quinta-feira, 3 de setembro de 2015

«O Estrangeiro», de Albert Camus

Data de Publicação: 23/07/2015
N.º de Páginas: 96

«Hoje, a mãe morreu.» Após saber do falecimento da sua mãe, Meursault viaja de Argel para estar presente no funeral. Sem demonstrar qualquer sinal de afectividade pela progenitora no enterro, chorar, por exemplo, ele é de logo olhado de lado pelos familiares que vieram prestar a última homenagem à idosa que vivia num asilo. No dia seguinte, Meursault reencontra uma antiga conhecida e com ela vai a banhos, numa praia e de noite assistem a um filme cómico. Com ela inicia, sem ter consciência, uma relacção amorosa. Por esses dias faz amizade com dois vizinhos esquisitos, entre os quais Raymond Sintès, um homem que tem quezílias com árabes. Será com o intuito de proteger Raymond que este homem pouco ambicioso e de «caráter taciturno e fechado», para quem tudo é-lhe indiferente, cometerá um assassinato assombroso.
No julgamento, o leitor vai testemunhando os contornos absurdos do desenrolar do processo de acusação, da construção do perfil psicológico de Meursault, para que os magistrados possam fundamentar a sentença final, que se vai adivinha dura. «No início da minha detenção (…) o mais duro foi virem-me à cabeça pensamentos de homem-livre.» Nessa sociedade o não demonstrar que se sente é tido como ofensivo, mais grave do que cometer um assassínio tenebroso. Será constatado que o crime maior do protagonista, um estrangeiro a si próprio, um «estrangeiro para a sociedade em que vive», palavras de Camus, não terá sido assassinar um homem, mas ter-se mostrado indiferente e insensível durante o funeral da mãe, dias antes de cometer o brutal crime.
O Estrangeiro, uma das obras-primas da literatura francesa do século xx, foi publicado originalmente em 1942. Conta nesta novíssima edição da Livros do Brasil com uma tradução de António Quadros e com um prefácio de António Mega Ferreira que revela spoilers em demasia; seria mais aconselhável o seu texto estar disposto no posfácio do livro. Desta novela relatada de modo breve, as acções sucedem-se de forma nonsense, sem o narrador-protagonista saber bem por quê. Será ele o justiçado ou o inocente, herói ou anti-heroi da história? Neste aspecto Meursault assemelha-se muito a Joseph K., personagem que Kafka escolheu para protagonizar O Processo (obra que recentemente foi alvo de reedição por parte da Livros do Brasil).
O Estrangeiro leva-nos a questionar situações incompreensíveis sobre julgamentos e punições judiciais de antes e de agora. Neste livro de Albert Camus (1913-1960), escritor consagrado com o Prémio Nobel da Literatura, podemos também reflectir sobre o papel que o absurdo e o cinismo juntos podem despoletar numa sociedade onde os valores morais contam mais do que deveria.

29 comentários:

Carla disse...

Olá,
Li este livro no mês de Agosto e gostei muito mesmo, nunca tinha lido nada de Camus e fiquei fã.
Boas Leituras.

Ana Freitas disse...

Tenho muita curiosidade sobre este livro!

Liliana Silva disse...

Nunca li nada de Camus, mas tenho muita curiosidade

Liliana Silva disse...

Nunca li nada de Camus, mas tenho muita curiosidade

macy disse...

Foi o primeiro que i do Camus, ainda era uma jovenzita .... voltei a ele diversas vezes, ainda hoje é um dos meus livros preferidos. Viciei-me no autor, este, Morte Feliz e A Peste, são 3 livros que gosto de reler.
Abraço
Teresa Carvalho

milureis disse...

Nunca li Camus, mas ando com alguma vontade de o fazer e isto porque os meus filhos estão a realizar uma peça baseada no livro "A Peste" e gostei muito, apesar de que é muito "séria" para os meus gostos!

Vânia Vieira disse...

Este será uma das minhas próximas compras!

Fábio disse...

Acabei de o comprar! Estou super curioso!

kassie disse...

O Estrangeiro, de Camus, é um dos livros da minha vida!

Unknown disse...

Já li este livro quamdo era muito jovem. Gostaria de revisitá-lo.

Joana disse...

Livro que ainda não li, mas que gostava muito de vir a ler, julgo ser muito bom.

lady hélène disse...

Tenho uma edição bem antiga ainda por ler! :)

Pedro Valente disse...

O estrangeiro

Manuel F. disse...

Este livro de que escreve parece ser interessante, mas o meu preferido de Alberto Camus é "A Peste".

manuelfreitas1980@gmail.com

JULIO PROENCA disse...

Nunca li nada de Camus, mas tenho muita curiosidade, e este passatempo vem mesmo a calhar!

A participar e a partilhar! Obg. :)

Elisabete Moutinho disse...

O livro de Camus de que mais gostei foi «L'étranger», pela reflexão a que me obrigou perante a personagem principal ser um verdadeiro estranho (estrangeiro) no seu próprio país e da ausência de qualquer sentimento da sua parte em relação ao desaparecimento da sua própia mãe. A distância e o percurso de vida no país de acolhimento quebraram irremediavelmente os laços mais profundos da personagem com as suas origens.

elisabetemoutinho@hotmail.com

Sónia disse...

Nunca li nada do autor. Penso que estw título seria um bom começo.

Grata.

Unknown disse...

Nunca li nada de Alberto Camus, mas a curiosidade é muita.
Talvez o que eu gostasse de começar por ler seria "O estrangeiro". Senão ganhar aqui vai ser certamente uma das minhas próximas compras

ceci_carvalho@live.com.pt

Obrigado e uma boa semana

Ana Machado disse...

Nunca li obras de Albert Camus, mas gostava de começar por este livro, por ser um dos mais conhecidos dele.

net.anaisa@hotmail.com

Ana Vieira disse...

Ainda não li nenhuma obra deste escritor, mas gostaria de ler "O estrangeiro", após ler as três sinopses apresentadas foi o que maior curiosidade despertou em mim e que acho que tem mais a ver com o género literário que mais me satisfaz.

Sofia disse...

Ainda não li nenhum livro deste autor mas está na minha lista há tanto tempo quanto o o meu gosto por ler autores interessantes e clássicos tem. hollowgirl1_9@hotmail.com

Alexandra Guimarães disse...

Não li nenhum livro de Albert Camus e gostaria de ler "O Estrangeiro". Email: alexa.guimaraes@gmail.com

Unknown disse...

Este é, sem dúvida nenhum, o meu livro preferido da vida. As questões existencialistas que a obra aborda foram cruciais para mim na época em que o li! Email: cfonseca910@gmail.com

Gibadois disse...

O estrangeiro, não tem comparação, é o melhor

Isabel cristina Azevedo disse...

Nunca li nenhuma obra do autor. Gostava de ler para iniciar "O Estrangeiro".crisazvd@gmail.com

Pedro Valente disse...

O estrangeiro. O tom orquestrado pela escrita de Camus coloca-nos mais do que próximos de Meursault, como se experiênciasssemos na primeira pessoa o absurdo.

pedrovalentedesousa@gmail.com

Fátima F disse...

Apesar de ser um autor famosíssimo, nunca li nada de Albert Camus, mas como "O Estrangeiro" é dos mais conhecidos dele, acho que seria a minha preferência para iniciar a leitura de uma obra sua. everesta8@gmail.com

kassie disse...

Li "O Estrangeiro" há muitos anos; lembro-me que fiquei um pouco angustiada e que me levou a reflectir em bastantes coisas. É um livro inquietante, que não nos deixa indiferentes. Recomendo vivamente!

kassie disse...

Esqueci-me de incluir o meu endereço de mail no comentário... - daliaantunes@hotmail.com