sexta-feira, 29 de abril de 2011

Pablo Neruda


Ilusão Perdida

Florida ilusão que em mim deixaste
a lentidão duma inquietude
vibrando em meu sentir tu juntaste
todos os sonhos da minha juventude.

Depois dum amargor tu afastaste-te,
e a princípio não percebi. Tu partiras
tal como chegaste uma tarde
para alentar meu coração mergulhado

na profundidade dum desencanto.
Depois perfumaste-te com meu pranto,
fiz-te doçura do meu coração,

agora tens aridez de nó,
um novo desencanto, árvore nua
que amanhã se tornará germinação.

Pablo Neruda

quarta-feira, 27 de abril de 2011

A herança de Eszter - Sándor Márai


Sinopse:
Durante vinte anos Eszter viveu uma existência cinzenta e monótona, fechada sobre si própria, esperando a morte e sonhando com o retorno de um amor impossível. Até ao dia em que, inesperadamente, recebe um telegrama de Lajos, o único homem que amou e graças ao qual encontrou, por um breve período, sentido para a sua vida.

Opinião:
Antes de mais tenho de dizer que a capa deste livro é sublime. Consigo visualizar Eszter perfeitamente, na figura.
“A herança de Eszter” é uma história simples, de frágil interpretação, onde os detalhes e acontecimentos de um passado, fazem emergir uma tempestade de sentimentos adormecidos.
A história ensina-nos, o quão difícil é viver na turbulência das nossas próprias emoções, nos estados de alma que não são despojados e na prisão a que a vida pode chegar a ser vivida.
Uma carta anunciando a vinda de alguém a quem não é sabido notícias há muitos anos é o ponto de partida deste romance, tal como no livro “As velas ardem até ao fim”, do mesmo autor.

Sándor tem uma escrita muito própria, de punho forte, que faz embalar o leitor numa lúcida e absorvente viagem.

Depois de “As velas que ardem até ao fim” e “A herança de Eszter”, quero conhecer outros títulos deste autor que, à “segunda tentativa”, convenceu-me do seu brilhantismo.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Filme: Um ano mais (Another Year)

Trailer

Sinopse:
Tom (Jim Broadbent), um geólogo apaixonado pela mulher e habilidoso na cozinha, e Gerri (Ruth Sheen), psicóloga bem-resolvida e hospitaleira, formam uma família feliz junto com o carinhoso filho, Joe (Oliver Maltman), que já saiu de casa, mas volta de quando em quando, de bicicleta, para visitar os pais.O problema são os outros, e eles vêm e vão ao sabor das quatro estações do ano.


Opinião:
As 4 estações do ano são o pano de fundo para as 4 acções que se desenrolam neste filme. A felicidade de Tom e Gerri, um geólogo e uma psicóloga, contrasta com a infelicidade dos seus visitantes. São eles também que dão suporte emocional, no decorrer de todo um ano, aos seus familiares e amigos.

A história de Mary, amiga e colega de Gerry é aquela que mais sobressai em “Another Year”.Ela é uma mulher madura que no percurso da vida depara-se com a solidão e por estar em estado de carência a todos os níveis, encontra no álcool o seu escape. Mary é a personagem que aparece na Primavera, mas durante todo o resto do ano, marca presença na casa dos amigos, pois tal é a sua escassez de amor.

É no Verão que bate á porta de Tom e Gerry, Ken, o amigo de longa data de Tom. Ken é alcoólatra, solteirão e infeliz com e na vida e também busca um pouco de aconchego emocional no lar dos amigos.

Joe é o filho independente e durante o Outono aparece na casa dos pais com a nova conquista amorosa, Katie. Mary ao ver a felicidade estampada no rosto do casalinho fica ainda mais deprimida e até rancorosa e mostra-se incapaz de o não demonstrar, pois a alegria dos outros só faz sobressair a sua própria infelicidade.

Finalmente no Inverno o “casal de terapeutas” é outra vez o muro de suporte que apoia o irmão de Tom, Ronnie, que acaba de ficar viúvo e é convidado a passar uns dias com o casal, para amenizar a sua perda e ganhar ânimo para continuar com a sua vida.

O filme é um estudo melancólico que analisa a sociedade e os seus problemas mais comuns, sendo a solidão, o alcoolismo e a morte alguns dos fios condutores.

sábado, 23 de abril de 2011

Dia Mundial do Livro



Definição de Livro pela Wikipédia:
Livro é um volume transportável, composto por páginas encadernadas, contendo texto manuscrito ou impresso e/ou imagens e que forma uma publicação unitária (ou foi concebido como tal) ou a parte principal de um trabalho literário, científico ou outro.

Para mim, um livro é mais do que isso, muito mais.
E para vocês?

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Malinche - Laura Esquivel


Opinião:
Este livro fala da apaixonante e trágica história romântica entre Malinali e Hernán Cortés. Malinali é uma índia indígena mexicana que apaixona-se perdidamente por Cortés, um conquistador espanhol.

Entre eles constrói-se uma relacção tormentosa de amor vs raiva, pois Cortés não consegue estancar a sua sede de conquista e de posse política, tornando assim o seu relacionamento com a índia turbulento.
Malinali vê-se assim dividida entre duas culturas e dois amores…

Foi interessante ficar a conhecer um pouco esta parte da História, dos Astecas, todavia não foi um tema em que tenha ficado empolgado. A autora escreveu-o de maneira lírica e notei grande perícia nos pormenores, o que deduz que a escritora fez uma pesquisa abrangente e pormenorizada.
 Preferi ler “Como água para chocolate” da autora, pois a mágica, o despertar dos sentidos e envolvimento do leitor na história é outra.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Reflexologia

Os pés são equipamentos maravilhosos e merecem todo o cuidado. Além de eles possibilitarem ao homem a locomoção, mantém o equilíbrio e distribuem de maneira uniforme o peso do corpo, quando estamos de pé.

A reflexologia é uma arte suave, uma ciência e um método muito eficaz de tratamento. É uma técnica curativa holística – o termo holístico é derivado da palavra grega Holos que significa “inteiro” e, assim, procura tratar o indivíduo como uma entidade constituída de corpo, mente e espírito.

A pressão é aplicada nas áreas reflexas dos pés com os dedos das mãos e usando técnicas específicas.
Este procedimento provoca mudanças fisiológicas no corpo na medida em que o próprio potencial de cura do organismo é estimulado.

 
Afinal, os pés também falam!

domingo, 17 de abril de 2011

Filme: A Rapariga do Capuz Vermelho (Red Riding Hood)

Trailer
Sinopse:
Uma jovem (Amanda Seyfried) que vive numa aldeia assombrada por um lobisomem, apaixona-se por um lenhador orfão (Shiloh Fernandez), apesar de estar prometida a outro homem (Max Irons).


Opinião:
Amanda Seyfried vestiu o capuchinho e surpreendeu-me novamente!Esta é sem dúvida uma actriz promissora que enquadra-se nos papeis mais variados.
Esta versão da fábula destaca-se por incorporar o aspecto romântico através de uma paixão não correspondida e do triângulo amoroso que daí resulta.O lobo máu também nesta versão pode deixar de ser assim tão máu..
Parece que Hollywood despertou para recontar de forma mais adulta os clássicos infantis. O Capuchinho vermelho é um dos mais célebres contos criados pelo francês Charles Perrault (1628-1703).
Vale a pena uma deslocação ao cinema e uma deslocação ao nosso imaginário infantil.

Porque tens uns olhos tão grandes?
E que orelhas tão grandes? 
E esses dentes enormes?

Foi bom reviver estas frases!!

sábado, 16 de abril de 2011

Uma música que lembra-me um filme


Filme: A BELA E O MONSTRO
Música: Beauty and the beast - Celine Dion & Peablo Bryson

O Fisico - Noah Gordon


Opinião: 
A história deste livro desenrola-se no século XI, na era medieval e relata a vida de Robert J. Cole.
Rob nasce em Londres no seio de uma família cristã, onde a pobreza imperava. Aos nove anos este menino vê-se sozinho no mundo, pois os pais morrem vítimas de epidemia e os irmãos mais novos são entregues a outros lares.

Rob torna-se aprendiz de um barbeiro-cirurgião e percorre as aldeias de Inglaterra ajudando o seu mestre, ajudando os doentes. O barbeiro faz de Rob um homem trabalhador e honesto, pois ensina-o com os seus próprios erros. É nesta altura que Rob depara-se com o dom..

Após alguns anos de rica experiência ao ajudar as pessoas, este aprendiz vê-se num dilema, pois por vezes gostaria de ter evitado a morte a doentes e não o conseguiu porque não tinha os ensinamentos e a formação necessária para tal. E é assim que Rob inicia uma longa viagem desde Londres até a Pérsia, o único local onde poderá estudar numa escola até se tornar num físico (médico).

Até se tornar num brilhante físico, Rob ultrapassa vários obstáculos. Finge ser judeu, muda de nome, aprende a falar Persa, empenha-se em ser aceite na escola, esforça-se para se integrar numa terra estranha e com costumes e crenças diferentes da sua, combate na guerra, renuncia ao amor, e claro, Rob supera tudo isto pela extrema vontade de se tornar físico e poder ajudar as pessoas enfermas.

Todo o caminho, esforços e obstáculos de Rob para atingir o seu objectivo é que fez com que esta narrativa fosse diferente das outras, pois é impossível não fazermos uma comparação, ao longo do livro, com a nossa própria vida, a do leitor. 

Este livro transmite a quem o lê que uma vida sem metas, sem suor, sem perdas, sem escolhas e sem ambição de aprender mais, é uma vida morta.
Gostei em particular da parte inicial da história, das aventuras e viagens de Rob com o barbeiro-cirurgião. 

Em suma é uma leitura excelente, cheia de emoções e aprendizagens.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Charlot, o génio mudo - 122º aniversário

Charles Chaplin nasceu em Londres a 16 de Abril de 1889 e faleceu a 25 de Dezembro de 1977. Foi um actor, director, produtor, dançarino, roteirista e músico britânico. Chaplin foi um dos actores mais famosos da era do cinema mudo, notabilizado pelo uso de mímica e da comédia pastelão.


Este Sr. é uma inspiração.

sexta-feira, 8 de abril de 2011

1 lápis + 1 folha em branco + imaginação =

 
Fazia já muitooo tempo que não desenhava.
Foi tãooo bom desenfurrejar!
Consigo fazer melhor, mas até que não ficou ruim ;)

quarta-feira, 6 de abril de 2011

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Quando o aluno está pronto, o professor aparece

Este fim de semana que passou foi fantástico por diversas razões.
Teve como prelúdio os sons de um violino que soaram prosaicamente no mais fundo estado em que me encontro. Não obstante e por subtileza foi o som das ondas do mar que marcou o epílogo da jornada a que fui submetido.
Quando faz-se um teste, o que deseja-se é que o resultado seja satisfatório e que traga com ele as recompensas a que daí advertem. E por vezes a grande recompensa é o passar do testemunhoe assim foi.
Numa singular tarde fiquei absorto na semelhança e afinidades a que duas pessoas podem ter, mesmo sendo de universos completamente diferentes.
Em poucas horas pode nascer um sentimento bonito e transparente, ao qual não devemos fugir nem negar. Foi um pedido aceite que transformou-se em momentos. Foi momentos que soaram a uma infinidade.
Cada vez mais estou convicto que os momentos é que constroem a vida e independentemente da sua duração, é a noção de que o momento especial vivido não irá se desvanecer do nosso pensamento.
Havia sede, sim, mas a fome de não estragar o momento falou mais alto e a sede de viver é mais importante do que a sede momentânea.
Não vou esquecer a brisa subtil que passou mesmo à minha frente na noite de céu estrelado nem do conforto do abraço e carinho que na espuma das ondas me foi trazido.
Depois de um fim de semana destes, não senti-me cansado, pois a felicidade não deixou espaço para que essa invenção da mente pudesse aparecer.
Os melhores momentos são aqueles que são fruto da espontaneidade e como sei que quando o aluno está pronto, o professor aparece, nunca quero deixar para amanhã a lição que posso aprender hoje.

sábado, 2 de abril de 2011

Casa da Cascata / Falling water / Casa Kaufmann

"Falling Water House" é um dos trabalhos mais aclamados do arquiteto Frank Lloyd Wrigth tendo sido apontado pelos membros do instituto americano dos Arquitetos como melhor da historia da arquitetura americana.




Esta casa é um marco arquitetónico do século XX e uma das 7 maravilhas da arquitetura moderna, sendo considerada uma das mais famosas casas do mundo. Foi construída em 1936 e está localizada 50 milhas a sudeste de Pittsburgh, em Bear Run, Estado da Pensilvânia, Estados Unidos da América.

É um exemplo supremo do conceito de Frank da arquitetura Organica, que promove harmonia entre o homem e a natureza.
Frank foi um dos expoentes da arquitetura orgânica. Um dos preceitos que ele seguia é de que a obra não deve impor sobre a paisagem. Antes disso, deve se integrar a ela sem agredi-la. Na sua concepção, os materiais para a obra devem ser buscados na região, pois a obra deve ter ligação com o lugar onde se situa. No projeto da Casa da Cascata, Lloyd Wrigh levou a sério suas idéias de integração entre a obra arquitetônica e seu entorno.


A Casa da Cascata não é de todo ecológica. Basta lembrar que custou em dinheiro de hoje mais de 2 milhões de dólares. Mas com certeza é uma das casas organicas mais belas e importantes já construídas. Tanto assim, que hoje pertence a uma fundação e está aberta à visitação de milhares de turistas anualmente. Simbólica e visionária, a Casa da Cascata é uma cascata de inspiração para todos.


Frank Lloyd Wright, que acreditava que uma casa deve nascer para atender às necessidades das pessoas e do caráter do país como um organismo vivo. Sua convicção era de que os edifícios influenciam profundamente as pessoas que neles residem, trabalham ou rezam, e por esse motivo o arquiteto é um modelador de homens.


A casa da cascata tornou-se famosa mesmo antes do término de sua construção. Isso aconteceu porque a casa propaga o ideal de que o homem moderno pode aprender a viver em harmonia com a natureza. A casa parece pairar serenamente sobre a agua, apenas escoradas nas rochas, que também fazem algumas composições internas da casa.. ou seja, uma total interação com o ambiente.


Dizem que Frank fez todo o primeiro estudo em apenas tres horas, e desse primeiro estuda pouca coisa mudou até o projeto final. A casa foi construída em meio a um bosque, no interior de uma propriedade da família, sua principal característica no entanto, é o fato de ter sido erguida sobre uma pequena queda dágua, ultilizando-se dos elementos naturais ali presentes.


Originalmente utilizada como residência de veraneio da família, a casa hoje é um museu.

 


www.facebook.com/silenciosquefalam

Sê seguidor deste blogue: na barra lateral direita da página clica em "aderir a este site"