quarta-feira, 23 de novembro de 2016

«Noite Estrelada», de Jimmy Liao

Editora: Kalandraka
Data de publicação: Outubro de 2016
N.º de páginas: 128

Autor de mais de 40 livros, Jimmy Liao é um dos ilustradores mais reconhecidos a nível mundial quando falamos de Literatura Infantil. Foi uma doença grave, diagnosticada em 1995, que fez-lhe repensar a vida e a sua visão do mundo por completo. Deixou o emprego e de forma autodidacta começou a criar histórias. Já tinha 40 anos quando o seu primeiro livro, Segredos na floresta, foi dado à estampa, e desde aí o seu percurso tem sido marcado pela grande receptividade por parte da crítica e com expectativa por parte do rol enorme de leitores — não só crianças — que aguardam a publicação de um novo livro seu. Este autor chinês afirma que os seus livros são para leitores de todas as idades, porque quando está a trabalhar numa obra, ele não tem um público-alvo idealizado. Em Portugal, um novo (o quarto) trabalho deste reputado autor de 58 anos, acaba de ser publicado pela Kalandraka, que o traduziu fielmente a partir de 星空, o seu título original, datado de 2009.
Noite Estrelada é um livro dedicado a todas «as crianças que não se sentem em sintonia com o mundo», e conta a seguinte história: Uma jovem menina está angustiada com os problemas que deambulam no seio da sua família. A mãe está sempre ocupada com o trabalho e não a compreende; o pai está constantemente ao telemóvel e não conversa com ela; entre os pais o ambiente também é tenso.
Estas são algumas das razões porque esta menina «forte por fora, mas na verdade (...) muito frágil por dentro» muitas vezes se retrai para um mundo de fantasia para evitar a dura realidade. Nesse seu mundo, os pequenos elefantes de brincar e os gatinhos têm tamanhos gigantescos.
O que a consola nos momentos tristes é a recordação da convivência que até aos 6 anos teve com os avós, na montanha. Mas agora o avô está doente e a querida avó «está no céu». Mesmo tendo alguns amigos, ela sente «uma solidão indefinível». No seu quarto, esta menina de cabelos compridos tem pendurado na parede uma reprodução de um quadro de Van Gogh, que revela uma noite estrelada e uma montanha em pano de fundo. Numa certa noite fria, talvez, quem sabe, o som da cantiga que a faz acordar do seu sono, possa ter vindo dessa mesma tela enigmática. Imaginação à parte, quando ela espreita pela janela do quarto, ela repara num rapaz «misterioso» e «estranho», que nunca tinha visto na vizinhança nem na escola. Nos dias seguintes nascerá uma amizade entre ambos, que fortalecerá a confiança desta pequena protagonista para enfrentar o mundo. O enlace desta amizade, de forma tácita, marca na história o início de uma segunda parte repleta de aventura, que pode ser interpretada como o regresso da pequena rapariga à primeira infância, o retrocesso ao ventre materno (o primeiro lugar que lhe protegeu do mundo externo) e, de certo modo, o grito pela liberdade.
As amizades nem sempre são para sempre, mas os frutos que elas dão, sim, poderemos guardá-los indelevelmente em nossa memória e coração. Esta é uma das lições que podemos tirar desta história que guarda um epílogo tocante: «(...) vou recordar para sempre aquele verão com as mais brilhantes e solitárias noites estreladas.»
Noite Estrelada revela-se um tratado terno sobre a amizade, sobre o final da infância e início da adolescência, e sobre a perda da inocência e o amadurecimento. É uma obra que evoca, entre outros temas, os laços afectivos entre avós-netos, a perda de entes queridos e a problemática do bullying.
A nível imagético, neste livro Jimmy Liao usou uma paleta de cores marcantes e arrojadas, sendo os tons azuis os mais predominantes nas cerca de 80 ilustrações (algumas preenchem duas páginas 19x26 cm). A nível gráfico, todo o conteúdo apresentado em Noite Estrelada, álbum recomendado para leitores a partir dos 9 anos, é irrepreensível.
Salientar que em 2011 foi lançado nos cinemas chineses um filme baseado neste álbum ilustrado (mais informações aqui).
 A editora disponibiliza as primeiras páginas deste livro, aqui.

3 comentários:

Cristina Lima disse...

Ilustrações fantásticas! Adoro as cores!

Fátima Martinho disse...

as ilustrações são maravilhosas

Maria Helena Costa disse...

As ilustrações são lindas! Nota-se que a visão do autor mudou para as coisas mais simples da vida e tenta evidir a mente das crianças cujo os pais andam muito atarefados nos dias de hoje! Até ele próprio afasta a doença dele desta maneira!