sexta-feira, 12 de junho de 2015

«Tempo de Partir», de Jodi Picoult

Data de Publicação: 15/04/2015
N.º de Páginas: 440

Quem já leu algum livro de Jodi Picoult (n. 1966) sabe que nos romances que ela cria é seu apanágio se debruçar sobre um assunto central, normalmente controverso, pouco abordado ou que acompanhe a actualidade. Além deste cunho próprio a autora faz um trabalho de pesquisa exaustivo, para se imbuir a cem por cento sobre o tema a abordar, e para narrar história ela utiliza vários personagens, que têm os seus próprios pontos de vista sobre os acontecimentos. Em Leaving Time, título original da obra publicada em 2014 nos Estados Unidos, o seu MO é o mesmo, para gáudio dos seus fiéis leitores.
«Antigamente, algumas pessoas acreditavam que havia um cemitério de elefantes, um lugar para onde os elefantes doentes e velhos se dirigiam para morrer.» Esta é a primeira frase da história sobre uma jovem adolescente que procura a mãe, desaparecida há dez anos (em 2004) num bizarro incidente, quando ela tinha apenas três anos. Jenna, uma garota demasiado madura e sisuda para a sua idade, vive com a avó materna em New Hampshire, a poucos quilómetros do Santuário de Elefantes de New England [local fictício], onde tudo ocorreu. Não podendo contar com Thomas, o seu pai que se encontra catatónico num hospital psiquiátrico desde a altura do acidente que envolveu Alice, a jovem conhece uma médium famosa, caída em desgraça após um erro colossal que lhe custou a carreira, e um detective privado, o mesmo que estivera de serviço no fatídico recinto onde habitava sete elefantes «problemáticos», provindo de vários zoológicos e circos, e onde os pais de Jenna tinham a seu cargo três funcionários. Serenity e Virgil, um par sui generis, se aprontam imediatamente para ajudá-la a conhecer o paradeiro da sua mãe, mesmo que para a jovem o rumo das investigações a levem a pôr em causa a honestidade dos pais: «Poderão a minha mãe e o meu pai serem ambos culpados pelo que aconteceu há dez anos?». Jenna perdeu a mãe. Serenity perdeu a credibilidade. Virgil perdeu a sua fé. E não faltarão peças em todos nós? Esta é uma pergunta que está subjacente ao longo de toda a narrativa que segundo Jodi Picoult «é um livro sobre como manter as pessoas que amamos perto de nós».
Os elefantes e todo o seu mundo encantador e simultaneamente complexo estão em constante presença nas páginas deste romance, e vamos nós também, leitores, ficando a conhecer curiosidades sobre estes que são os maiores mamíferos terrestres, que são intuitivos e protetores, inteligentes e com muitas características semelhantes às humanas, como por exemplo a capacidade de sentirem empatia: a capacidade de se colocarem no lugar do outro antes de julgarem. Mas atenção: os elefantes não esquecem…
A escrita envolvente de Jodi Picoult, construída com tamanha riqueza de detalhes, nos transporta para um mundo misterioso e encantador, que é o dos elefantes. Tempo de Partir é um livro que não desaponta, apenas surpreende. Recheado de metáforas como a relação maternal humana e animal, neste romance a maior das surpresas positivas é revelada a poucas páginas do final da história, que tem uma reviravolta mística, se bem que pouco conclusiva. Uma leitura muito boa, mesmo.


Excertos
«Se alguém nos abandona uma vez, esperamos que isso volte a acontecer. Por fim, evitamos aproximar-nos das pessoas o suficiente para as deixar tornarem-se importantes para nós, porque assim não reparamos quando elas saem do nosso mundo.» (p. 24)

«Poderá o amor não ser gestos grandiosos ou votos sem significado, promessas destinadas a não serem cumpridas, mas sim um rasto de perdão?» (p. 428)


12 comentários:

Catarina Paulo disse...

Fiquei curiosa por ler o livro! Parece ter potencisl :)

Ana Rita disse...

Gostava muito de ler este livro! Nunca li nada da escritora!!

S Dias disse...

Já tive oportunidade de ler, e mais uma vez Jodi não desilude; recomendo, é uma história emotiva.

Faiscante disse...

Curiosa por experimentar esta autora

maekika disse...

Já li alguns livros desta autora e gostei imenso. Este foi-me oferecido há pouco tempo e está à espera das férias para andar junto da toalha de praia e fazer-me companhia...

Joana disse...

Gosto Muito desta autora, mas ainda não li este livro, talvez seja dos próximos a ler.

Liliana Martins disse...

Adoro esta autora. Ainda não li este livro. Espero fazê-lo brevemente! :-)

Sílvia Ávila disse...

Adoro esta autora contudo ainda não li este livro mas espero fazê-lo o quanto antes.

Carina Grabulho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Alexandra Guimarães disse...

Tenho imensa curiosidade em ler este livro.

Emilia Silva disse...

Emilia Silva

Esta autora nunca me dececiona gosto sempre dos livros que leio e este com certeza não será exceção.

MarianaLeal disse...

Aos poucos vou aumentando a minha colecção de Jodi Picoult, sem duvida das minhas escritoras preferidas.. Já tenho 10, mas é triste pensar que ainda me faltam alguns, como este :p É bom saber que este volume não desilude