da força que permite a alguém voltar a erguer-se.
Faca - Meditações na Sequência de Uma Tentativa de Homicídio tem tradução de J. Teixeira de Aguilar.

Romance sensível e profundo sobre os persistentes traumas da guerra, os indestrutíveis laços familiares e a inelutabilidade do passado, O Arco-Íris é uma obra lancinante e melancólica de um dos maiores escritores japoneses.
Um romance poderoso e pungente sobre três meias-irmãs no Japão do pós-guerra. Da autoria de Yasunari Kawabata (1899-1972),
que em 1968 recebeu o Prémio Nobel de Literatura.

Coração-Castelo é um extraordinário romance, finalista do Prémio LeYa em 2023.
Japão, 1637. Com a proibição de professar o cristianismo e a imposição de avultados tributos à população, cerca de 35 000 camponeses liderados por um general-menino com reputação de fazer milagres invadiram várias fortalezas governamentais e acabaram por se refugiar na ruína do castelo de Hara. Reconstroem-no em conjunto para resistir, ao longo de vários meses, à resposta do xogum - um cerco implacável levado a cabo pelas suas tropas.
Entre os que lutam contra a tirania, encontram-se Jana e o seu filho pequeno, bem como o ronin Haru - samurai renegado e agora ao serviço do seu povo. Apesar do ódio mútuo inicialmente sentido, Haru não consegue ficar indiferente a essa mulher que carrega um mistério e sabe pegar em armas, nem ao ciúme provocado pela relação dela com o missionário Clarimundo, um dos poucos portugueses que ainda não deixaram o Japão.
Mas são forçados a lutar em conjunto e, no caos que só a guerra poderia causar, os sentimentos entre estas três personagens vão exacerbar-se. Tal como no final do cerco, não existirá redenção, só a grande busca da liberdade. e a certeza de que há vida enquanto houver amor.
De Raquel Ochoa, autora de O Vento dos Outros, A Noiva do Sultão, entre outros.

Outros livros de ficção lançados recentemente pela Dom Quixote:
Vemo-Nos em Agosto, de Gabriel García Márquez;
Hans - Son o Peso das Rodas, de Hermann Hesse.