sábado, 23 de fevereiro de 2013

OSCAR 2013 l Prognósticos



Dos nomeados entre todas as categorias, foram 15 os filmes que assisti. Somando aos 9 da categoria de Melhor Filme, vi «Seis Sessões»(filme pelo qual a actriz Helen Hunt está nomeada, na categoria de Melhor Actriz Secundária), «O Mentor»(filme pelo qual o actor 
Philip Seymour Hoffman está nomeado, na categoria de Melhor Actor Secundário, e
Joaquin Phoenix, na categoria de Melhor Actor Principal),«Decisão de Risco»(filme pelo qual o actor Denzel Washington está nomeado, na categoria de Melhor Actor Principal) «O Impossível»(filme pelo qual a actriz Naomi Watts está nomeada, na categoria de Melhor Actriz Principal), «Anna Karenina» e «Hitchcock», nomeados em outras categorias.


Uma lista bem heterogénea é a que  que a Academia nomeou para este ano, como Melhor Filme. 
Dos 9, «Lincoln» poderia ter sido substituído por filmes como «O Mentor» ou «Decisão de Risco». O filme realizado por Steven Spielberg foi o único que não consegui assistir até ao fim. 
«Argo», realizado por Ben Affleck, é baseado em factos reais - aliais, como a maioria dos filmes nomeados, e está entre o meu top 3 preferidos. 
O filme francês «Amour» é aquele que mais em silêncio me deixou. Não fosse a sua banda sonora, ausente. É estranho o filme. Mas é forte. É cru. É uma fotografia tirada de muitas famílias e lares. Mas juro que faltou qualquer coisa para ser o filme, o que deva vencer os Oscar. Ah, não posso de partilhar a minha surpresa quando vi a Rita Blanco a entrar em cena. 
Sobre «A Vida de Pi», já falei aqui.
«Bestas do Sul Selvagem», em que a protagonista é Quvenzhané Wallis, 9 anos, sendo a mais jovem concorrente ao Oscar de melhor actriz principal. Fala sobre um pai, alcoólico, que ensina a filha a lutar contra todas as adversidades. É um filme que realça a miséria, o medo e estragos que da tragédia (da natureza e a humana) possa emergir. A jovem actriz, mais parece um menino no filme, mas ela expressa muitos sentimentos como a raiva, a liberdade, o medo, a vingança. Isto tendo panos de fundo naturais, e belos, mesmo que replectos de sujidade, miséria, catástrofe. 
O filme, para mim mais esperado era «Guia Para Um Final Feliz». Poucos dias antes da sua estreia nos cinemas, comecei a ler o livro de Matthew Quick, que foi o autor da história que o realizador David O. Russell adaptou para o ecrã. Não acho que o filme seja uma comédia dramática, como subjaz na categoria do filme. E acho que Robert De Niro está uma lástima na sua personagem. Jennifer Lawrence é quem sobressai ao longo da película e, mesmo que não queira tenho de fazer uma comparação com o livro, nem por metade se compara com a Tiffany do romance que li. 
«Django Libertado», não sendo a sua temática e categoria de filme o meu favorito, surpreende pela super produção, argumento, guarda-roupa, e principalmente pela banda sonora. Infelizmente nenhum dos temas está nomeada na categoria de Melhor Canção Original, nem de Melhor Banda Sonora Original. Os três temas que Ennio Morriconne compôs para o filme são sublimes, bem como o tema de abertura: Django, de Luis Bacalov. 
«Os Miseráveis», o musical. Se em «Amour», havia muito silêncio, muitas pausas, neste filme é o inverso. Anne Hathaway protagonizou uma cena absolutamente emocionante, arrepiante. Actuar enquanto actriz e cantora não é fácil. Mas ela fê-lo na perfeição, e se ela não ganhar o Oscar, eu lanço o comando com toda a força para o meu LCD. A actuação de Hugh Jackman enquanto actor, a mim não me disse absolutamente nada. É um Musical, mas não um excelente Musical. Gostaria era ver Anne Hathaway na totalidade do filme. Quem sabe poderia ela ser nomeada na categoria principal?
Só falta o filme «00:30 A Hora Negra». Deixei para o fim, pois e o meu grande favorito. Por ser um filme com um argumento interessante, que motiva estarmos com atenção a cada cena, a cada avanço, a cada alvo falhado, isto na caça a Osama Bin Laden, que durou mais de dez anos. O filme tem por base muitos factos, alguns são ficção, por por razões obvias de não revelação para o público das missões que levaram à captura do homem mais procurado de sempre dos EUA. Os realizadores Kathyn Bigelow e Mark Boal, dupla vencedora de três Oscares com o filme que arrebatou «Avatar» em 2010: «Estado de Guerra».

Melhor Realizador
Steven Spielberg por «Lincoln»
Ang Lee por «A Vida de Pi»
David O. Russell por «Guia Para Um Final Feliz»
Michael Haneke por «Amour»
Benh Zeitlin por «Bestas do Sul Selvagem»

Melhor Actriz Principal
Jessica Chastain - «00:30 A Hora Negra»
Jennifer Lawrence - «Guia Para Um Final Feliz»
Naomi Watts - «O Impossível»
Emmanuelle Riva - «Amour»
Quvenzhané Wallis - «Bestas do Sul Selvagem» 


Melhor Actor Principal
Bradley Cooper - «Guia Para Um Final Feliz»
Joaquin Phoenix - «O Mentor»
Denzel Washington - «Decisão de Risco»
Daniel Day-Lewis - «Lincoln»
Hugh Jackman «Os Miseráveis» 

 
Melhor Actriz Secundária
Amy Adams - «O Mentor»
Sally Field - «Lincoln»
Anne Hathaway - «Os Miseráveis»
Helen Hunt - «Seis Sessões»
Jacki Weaver - «Guia Para Um Final Feliz»


Melhor Actor secundário
Cristoph Waltz, «Django Libertado»
Philip Seymour Hoffman, «O Mentor»
Robert Deniro, «Guia Para Um Final Feliz»
Alin Arkin, «Argo»
Tommy Lee Jones, «Lincoln» 



Melhor Canção original
«Before My Time» - «Chasing Ice Music» (ScarlettJohansson and Joshua Bell)
«Everybody Needs A Best Friend» - «Ted» (Norah Jones)
«Pi`s Lullaby» - «A Vida de Pi» (Mychael Danna)
«Skyfall» - «Skyfall» (Adele)
«Suddenly» - «Os Miseráveis» (Hugh Jackman)

1 comentário:

lu de lúcia disse...

tudo grandes filmes, alguns ainda não tive oportunidade de ver, mas vou à busca deles!