segunda-feira, 16 de outubro de 2017

O livro que marca a estreia de Tom Hanks na Literatura

Filho de avós açoreanos, Tom Hanks, vencedor de dois Óscares, já representou muitos papéis diferentes enquanto actor, mas como escritor Papéis Diferentes é a sua primeira investida. E de grande sucesso. Aclamado pela crítica e pelo público, este livro publicado em Portugal pelas Edições IN, coloca-o esplendorosamente na categoria de nova voz da ficção contemporânea, mostrando que Tom Hanks é tão talentoso enquanto escritor como enquanto ator.

Textro sinóptico
Um romance febril e divertido entre dois melhores amigos. Um veterano da II Guerra Mundial cura as suas cicatrizes físicas e emocionais. Um ator de segunda categoria que é atirado para o estrelato e de repente encontra-se no meio de uma estreia tempestuosa. Um colunista do jornal de uma pequena cidade com perspetivas do mundo moderno bastante antiquadas. Uma mulher a adaptar-se à sua vida no novo bairro depois do divórcio. Quatro amigos que vão à Lua e voltam numa nave construída no quintal das traseiras. Um surfista adolescente que tropeça na vida secreta do próprio pai.
Estas são apenas algumas personagens e enredos que Tom Hanks cria no seu primeiro livro de ficção, uma recolha de histórias que explora com grande ternura, humor e perspicácia a condição humana e algumas das suas particularidades. Todas têm uma coisa em comum: uma máquina de escrever desempenha um papel em cada história, umas vezes menor, outras vezes fulcral. Para muitos, as máquinas de escrever representam uma perícia e beleza cada vez mais difíceis de encontrar. Hanks alcança-as facilmente.

O primeiro livro de Canek Sánchez Guevara a ser publicado em Portugal

Uma das recentes publicações da Editora Ponto de Fuga intitula-se 33 Revoluções, uma novela da autoria de Canek Sánchez Guevara. A tradução portuguesa esteve a cargo de Viriato Teles.

Sinopse
O autor levou sete anos a completar a novela 33 Revoluções. Começou a redigi-la em França, em finais de 2007, e deu-a por terminada em 2014, na Cidade do México, poucos meses antes de falecer. Trata-se do mais depurado dos textos que escreveu (novelas e contos, alguns poemas, ensaios, crónicas de viagem), a sua obra mais definitiva e a primeira publicada em Portugal.
33 Revoluções é o relato do dia-a-dia enfastiado de um burocrata numa ilha onde tudo se repete, como num disco riscado. A cidade cenário desta novela é a Havana dos anos 90 do século XX, ainda que o nome dela nunca seja referido, e o tédio, a frustração e o desencanto do protagonista pudessem acontecer em outros lugares do mundo.
Com uma escrita ritmada e seca, 33 Revoluções apresenta uma visão crua e desencantada da vida em Cuba, mas recusa o dualismo das paixões extremas em que, como escreveu Canek, «parece haver só duas opiniões em confronto, quando na verdade são muitas mais as vozes participantes, abafadas pela gritaria de ambos os lados».

O autor
Canek Sánchez Guevara, nascido em Cuba em Maio de 1974, começou a chamar a atenção do mundo, primeiro por uma questão genética: era neto do icónico guerrilheiro argentino Ernesto Che Guevara (1928-1967), que se tornou imagem de marca dos ideais românticos da revolução cubana. A essa condição, suficiente para aguçar a curiosidade, juntava-se a visão muito crítica do regime de Fidel Castro, que Canek nunca escamoteou, embora recusasse fazer disso um modo de vida. Politicamente, definia-se como «anarquista, libertário, liberal ultrarradical, democrata subterrâneo, comunista-individualista, ego-socialista. Enfim, qualquer coisa que não me seja imposta e que eu não possa impor aos demais.» Com uma infância repartida por vários países e a adolescência vivida em Cuba, Canek saiu definitivamente da ilha em 1996, um ano após a morte da mãe, Hilda Beatriz Guevara Gadea e encetou o seu próprio caminho de «vagabundo profissional, observador internacional, antropólogo urbano, filósofo de supermercado, cronista do que carece de interesse, escritor de nada em concreto». Andarilho, anarquista, músico com passagens por bandas punk e de heavy metal, Canek também morreu prematuramente (aos 40 anos, em Janeiro de 2015), deixando inédita uma obra que prometia fazer dele, por mérito próprio, uma das vozes mais estimulantes da nova literatura latino-americana.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Sveva Casati Modignani tem novo romance

Sveva Casati Modignani é um dos nomes mais reconhecidos da narrativa contemporânea italiana. O Regresso da Primavera, o seu novíssimo livro, chega às livrarias na próxima segunda-feira, numa edição a cargo da Porto Editora.
Texto sinóptico
Passamos muito tempo a perseguir sonhos que nos escapam da mão, uma felicidade que não se deixa aprisionar. E depois acontece que o melhor da vida se revela num instante, talvez na magia de um encontro inesperado. Como aquele que aconteceu entre Lorenzo e Fiamma, surpreendidos por um amor que nem mesmo eles, provavelmente, acreditavam ser ainda possível.
Lorenzo Perego, um homem fascinante e culto, é professor de Geografia Económica numa escola profissional de Milão. Poderia ter escolhido um estabelecimento de maior prestígio, mas o ensino é a sua paixão e ajudar jovens com talento numa realidade difícil e muitas vezes desoladora é um desafio que o entusiasma e enriquece.
Fiamma Morino, com pouco mais de 40 anos, é diretora editorial de uma pequena editora de sucesso que ela própria fundou. Agora que a editora está prestes a sofrer uma drástica mudança de gestão, com que Fiamma não concorda, está disposta a tudo para a defender e continuar a garantir o cuidado e o amor que desde sempre dedica aos seus autores.
Através das vivências de Fiamma e Lorenzo, conhecemos a Itália de hoje, a da crise da Escola e da Economia, mas também aquela que é feita de pessoas empreendedoras, prontas a arregaçar as mangas e decididas a não se renderem.

A estreia de Alexandra Lucas Coelho na literatura infantil

Orlando e o Rinoceronte
As Aventuras de Orlando 1
de Alexandra Lucas Coelho
Sinopse
O protagonista tem oito anos, uma carapinha ruiva e não consegue dizer os “éles”. É bom a jogar à bola mas tem medo de desenhar. Tudo começa quando recebe uma carta com um rinoceronte lá dentro. Juntos vão viajar pelo tempo e pelo espaço.

Nesta primeira aventura conhecemos também os pais de Orlando, que estão separados, Cláudia, que passa a vida a persegui-lo, e o seu amigo Tobias, que nunca jogou à bola.

Novidades: «O Bibliotecário de Paris» e edição especial de «A Bibliotecária de Auschwitz»

O Bibliotecário de Paris é o título do novo livro do escritor Mark Pryor, e na próxima semana ficará disponível nas livrarias. Este novo romance do autor de O Livreiro (Clube do Autor, 2015) é um mistério para amantes de livros e um livro para amantes de mistérios.

O diretor da Biblioteca Americana em Paris é encontrado morto numa sala trancada. A polícia conclui que o homem morreu de causas naturais, porém o responsável pela segurança da Embaixada dos EUA tem a certeza de que algo errado se passou. A sua investigação leva-o até à cena do crime cometido durante a Segunda Guerra e as suas descobertas vão surpreender tudo e todos.

Uma nova edição em capa dura de A Bibliotecária de Auschwitz, do espanhol Antonio Iturbe, é outra novidade que na próxima semana ficará à venda. Esta edição especial do livro que foi considerado pelo Diário de Notícias em 2013 como «uma das leituras mais marcantes de todo o ano», inclui uma sobrecapa em acetato transparente, a cores. É uma publicação com o selo da Editorial Planeta, editora que publicou em Setembro A Céu Aberto, outro título do autor.

Minuciosamente documentado, com base no testemunho da jovem bibliotecária checa do Bloco 31, este livro conta a história inacreditável, mas verídica, de uma jovem que arriscou a vida para manter viva a magia dos livros ao esconder dos nazis durante anos a sua pequena biblioteca, de apenas 8 volumes, no campo de extermínio de Auschwitz.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Um novo livro sobre José Sócrates e o caso judicial 'Operação Marquês'

O jornalista Fernando Esteves, depois de escrever o livro Cercado - Os dias fatais de José Socrates (2015), publica, sob o selo da Matéria-Prima Edições, A Sangue Frio - Medo. Raiva. Ataques. Traições. Este livro revela factos inéditos e declarações chocantes sobre o processo judicial mais polémico dos últimos anos em Portugal: Operação Marquês.

Segundo o texto sinóptico, A Sangue Frio - Medo. Raiva. Ataques. Traições. «é um contributo indispensável para responder à questão que mais divide a sociedade portuguesa: como é que Sócrates se tornou a face mais visível da promiscuidade entre o poder político e económico em Portugal?»

De salientar que este livro, por coincidência, é publicado numa semana em que o antigo primeiro-ministro foi formalmente acusado da prática de 31 crimes, entre os quais corrupção passiva, branqueamento de capitais, falsificação de documento e fraude fiscal qualificada.

domingo, 8 de outubro de 2017

O livro de memórias de Irvin D. Yalom

A 3 de Novembro a Editora Saída de Emergência publica Eu, Yalom - Memórias de um Psicoterapeuta, da autoria do psicoterapeuta e autor best-seller americano Irvin D. Yalom, que partilha pela primeira vez as suas memórias.
Sinopse
Irvin D. Yalom dedicou a sua carreira a investigar a vida dos seus pacientes. A ajudar outros a encontrar o caminho para fora dos labirintos da angústia, dúvida e escuridão. Agora, com mais de 85 anos, chegou o momento de olhar para dentro e focar-se em si próprio.

Nesta memória profunda e íntima, conta os seus pesadelos de infância e as lições de empatia e compaixão que não esqueceria ao longo de uma vida rica e inspiradora. Com Eu, Yalom desvendamos a figura do pensador humanista e perspicaz cujas obras foram um farol para muitos.

Esta não é simplesmente a história de um psicoterapeuta excecional; as reflexões de Yalom sobre a condição humana e o seu percurso são um convite para refletirmos também sobre a nossa origem e o significado das nossas vidas.

Em menos de um mês, dois novos romances de José Rodrigues dos Santos

O Reino do Meio, o 3.º título da Trilogia de Lótus, ficou disponível nas livrarias a 21 de Setembro. Mas José Rodrigues dos Santos está prestes a publicar um novo livro tendo como protagonista o famoso criptologista português Tomás de Noronha. Este que será o seu décimo oitavo romance intitula-se Sinal de Vida e estará à venda a partir de 19 deste mês. Segundo nota editorial da Gradiva, Sinal de Vida traz-nos José Rodrigues dos Santos, o escritor favorito dos portugueses, no apogeu das suas extraordinárias capacidades narrativas» e é «um romance empolgante que, pelo fio de uma intriga intensa e absorvente, nos interpela sobre a vida, o seu objetivo e o nosso lugar no universo.»
BOOKTRAILER
Texto sinóptico
Um observatório astronómico capta uma estranha emissão vinda do espaço na frequência dos 1,42 megahertz. Um sinal de vida. O governo americano e a ONU são imediatamente informados.

Um objeto dirige-se à Terra.

A NASA prepara com urgência uma missão espacial internacional para ir ao encontro da nave desconhecida. Tomás Noronha, o maior criptanalista do mundo, é recrutado para a equipa de astronautas.

Começa assim a mais invulgar aventura do grande herói das letras portuguesas modernas, uma história de cortar a respiração que nos leva ao coração do maior mistério do universo. Será a vida um acidente ou resultará de um desígnio? Estaremos sós ou seremos um entre milhões de mundos habitados?

A existência é um acaso ou tem um propósito?

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

«Nada», de Janne Teller

Editora: Bertrand
Data de publicação: 01/09/2017
N.º de páginas: 152

Intenso, macabro e indiscutivelmente brilhante. Assim podemos definir Nada, o primeiro livro da conceituada escritora dinamarquesa Janne Teller (n. 1964) que é publicado em Portugal. Este romance, que é tido como o livro mais controverso da autora, foi censurado na Dinamarca pouco depois de ter sido publicado.
A história é narrada pelo ponto de vista de Agnes, uma das alunas do sétimo ano de uma escola situada nos subúrbios do país que é considerado o mais feliz do mundo. Através de seus relatos vamos acompanhando o quotidiano dos seus colegas de turma, entre eles Elise, Gerda, Sofie, Kaj, Ingrid e Jan-Johan; mas tudo gira à volta de Pierre Anthon, que «saiu da escola no dia em que chegou à conclusão de que não valia a pena fazer nada, porque de qualquer forma nada tinha significado.»
Este niilista do grupo, argumenta que a vida é isenta de sentido e valor, e por isso passa os dias inteiros no cimo das ameixeiras perto da escola, questionando e tentando convencer os seus colegas a pensar do mesmo modo: «No momento em que vocês nasceram, começaram a morrer. É assim com tudo. (…) Nem sequer vale a pena existir.»
Saturados de ouvirem sempre o mesmo pregão, os jovens desenvolvem um plano para provar a Pierre que há muitas coisas com significado na vida de cada um. Da teoria, passam à prática e ao longo de várias semanas recolhem numa serração velha objectos que para cada um dos vinte adolescentes (com idades não superiores a 14 anos) tem muita importância (bicicleta, telescópio, etc.). Mas à medida que cada um começa a desafiar os outros para que faça sacrifícios cada vez mais insensatos, o que ambicionavam ser um jogo inocente, com boa finalidade, ganha proporções sinistras e mórbidas (exumações de corpos, animais sacrificados, dedos cortados, etc.).
Será que Pierre ao ver a “pilha de coisas com significado” — como lhe chamam — mudará o seu pensamento em relação ao real valor das coisas?
Neste livro, cujo principal tema é a crueldade humana, tudo é sacudido, posto radicalmente em discussão. Janne Teller, de forma acutilante, através de uma narrativa precisa e bem articulada, cria um universo tão perturbador e tenso que faz com que o leitor não consiga se desprender de Nada, obra traduzida a partir do dinamarquês por Ana Diniz.
A acção, gradualmente, vai ganhando balanço e como se de uma bola de neve se tratasse, em poucos minutos estamos a assistir ao derradeiro final desta história protagonizada por adolescentes.
Nada é o tipo de livro que foi escrito para provocar reflexão, para deixar o leitor inebriado e sem chão. Só quem se atrever a ler este pequeno livro (em páginas, leia-se) é que poderá perceber o porquê deste título ter chegado a ser proibido aquando da sua primeira publicação e depois, ter desencadeado debates controversos e acalorados em alguns dos cerca de 30 países onde já foi publicado.

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Saúde e bem-estar | 10 novos livros

Chegar Novo a Velho 
Hormonas - O Sumo da Vida
de Manuel Pinto Coelho, Rafael Santiago, Pedro Rocha e Andreia Almeida
Após o estrondoso sucesso do livro Chegar Novo a velho, Manuel Pinto Coelho aborda agora em pormenor a questão hormonal.
Estás provado que a natural e progressiva perca de hormonas é um dos principais fatores promotores do envelhecimento. Assim, a reposição do correto equilíbrio hormonal é um processo absolutamente fundamental para combater o envelhecimento, bem como uma série de problemas que se intensificam com a idade, como o stress, o peso, o cansaço, a falta de energia, a disfunção eréctil e o desejo sexual, a memória, a serenidade e até a paz interior. Este livro, escrito com base numa vasta gama de estudos científicos comprovados, coloca um ponto final no tabu sobre a questão hormonal tão arredada do ambiente médico em Portugal, explicando de forma simples e clara tudo o que importa saber sobre o tema, incluindo o fundamental esclarecimento das diferenças entre hormonas bio-idênticas, as recomendadas, e hormonas sintéticas, as não recomendadas.



Autocontrolo
de Augusto Cury
Na Sequência do Best-seller Internacional Ansiedade - Como Enfrentar o Mal do Século, em Autocontrolo, o psiquiatra e psicoterapeuta Augusto Cury revela os segredos para gerir o stresse e desenvolver o autocontrolo, essencial para uma vida emocional saudável e plena. Além disso, apresenta a diferença entre ansiedade e stresse, explicando que são ambos essenciais para a sobrevivência humana, mas que, como tudo na vida, precisam de ser doseados.

Comer, Mexer-Se, Dormir
de Tom Rath
Em Comer Mexer-se Dormir, Tom Rath apresenta-nos uma obra que melhorará a sua saúde nos anos que hão devir.
Nos mais de 20 anos em que lidou silenciosamente com uma doença grave, Tom reuniu um leque vasto de informação sobre a forma como comemos, nos mexemos e dormimos.
Mais do que um livro, Comer Mexer-se Dormir é uma nova maneira de viver.


O Efeito Cascata
de Greg Wells
Tradicionalmente, na medicina ocidental, dormir, a alimentação, o movimento e o pensamento são tratados separadamente. Simplificando, a forma de melhorar a sua saúde, ter um desempenho melhor e desencadear o seu potencial reside na combinação mágica de quatro elementos: Temos de dormir profundamente; Temos de nos mexer mais; Temos de comer melhor; Temos de pensar com clareza. Este é o Efeito Cascata.



Dormir Bem Para Viver Melhor
de W. Chris Winter
Os benefícios de uma noite bem dormida são incalculáveis. Se é daquelas pessoas que se queixam que dormem mal, precisa de compreender o que se passa e resolver os possíveis distúrbios do seu sono.
Neurologista e especialista internacional do sono, o Dr. Winter vai conduzi-lo por uma incrível viagem de autodescoberta que o ajudará a encontrar soluções específicas para o seu caso, tendo em conta as suas necessidades e modo de estar na vida.
Dormir Bem Para Viver Melhor vai fazê-lo olhar para os problemas do sono - como a insónia, a apneia ou a síndrome das pernas inquietas - de outra perspetiva, disponibilizando-lhe truques, exercícios e ilustrações que o ajudarão a ter noites sossegadas e retemperadoras.

Viagem ao Coração
de Johannes Hinrich Von Borstel
Ao longo da vida, um coração produz em média qualquer coisa como três mil milhões de batimentos e bombeia mais de 200 milhões de litros de sangue para os vários recantos do corpo humano. O nosso sistema cardiovascular – o seu desenvolvimento e as suas funções (e disfunções) – merecem toda a nossa atenção, sobretudo se aspiramos a uma vida longa. Para isso, não é preciso tornarmo-nos cardiologistas (embora eles façam falta). Basta lermos este livro. E este livro leva-nos, como o título indica, numa viagem ao coração. Ao longo das suas páginas, ficará surpreendido com uma série de revelações.



Ser Feliz no Alasca
de Rafael Santandreu
«Em que nos tornaremos depois de aplicar o que é apresentado neste livro? Nada mais nada menos que em pessoas especiais: extremamente fortes e saudáveis. Atualmente, devido às neuroses existentes, apenas 20 por cento das pessoas o são. Se trabalharmos conscientemente estes conteúdos, poderemos chegar a ser indivíduos muito centrados no presente. Em certa ocasião, ouvi dizer a seguinte frase: "Um bom monge é aquele que faz poucas coisas, mas as poucas que faz, fá-las muito bem." Quando alcançarmos a boa forma mental, o dia fluirá naturalmente, de satisfação em satisfação. Porque em toda a parte encontraremos oportunidades de fazer algo de belo e o "doce presente" será o nosso lar, independentemente dos estados mentais. Quando somos vulneráveis, fazemos a distinção entre "estar bem" e "sentir-se em baixo", porque vivemos as emoções negativas de uma forma extrema.»


Tudo de Bom para o meu Intestino
de Lene Knudsen
Tudo de Bom para o meu Intestino contém explicações simples, conselhos práticos, estudos de caso, kits de emergência baseados em curas naturais, um quiz e 90 receitas para encontrar o equilíbrio perfeito dos intestinos. Tudo isto num formato compacto e portátil, com ilustrações, esquemas e que proporciona uma leitura simples e atrativa.


Dieta Sem Glúten
de Alessio Fasano
Este livro inovador e autêntico é de valor inestimável para os recém-diagnosticados, para aqueles que já lidam com problemas relacionados com o glúten e para qualquer pessoa que ache que pode ter um problema relacionado com o glúten. «Numa época em que uma alimentação sem glúten se tornou a panaceia para o alívio dos sintomas de um grande número de problemas clínicos (gastrointesti¬nais, neurológicos e inflamatórios), é extremamente necessária uma informação assente em factos, tanto para o público como para o médico, para que se possa decidir adequadamente quando é que essa substância deve ser retirada da dieta. Este livro, escrito por um dos especialistas mundiais em glúten e doença celíaca, fornece as provas objetivas adequadas para tomarmos essa decisão.» Dr. W. Allan Walker, diretor da Divisão de Nutrição da Escola Médica de Harvard.

Receitas Saudáveis
de Moulinex
Receitas saudáveis para o robot Companion, feitas em colaboração com a autora Maria João Clavel do blogue de culinária www.clavelscook.com, e fundadora da escola de culinária Clavel’s Kitchen, que se tornou numa agência de culinária. Este livro permite confecionar receitas saudáveis, oferecendo também a oportunidade de preparar receitas originais para partilhar com família e amigos em momentos especiais.

Kazuo Ishiguro vence Prémio Nobel da Literatura 2017

O Nobel da Literatura de 2017 foi atribuído ao escritor inglês Kazuo Ishiguro por ter revelado o abismo da nossa ilusória sensação de conforto em relação ao mundo, anunciou esta manhã a Academia Sueca.
Nascido em Nagasáqui, Japão, em 1954, Kazuo Ishiguro vive na Grã-Bretanha desde os cinco anos de idade. É descrito pelo New York Times como «um génio extraordinário e original».
A obra do escritor é publicada em Portugal na íntegra pela Gradiva (alguns títulos encontram-se esgotados, à data).

Livros publicados: O Gigante Enterrado, Quando Éramos Órfãos, Nocturnos, As Colinas de Nagasaki, Nunca Me Deixes, Os Inconsolados, Os Despojos Do Dia.

Novo romance de Isabel Allende é uma das próximas novidades editoriais

O Escritor Fantasma, de Philip Roth (já à venda), Não Digas Nada, de Brad Parks (dia 10 deste mês à venda) e o novo romance de de Isabel Allende intitulado Para lá do inverno (na primeira semana de Novembro ficará disponível nas livrarias), são algumas das novidades editoriais. Em seguida, os textos de apresentação respectivos.
Primeiro volume da «trilogia e epílogo» Zuckerman Bound, O Escritor Fantasma é um romance sobre as tensões entre a literatura e a vida, a autenticidade artística e a respeitabilidade convencional - e sobre os profissionais que vivem com as consequências de sacrificar uma à outra.
O Escritor Fantasma marca o aparecimento de Nathan Zuckerman na década de 1950: um romancista promissor, fascinado pelos Grandes Livros, que descobre os apelos contraditórios da literatura e da experiência durante uma noite que passa na recôndita casa de campo do seu ídolo literário, E. I. Lonoff. Aí conhece Amy Bellette, uma jovem fascinante, de origem estrangeira indefinida, que descobre ter sido aluna de Lonoff e talvez tenha sido também sua amante. Zuckerman, com a sua imaginação jovem e irrequieta, pergunta a si mesmo se aquela rapariga não será a vítima paradigmática da perseguição nazi. Se fosse, talvez pudesse transformar-lhe a vida...

Um romance intenso que explora o lado mais obscuro do Mal, pondo a nu as fragilidades da natureza humana perante a ameaça da perda mais dolorosa.

«Alarmantemente plausível e consistentemente admirável.»
Sunday Times

Isabel Allende parte da célebre frase de Albert Camus para nos apresentar um conjunto de personagens próprios da América contemporânea que se encontram «no mais profundo inverno das suas vidas»: uma mulher chilena, uma jovem imigrante ilegal guatemalteca e um cauteloso professor universitário.
Os três sobrevivem a uma terrível tempestade de neve que se abate sobre Nova Iorque e acabam por perceber que para lá do inverno há espaço para o amor e para o verão invencível que a vida nos oferece quando menos se espera.
Para lá do inverno é um dos romances mais pessoais da autora: uma obra absolutamente atual que aborda a realidade da migração e a identidade da América de hoje através de personagens que encontram a esperança no amor e nas segundas oportunidades.

«A Autobiografia de Alice B. Toklas» finalmente é publicada - e em dose dupla - em Portugal

Não é algo muito usual no panorama editorial, mas acontece. Duas editoras portuguesas apostaram publicar A Autobiografia de Alice B. Toklas, da escritora americana Gertrude Stein (1874–1946). A Editora Ponto de Fuga fez este livro chegar às livrarias em Setembro, numa tradução que esteve a cargo de Nuno Quintas. Portanto, a primeira edição em português desta obra, a mais célebre — e lida — da escritora e poeta Gertrude Stein, é da Ponto de Fuga, que publicará também, a 13 deste mês, outro livro da autora, O Mundo é Redondo - The World is Round.

A outra edição de A Autobiografia de Alice B. Toklas, obra escrita em 1932 e publicada no ano seguinte, estará disponível nas livrarias a partir de amanhã. Este título tem o selo da Relógio D'Água e o trabalho de tradução pertence a Margarida Periquito.
Elogios da imprensa
«O livro é de e sobre uma escritora ao mesmo tempo famosa e obscura, que tem um público crescente entre os mais habilitados e de cujas obras, numa linguagem muito própria, o mundo não pode continuar alheado. […] A este testemunho de uma vivência rica, intensa e diversificada não faltam engenho e malícia»
The New York Times (1933)

«Prende o leitor com a sua informalidade, os seus ritmos compassados, humor seco e observações corrosivas»
The Sunday Times

Texto sinóptico
Em 1932, Gertrude Stein (1874-1946), propôs-se escrever, em apenas seis semanas, uma autobiografia, porventura a mais irreverente alguma vez escrita. O resultado foi este livro, publicado no ano seguinte e hoje considerado pela Modern Library uma das vinte melhores obras de não ficção em língua inglesa.
Jogando literal e literariamente com as perceções, Stein, a escritora com fama de vanguardista difícil, assume o ponto de vista e a voz da companheira, a Alice B. Toklas do título, para contar a própria história num registo enganadoramente frívolo, cândido e despojado, numa prosa acessível repleta de revelações caricatas ou indiscretas envolvendo grandes vultos das artes e letras da primeira metade do século XX (de Picasso a Matisse, de Hemingway a Pound).
A autora cumpriu assim o objetivo de criar um sucesso editorial: A Autobiografia de Alice B. Toklas, que agora conhece a sua primeira edição em português, é a obra mais célebre — e lida — de Gertrude Stein.


Texto sinóptico
Gertrude Stein era uma jovem escritora de 28 anos quando, em 1903, regressou a Paris e aí passou a residir com o seu irmão Leo.Em 1907, chegou à capital francesa Alice B. Toklas, igualmente originária de uma abastada família californiana. Conheceram-se, e Alice Toklas tornou-se assistente de Gertrude e depois sua companheira. A sua vida parisiense passava-se na Rue de Fleurus, onde aos sábados à noite recebiam escritores e pintores no salão da casa de Gertrude.Picasso era visita frequente, com a sua «risada espanhola», assim como Cézanne, Matisse, Juan Gris, Scott Fitzgerald, Apollinaire, Cocteau, Pound e Hemingway.Como diz Alice Toklas, «os génios vinham para conversar com Gertrude Stein» e «as mulheres faziam sala comigo». Este livro é de facto a autobiografia de Gertrude Stein, escrito do aparente ponto de vista de Alice Toklas, e está repleto de histórias sobre os escritores e pintores que conheceu nessa época, uma crónica dos agitados anos artísticos e literários parisienses do começo do século xx. O estilo é audacioso, cúmplice e sarcástico. Foi escrito em apenas seis semanas em 1932.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

«Eutanásia, Suicídio Ajudado, Barrigas de Aluguer» é um dos novos lançamentos da Editorial Caminho

A Editorial Caminho acaba de publicar um novo livro de Miguel Oliveira da Silva, obstetra-ginecologista no Hospital de Santa Maria em Lisboa e Professor Catedrático de Ética Médica na Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa.
Depois de Sete Teses Sobre o Aborto (2005), Ciência, Religião e Bioética no Início da Vida (2006) e A Sexualidade, A Igreja e Bioética (2008), nas livrarias é já possível encontrar Eutanásia, Suicídio Ajudado, Barrigas de Aluguer.
Sinopse
Eutanásia, suicídio ajudado, barrigas de aluguer são questões que a todos afectam, que não nos podem deixar indiferentes. As respostas que lhes damos – e as que lhes saibamos vir a dar – afectam a nossa vida, a nossa dignidade, os valores que praticamos e legamos aos nossos filhos. São questões que exigem um informado e sereno debate de cidadãos, timbre de uma genuína democracia participativa. Mas não basta questionar-se e questionar: há que transformar estas realidades. Perante o alargamento de direitos individuais nos extremos da vida humana, somos responsáveis pelo modo como o Estado assegura ou não a protecção dos mais vulneráveis: os jovens produto de tecnologias genéticas e reprodutivas, e as pessoas
humanas em sofrimento intolerável que reclamam querer morrer. Como ser equitativo no acesso a estas tecnologias, e qual é aqui a relação entre o Serviço Nacional de Saúde e o sector privado? Quando, e como, têm os pais a obrigação de assegurar que os seus filhos possam conhecer a verdade sobre a sua história biológica: quem lhes deu o esperma ou o óvulo, qual a mulher que os gerou e pariu, quantos meios-irmãos poderá ter? Como deve o Estado responder ao pedido de eutanásia e suicídio ajudado?
Na crescente tensão entre direitos fundamentais nestas áreas, aonde os novos e velhos deveres e o seu instável ponto de equilíbrio, numa sociedade tolerante e plural?

terça-feira, 3 de outubro de 2017

«O mal que deploramos», o novo livro de José Sócrates

O drone armado e o debate ético e jurídico na guerra ao terror são os temas do novo livro de José Sócrates, que é publicado pela Sextante Editora no dia 9 de Outubro.
O mal que deploramos – O Drone, o Terror e os Assassinatos-Alvo
Há qualquer coisa de intuitivamente menos decente em matar à distância. E, no entanto, tem sido esse o percurso histórico da guerra - matar cada vez de mais longe. O drone veio introduzir novas categorias nessa distância da guerra. A primeira é a distância entre o combatente e a arma letal no campo de batalha. Esta é a distância física que é hoje intermediada pelo vídeo em tempo real. A moderna guerra wireless criou uma nova visualização da guerra e da contenda - já não há mapas e reconhecimento do terreno de batalha como antigamente, agora o combate é exposto no ecrã de forma cinemascópica e alimentado por ligações de satélite. A tecnologia "matou a distância que agora permite a morte à distância".

Depois temos a distância vertical, símbolo da filiação desta guerra no poder aéreo, no bombardeamento, no ataque vindo de cima, que sempre pretendeu ser superior e agora pretende ser invulnerável. Finalmente, há essa distância íntima entre o operador e o ecrã, entre o piloto e a imagem da vítima no visor. E, todavia, nenhuma destas categorias teria grande valor sem a outra distância essencial à guerra, a distância moral, a distância que a guerra inevitavelmente cria entre os combatentes, a distância que desqualifica e despersonaliza o outro lado, o inimigo - a distância que introduz a lógica do aniquilamento própria da guerra: não são como nós, são monstros. Em cima, invisível e superior, o soldado justo; em baixo, ao longe e sem defesa, o terrorista, essa "forma inferior de vida".

Outro livro do autor chancelado pela mesma editora: O Dom Profano (2016)

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Guia prático «STOP Ansiedade» é uma nova publicação da IN Edições

STOP Ansiedade
O guia escrito por quem a viveu
de Anna Williamson e Reeta Newell
Texto sinóptico
Este livro cheio de conselhos para controlar a ansiedade pode ser um ótimo terapeuta de bolso, e a solução para viver melhor e recuperar a confiança depois de um ataque de pânico. Com base na sua experiência pessoal com a ansiedade, a terapeuta Anna Williamson e a psicóloga clínica Dra. Reetta Newell oferecem uma orientação especializada e fácil de aplicar.
Desde reconhecer os primeiros sinais de ansiedade, a conter um ataque de pânico, as autoras acompanharão o leitor passo a passo, oferecendo-lhe estratégias e orientação simples onde e sempre que for necessário. Seja em casa, no autocarro, antes de uma reunião, ou até na casa de banho mais próxima, «STOP ansiedade» estará lá para si. Por isso, bem-vindo ao clube. Agora, vamos lá fintar a ansiedade!

domingo, 1 de outubro de 2017

Novidade Texto Editores: «História Íntima da Humanidade», uma investigação acutilante sobre as emoções e relações humanas

História Íntima da Humanidade, de Theodore Zeldi, é uma das novidades da Texto Editores. Esta obra publicada originalmente em 1994, traduzida agora para português a partir de An Intimate History of Humanity por Manuel Cordeiro, «é de leitura emocionante e enriquecedora, um convite à reflexão sobre as grandes e pequenas questões da vida quotidiana e da relação entre homens e mulheres». Podemos ler também no texto de apresentação do livro o seguinte: «Esta célebre investigação das emoções e relações humanas explica como as pessoas do presente e do passado têm escapado à solidão, ao medo, à falta de sentido da vida; como encontram novas paixões e aventuras e como podem evitar serem prisioneiras das suas memórias e erros.»

Críticas de imprensa
«A história geral das emoções humanas ao longo do tempo, escrita por Theodore Zeldin, é brilhantemente original e perturbadora.»
Sunday Telegraph

«Uma visão intelectualmente deslumbrante do nosso passado e futuro.»
Time

O autor
Theodore Zeldin nasceu na Palestina em 1933. Licenciou-se em Filosofia, História e Latim no Birkbeck College e em História Moderna na Universidade de Oxford. Aí foi professor e investigador. É autor de vasta obra publicada, nomeadamente esta História Íntima da Humanidade.

«Milarepa», o livro que faz Dalai Lama chorar

A Editora Marcador já disponibilizou nas livrarias Milarepa, um romance publicado originalmente em França em 1997, da autoria de Eric-Emmanuel Schmitt, um dos autores franceses dos nossos tempos mais lidos. Os livros deste filósofo, romancista e dramaturgo estão traduzidos em 43 línguas e as suas peças são regularmente encenadas em mais de 50 países. Em Portugal a Marcador publicou anteriormente os seguintes livros do escritor: Concerto em Memória de Um Anjo, O Senhor Ibrahim e as Flores do Alcorão e Óscar e a Senhora Cor-de-Rosa.

Texto sinóptico
Todas as noites, Simon tem um sonho recorrente. É a reencarnação do tio de Milarepa, o famoso iogue tibetano do século XI. Para quebrar os ciclos infinitos de reencarnação, Simon terá de contar a história de Milarepa e do seu tio, que nutria pelo sobrinho um ódio implacável, identificando-se com eles até ao ponto em que a sua identidade se funde com a deles. Mas onde começam os sonhos e termina a realidade?

Neste livro, que é simultaneamente simples e maravilhoso, um conto no espírito do budismo tibetano, Eric-Emmanuel Schmitt traz-nos os temas mais importantes para o espírito humano: a vida, o amor, a morte, o bem e o mal.

Citações
«Eu choro e sinto um forte sentimento de fé de cada vez que leio ou ouço a história de Milarepa, o grande iogue do Tibete.» | Dalai Lama

«Milarepa, de Eric-Emmanuel Schmitt, mostra-nos que a essência da vida é a mesma em todas as partes do mundo e que consiste em generosidade e autoconhecimento.» | Le Midi Libre

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Novas publicações infanto-juvenis

O Grande Livro dos Insetos, de Yuval Zommer, é o 5.º livro da colecção «Meio palmo, palmo e meio», iniciada em Abril deste ano e cujos primeiros livros O livro com sono, O livro zangado, Como desenhar animais uma galinha e Porque tem a Arte tanta gente nua? estão já aconselhados nas listas de 2017 do Plano Nacional de Leitura. Esta obra publicada pela Editorial Bizâncio já está à venda, e a sinopse é a seguinte:

Os insetos têm medo do escuro?
Porque marcham as formigas em fila?
Um caracol anda muito devagar, mas é assim tão lento?

Encontra aqui as respostas para estas e tantas outras perguntas sobre insetos e outros bichinhos e diverte-te também a descobri-los nas imagens. Serás capaz de os localizar a todos?
Vais conhecer insetos de todo o mundo, a voar, a picar, a contorcer-se, e ficar a saber o modo como se alimentam, caçam e reproduzem.

Outra novidade infantil intitula-se Mais Um, com texto de Olalla González, ilustrações de Marc Taeger e selo da Kalandraka.

Do texto de apresentação:
Ternura, solidariedade, alegria, emoção – e uma surpresa final – são os sentimentos que pairam sobre esta história, plasmada
em ilustrações de traços definidos, linhas irregulares, esquemáticas, e aguarelas de tons suaves sobre fundo branco.
Destaca-se ainda a dicotomia entre as cenas todas a cor e outras monocromias onde se evidenciam os sonhos e os desejos de quem se prepara para ser o irmão mais velho.

Eis um excerto da obra, cujos aspectos a salientar são: família, irmãos, infância, brincadeiras; animais, natureza; o correr do tempo; conto acumulativo, estrutura repetitiva.
Um dia, o coelhinho olhou para a sua mãe.
– Mamã, estás muito gorducha! Queres ver que vais ter um bebé?
– É verdade, dentro de pouco tempo seremos mais.
– E quando é que ele vai nascer?
– Vai nascer quando já não conseguir ver os meus pés...

Pelas mãos da editora Livros Horizonte chegou também este mês às livrarias A Casa do Futuro, um livro único que tem como grande objetivo interagir com crianças e jovens, levando a temática da arquitetura, do urbanismo e do design a diversas idades e realidades. No livro, aproveitando o tema da arquitetura sustentável abordam-se os conceitos da arquitetura e do papel do arquiteto na construção da sociedade atual. A iniciativa deste livro nasceu no Gabinete FAJúnior, um projeto pedagógico de base científica e experimental da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa.

Sinopse
Francisca é uma jovem arquiteta muito decidida e empenhada em tudo aquilo que faz. Mas um dia recebe uma mensangem estranha, que a deixa um pouco baralhada e indecisa… Uma família muito especial pede-lhe que faça o projeto de uma casa do futuro! Francisca procura a ajuda do grande arquiteto Serafim, que com a sua sabedoria e experiência a guia na resolução deste problema.

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

A HarperCollins Portugal publica dois policiais com excelentes críticas internacionais

A Boa Filha é o novo e deslumbrante romance de Karin Slaughter, uma das autoras mais vendidas do panorama literário internacional. Um thriller absorvente que mistura suspense psicológico com a investigação de um mistério por resolver.

Cheio de voltas e reviravoltas inesperadas e transbordante de emoção, A Boa Filha é um romance apaixonante: suspense em estado puro.

«Sigo-a e segui-la-ei em todos os seus livros.»  Gillian Flynn

«Romance negro em estado puro.» Michael Connelly

«A escritora de thrillers mais audaz do momento.» Tess Gerritsen

«Às vezes penso que me andei a preparar para escrever este livro - Corrupção - a vida inteira. Criado em Rhode Island, poupava dinheiro em miúdo para apanhar um comboio para a cidade de Nova Iorque, onde deambulava pela Broadway, ia ao cinema, comia nas mercearias e nos carrinhos de cachorros quentes. Mais tarde, mudei-me para a cidade e vivi nas mesmas ruas de Upper West Side. E fui criado a ver filmes policiais e as suas histórias. Desde que comecei a escrever que queria escrever um grande livro sobre a polícia de Nova Iorque. É este. Investiguei para ele durante muito tempo. Conheci – e conheço – polícias, a maioria deles honestos, alguns corruptos. Até eu subornei polícias quando era diretor de cinema e investigador particular. Trabalhei em casos a favor e contra departamentos de polícia. Essa investigação deu origem a este romance.» Don Winslow

«Fascinante, um triunfo. Pensem n’O Padrinho, só que com polícias. Muito bom.» Stephen King

«Provavelmente o melhor romance policial alguma vez escrito.» Lee Child

«Winslow criou o que pode muito bem tornar-se no nosso romance policial fundamental.» Booklist

«[Um] romance épico de devastadora complexidade moral.» Publisher’s Weekly