terça-feira, 30 de janeiro de 2018

«O Homem de Giz», de C. J. Tudor

Editora: Planeta
Data de publicação: 16/01/2018
N.º de páginas: 320
É o livro que está a fazer furor entre os leitores de pelo menos 48 países, depois de ter conquistado elogios, antes de sequer estar à venda, de críticos literários, autores consagrados e de bloggers que receberam exemplares de avanço do livro. Depois da Inglaterra e dos Estados Unidos, a Planeta foi a terceira editora internacional que comprou os direitos de publicação de The Chalk Man (título original). É de salientar também a espaventosa campanha de marketing feita pela editora para gerar expectativa em torno deste título de estreia de C. J. Tudor, na imprensa escrita e digital, nas redes sociais e em espaços físicos (outdoors) — uma mega campanha de comunicação só comparada à que foi feita em 2015 com A Rapariga no Comboio (o livro mais vendido desse ano em Portugal).
… a cabeça nunca foi encontrada, e o corpo da rapariga encontrado no bosque nunca foi reconstituído.
A história de O Homem de Giz é-nos contada a partir da perspectiva de Eddie Adams, quando ele tem 12 (1986) e 42 anos (2016). A adolescência do narrador e dos seus inseparáveis amigos Gav, Mickey, Hoppo e Nicky ficou marcada por experiências inesquecíveis, vivências típicas de quem crescia livremente, brincando na rua, na natureza — afinal, era a década de 80. Os desenhos a giz com códigos que só eles conseguiam decifrar (cada elemento escrevia com uma cor diferente), foram uma dessas ideias bizarras que todos acolheram quase de imediato. Quando num dia no bosque eles encontram sinais a giz branco que os levam ao encontro de um cadáver, tudo muda nas suas vidas.
Avançando para 2016, apenas três elementos do grupo continuam em contacto. Eddie continua morando na mesma casa próxima do local em que episódios sinistros aconteceram… Segredos obscuros do passado assombram o seu eu, mas Eddie tenta levar uma vida normal. Contudo, no inconsciente da sua mente ele sabe bem que «tudo o que damos por garantido pode desaparecer por súbito». Um pedaço de giz enviado por correio para a sua morada desencadeará o que há muito tempo Eddie teme….
O Homem de Giz é um romance povoado por personagens bem delineadas e credíveis, com índoles complexas. A trama está inteligentemente bem delineada, provando que a escritora inglesa C. J. Tudor é uma estratega de primeira, pois usa todo o seu talento para criar ciladas ao leitor. O desfecho totalmente imprevisível desta história perturbadora, que nos prende desde o início e nos mantém entretidos e em suspenso, fará com que quem ler O Homem de Giz (actualmente já vai na 2.ª edição) não queira perder de vista os próximos livros desta autora promissora (o segundo livro de C. J. Tudor já está escrito e está previsto ser publicado em Janeiro de 2019).
Este é um dos livros que marcarão o ano editorial de 2018, com certeza.


Excertos
«… há coisas que não se podem partilhar com ninguém, nem com os melhores amigos. Os garotos também têm segredos. Por vezes mais do que os adultos.» (p. 39)

«Há coisas na vida que conseguimos alterar — o peso, a aparência, até o nome —, mas há outras que, por muito que se deseje e tente, nunca conseguimos modificar. São essas as coisas que nos moldam. Não as que conseguimos alterar, mas aquelas que não conseguimos.» (p. 51)

«… a morte não passa de um sopro frio e distante. O melhor truque dela é fazer-nos pensar que não está lá. E a morte guarda uma imensidade de truques dentro da sua manga escura e gélida.» (p. 127)

«Por baixo do verniz da idade adulta, sob as camadas de experiência que vamos acumulando à medida que os anos vão inexoravelmente avançando, continuamos a ser crianças com joelhos esfolados e ranho no nariz que precisam dos pais… e dos amigos.» (p. 200)

«… quem somos nós senão o somatório das nossas experiências, as coisas que reunimos e congregamos ao longo da vida? Se nos tiram isso, não somos mais do que um monte de carne, ossos e vasos sanguíneos.» (p. 245)

29 comentários:

Rui Costa disse...

Quem já leu? Aconselham? Ando com vontade e curiosidade de conhecer...

Lídia Frois disse...

Também ainda não li... pelo que li dos excertos do texto, parece interessante.

André Silva disse...

Parece ser bastante interessante.

Alexandra Guimarães disse...

Pela sinopse e pelas opiniões que fui lendo este é, sem dúvida, um livro que gostaria muito de ler.

kassie disse...

Estou muito, muito curiosa com este livro!

Jorge Martins disse...

Parece ser"demais"...

Fabíola Valente disse...

Já li adorei!

Rute Ribeiro disse...

Tenho de ler. Ja está na lista. ��

Turista disse...

Este livro está na minha lista de aquisições. :)
Manuela Colaço

Nélia Rosa disse...

Tenho este em fila para ler em breve. Estou com as expetativas em alta :)

Fátima F disse...

Este livro tem suscitado muito interesse e como não podia deixar de ser estou curiosa e ansiosa por lê-lo.

Regina Castelo Filipe disse...

Tenho bastante interesse em ler este livro, pois só tenho ouvido críticas positivas...

BelaLinha disse...

Já comprei!

Marcos Silva disse...

Um livro a adquirir.

Luana Santos disse...

A ler neste momento :)

kassie disse...

Estou ansiosa por ler este! :)

Bé Correia disse...

Quero ler este livro! :)

Ângelo Carvalho disse...

Ptoxima leitura

Unknown disse...

Ja li e adorei! Historia muito bem construida! Vale a pena

berto Oliveira disse...

Para ler,sem dúvida!

JuPati disse...

Adorei este livro :)

Carolina Marques disse...

Super curiosa com este livro :)

Maria Helena Costa disse...

Um livro que teve a sua estreia a 16 de janeiro, dia de anos do meu irmão. Sem dúvida deve ser um bom thriller, o nosso psicológico deve mexer muito.

Isabel cristina Azevedo disse...

É um livro que quero muito ler

Rita Carmo disse...

Uma das minhas próximas leituras ;)

Catarina disse...

Faz parte das minha lista a ler em 2018

Joana disse...

Gostava muito de ler

Unknown disse...

Próximo pedido ja que em 2018 não posso comprar livros!

Stela Silva disse...

Parece-me um excelente Thriller/Policial para fazer uma pausa na literatura romântica :)