quarta-feira, 15 de abril de 2015

«O Velho e o Mar», de Ernest Hemingway

Data de Publicação: 17/04/2015
N.º de Páginas: 80

The Old Man and the Sea, no seu título original, foi publicado originalmente em 1952. Até os dias de hoje este livro do escritor norte-americano perdura como uma das suas obras de maior referência. O Velho e o Mar, além de ter sido a obra vencedora do Prémio Pulitzer de 1953, galardoou Ernest Hemingway (1899-1961) com o Nobel de Literatura um ano mais tarde «por sua maestria da arte narrativa (…) e pela influência que exerceu no estilo contemporâneo.»
Nesta narrativa de pouco mais de cem páginas é-nos contado a história de Santiago, um velho e experiente pescador, que sente-se desiludido por a sua doença não o permitir mais capturar peixes. Todavia, persistente e resiliente como é, o velho embarca para o mar, sozinho («Um homem nunca se perde no mar»), com o intuito de ter sorte dessa vez. Santiago, que embora tivesse muitos companheiros de profissão tinha poucas amizades, ao ver-se, quiçá, pela última vez no mar, dá-se por si a ter saudades de Manolin, um jovem rapaz que o tinha em apreço: «Quem me dera que o rapaz aqui estivesse». Enquanto esteve no mar o velho falava sozinho, consigo e com o mar. O mar pode ser considerado uma das personagens principais nesta obra, e como escreveu no prefácio Jorge de Sena, o escritor a quem coube o papel da tradução para português da obra, «O mar e a sua fauna vivem esplendorosamente nestas páginas».
Quando ele e o rapaz pescavam falavam só quando era necessário, pois naquele tempo em Cuba «era considerado uma virtude não falar inutilmente no mar». Na sua canoa, Santiago consegue pescar um peixe, segundo ele «tão grande que era quase como ter ao lado um barco muito maior.» Sem terra à vista, e com feridas no corpo, o velho estava amarrado ao maior peixe que jamais vira, e eis que dá-se uma luta pela sobrevivência, literalmente e metaforicamente, entre capturador e capturado. Uma das mensagens deste livro escrito de linguagem simples é de que a natureza vencerá sempre o homem, mas cabe a ele resistir, superar as vicissitudes da vida e nunca se sentir derrotado. Um livro que merece estar nas nossas estantes, obrigatoriamente.

15 comentários:

tonsdeazul disse...

Acredito que será sempre o meu preferido do autor! :)

Fernando de Sousa Pereira disse...

Excelente livro.

maekika disse...

Já o li há alguns anos e gostei! Acho que vou voltar a ler!

Sonia Isabel disse...

Um livro surpreendente, e que ns deixa agarrados do prencipio ao fim

Alexandra Guimarães disse...

Um livro obrigatório para jovens e menos jovens.

Marcos Silva disse...

Que grande obra que perdura pelo tempo, uma referencia

macy disse...

Adorei este livro! Aconselho vivamente a sua leitura!
Abraço
Teresa Carvalho

Bila Fonseca disse...

Adoro o autor e não conheço este livro. Gostaria muito de ganhar para o ler ;)

patricia dias disse...

Amo de paixão este autor

Isabel cristina Azevedo disse...

Livro que gostava de reler, quando tiver tempo.

GinBlossom disse...

Hemingway! mmmm bom!!

Dina Rodrigues disse...

O Velho e o Mar, quando fui "obrigada" a estuda-lo odiei, mas passado uns anos voltei a ler todo o livro e ja me "soube" a uma leitura espetacular!

Daniela Alves disse...

Li há alguns anos e gostei muito. Agora que me relembraram, vou voltar a ler...

lady hélène disse...

Gostei muito de ler este livro! Li há pouco tempo "Fiesta" do mesmo autor e também gostei. :)

fatima goncalves disse...

é um dos livros obrigatório cá em casa. o meu filho de 12 anos está a lê-lo agora nas ferias