segunda-feira, 13 de abril de 2015

O novo romance de João Tordo, «O luto de Elias Gro», é publicado pela Companhia das Letras

Para além do mais recente livro de Michel Houellebecq, que tem levantado grande celeuma em França, Submissão (Alfaguara), e conquistado os primeiros lugares de vendas nas livrarias portuguesas, o Penguin Random House Grupo Editorial publicou recentemente, sob a chancela Companhia das Letras, o romance de estreia da actriz brasileira Fernanda Torres, Fim, que segundo o conceituado jornal do Brasil Folha de S. Paulo é «um romance sobre a corrida agónica contra o tempo». Já à venda também nas livrarias encontra-se o livro infantil Eu Acredito, de David Machado e Alex Gozblau (Alfaguara), cuja apresentação decorreu na Casa Independente, no passado sábado.

Os próximos lançamentos a cargo deste Grupo Editorial serão:
A Perfumista, de Cristina Caboni (Suma de Letras) - disponível a partir de 15 de Abril;
Wayward Pines, de Blake Crouch (Suma de Letras) - disponível a partir de 22 de Abril;
O luto de Elias Gro, de João Tordo (Companhia das Letras) - disponível a partir de 22 de Abril.


Sinopse
Cinco amigos cariocas, velhos, vêem o fim aproximar-se a passos largos. Quase a cortar a meta da vida, recordam paixões e traições antigas, cobardias e vergonhas, manias e inibições. No Rio de Janeiro dos anos 60, onde se conheceram, uniu-os a folia, as festas de álcool, mulheres e droga. Pelo meio, aconteceu a vida: casamentos, separações, filhos, contas por pagar, sonhos por cumprir. Além de um passado de excessos e de um presente de frustrações, pouco têm em comum. Álvaro vive sozinho, passa o tempo de médico em médico e não suporta a ex-mulher. Sílvio é um drogado que não larga os vícios nem na velhice. Ribeiro é um rabo-de-saia atlético que ganhou nova vida ao descobrir o Viagra. Neto é o chato da turma, marido fiel até ao último dia. E Ciro, o Don Juan invejado por todos — mas o primeiro a cair. À volta destes cavaleiros cariocas, movem-se as mulheres — esposas, amantes, filhas e mães — amargas, neuróticas, ternurentas, sedutoras, enganadas e resignadas.
Juntos compõem um mosaico do Rio de antes e de agora. Há graça, sexo, sol e praia nas páginas de Fim, mas também há melancolia. Fernanda Torres, premiada actriz, estreia-se nas letras com um romance fora de série: sagaz, viril, profundo, cru, pleno de humor e vitalidade. Um livro que vai e vem como a vida e a morte: sem desculpas.

Críticas de imprensa
«Uma estreia extraordinária na difícil arte do romance. (…) Fim é um espanto. Porque ele revela uma romancista pronta e de proa. O livro parte da agonia de cinco pobres diabos para flagrar o acafajestamento derradeiro da fauna de um bairro, Copacabana. (...) Que Fim seja o seu começo.»
Mario Sergio Conti O Globo

«É raro, muito raro, raro, que um primeiro livro revele um ficcionista já pronto e acabado, que espreite o mundo com um olhar humano e ao mesmo tempo exclusivo e que tenha uma dicção adequada para traduzir em palavras o que percebe com a agudeza de todos os sentidos. Não é algo fácil de ser alcançado, mas Fernanda Torres demonstra sobejamente ter conseguido. (…) Um caloroso aplauso.»
Luiz Paulo Faccioli Rascunho

«Alternando técnicas narrativas, com destaque para magistrais instâncias de fluxo de consciência, Fim captura brilhantemente a dramática oscilação de tristezas e ilusões, grossuras e sutilezas, pequenos afazeres e grandes esperanças cujo entrecruzamento compõe as tragédias e as comédias humanas de nossos dias.»
Antonio Cicero

«O título é Fim, mas o livro trata mesmo é da vida — plena, forte, caliente e safada.»
João Moreira Salles

«Mostra a perspicácia da autora para observar a vida e retratá-la de maneira exuberante e franca em situações em que o humor sempre vem acompanhado de uma certa melancolia e desencanto.»
Veja



Sinopse
O que acontece quando um grande contador de histórias e um grande ilustrador se juntam? Uma história para sempre. Eu Acredito é um livro sobre a magia e o encanto de ser criança. Um menino que transforma as suas dúvidas em certezas e nos devolve a todos a esperança e a beleza da infância.



Sinopse
Elena Rossini, herdeira de uma tradição familiar da arte dos aromas, não confia em ninguém, não tem nenhuma certeza e deixou de acreditar no amor. Só se sente segura quando cria novos perfumes. Os aromas são o seu caminho para chegar ao coração das pessoas. Falam dos pensamentos mais profundos, das esperanças mais íntimas: a íris oferece confiança, a mimosa dá felicidade, a baunilha protege... E Elena sempre aprendeu a ser forte. Desde o dia em que a mãe partiu, abandonando-a quando ela era apenas uma criança à procura de amor e carinho, fechou as portas à emoção e conta apenas consigo.
Agora o destino volta a pôr Elena à prova: terá de começar do zero em Paris, a capital do perfume. Em pouco tempo consegue provar que tem um talento único para criar o perfume exacto para qualquer ocasião: reconquistar um amor perdido, superar a timidez, encontrar a serenidade.
Será em Paris que Elena conseguirá também abrir-se às suas emoções e seguir o caminho do amor?




Sinopse
O agente secreto E. Burke chega a Wayward Pines com a missão de encontrar dois agentes que desapareceram. Logo ao chegar, sofre um violento acidente e acorda no hospital: sem documentação, sem telemóvel, sem a pasta. À medida que a investigação avança, as dúvidas são numerosas e inquietantes. Burke afasta-se cada vez mais do mundo que pensava conhecer e do homem que pensava ser. Até que esbarra numa dúvida aterradora: será ele capaz de sair dali?



Sinopse
Numa pequena ilha perdida no Atlântico, um homem procura a solidão e o esquecimento, mas acaba por encontrar muito mais.
A ilha alberga criaturas singulares: um padre sonhador, de nome Elias Gro; uma menina de onze anos perita em anatomia; Alma, uma senhora com um coração maior do que a ilha; Norbert, um velho louco que tem por hábito vaguear na noite; e o fantasma de um escritor, cuja casa foi engolida pelo mar.
O narrador, lacerado pelo passado, luta com os seus demónios no local que escolheu para se isolar: um farol abandonado, à mercê dos caprichos da natureza - e dos outros habitantes da ilha. Com o vagar com que mudam as estações, o homem vai, passo a passo, emergindo do seu esconderijo, fazendo o seu luto, e descobrindo, numa travessia de alegria e dor, a medida certa do amor.
O luto de Elias Gro é o romance mais atmosférico e intimista de João Tordo, um mergulho na alma humana, no que ela tem de mais obscuro e luminoso.


2 comentários:

tonsdeazul disse...

Gosto muito de Fernanda Torres como atriz, que quando soube desta sua faceta fiquei logo com uma enorme vontade em ler esta sua estreia.
Pela sinopse parece-me muito bom. :)

Miguel Pestana disse...

Ela é uma actriz fabulosa, sou fã também. Vi a série toda de 'Os Normais' (inclusive tenho o livro com textos com algumas cenas da série). Mas ela é uma actriz completa, não só enquanto comediante mas noutros registos.

Já tenho o livro dela cá em casa. Em breve vou lê-lo.