terça-feira, 20 de março de 2018

«Wonderstruck - O Museu das Maravilhas», de Brian Selznick

Editora: ASA
Data de publicação: 20/03/2018
N.º de páginas: 640
Foi publicado nos Estados Unidos originalmente em 2011, mas só agora chega a Portugal, antecipando a sua adaptação ao cinema. Wonderstruck - O Museu das Maravilhas marca o regresso do autor e ilustrador Brian Selznick (n. 1966) e do seu estilo narrativo inconfundível. Neste livro, que contém 234 páginas duplas de desenhos elaborados a lápis de grafite que ocupam a totalidade das páginas, é seguido a mesma estrutura e técnica ilustrativa — em que texto e imagens se complementam — que Brian usou no aclamado A Invenção de Hugo Cabret (Ed. Gailivro, 2008), obra que catapultou o seu nome a nível internacional (muito por conta do filme baseado no livro que em 2012 Martin Scorsese realizou).
Nesta nova obra, duas histórias são contadas paralelamente, em épocas diferentes, mas que se entrecruzam. Ambas as histórias têm uma criança como protagonista: Rose Kincaid e Brian Wilson, ambos surdos.
A primeira história passa-se em 1927, em New Jersey, e nela vamos acompanhando as tentativas de uma criança para estar com a mãe, que a renega para segundo plano, em prol de uma carreira de estrelato no cinema. Salientar que a narração desta trama, que transpõe para o leitor, de forma excepcional e vívida, as emoções de tristeza e desamparo da pequena Rose, não são apresentadas por meio de texto, mas exclusivamente através de ilustrações.
Em 1977, no Minnesota, Elaine, a bibliotecária da vila do Lago Gunflint, morre num acidente de carro e deixa Ben órfão. Alguns meses após essa perda imensurável para uma criança, o jovem de 12 anos vai ao quarto da mãe e encontra na cómoda um pequeno livro azul com o título Wonderstruck, publicado pelo Museu Americano de História Natural. Enquanto vai folheando esse livro sobre a história dos museus, ele encontra um marcador com um número de telefone e uma morada em Nova Iorque. Nos pertencentes da sua mãe, ele encontra também um medalhão com a foto e o nome de um homem;  Ben calcula ser o seu pai, de quem a mãe sempre lhe escondera a identidade.
«(…) não devias ser tão tartaruga… Lembra-te de pôr o pescoço de fora… Diz o que pensas, sê corajoso.»
Estas são histórias separadas por 50 anos que convergem numa só, sobre crianças que andam à procura do lugar delas no mundo e que em prol dos seus desejos, vão bater a um museu para lá encontrarem as respostas para as suas inquietações.
Em Wonderstruck - O Museu das Maravilhas, considerado um dos melhores livros de 2011 por vários jornais e revistas literárias internacionais, o norte-americano Brian Selznick, volta a surpreender os leitores, fazendo com que eles, peça por peça, possam montar o quebra-cabeças intrincado que ele inteligentemente preparou.
Se no seu livro antecessor, este artista e visionário excepcionalmente talentoso, que já afirmou buscar inspiração para as suas ilustrações em Maurice Sendak (1928-2012), nos apresenta os primórdios do cinema, neste seu novo álbum ilustrado/gráfico, onde cada pormenor técnico conta — os desenhos a lápis são de uma qualidade magistral e revelam horas e horas de trabalho —, Brian nos conduz ao mundo dos museus, com muitas referências ao cinema e aos livros.
Referir que o livro de Selznick que sucedeu-se a este intitula-se The Marvels, e foi publicado em 2015. Esperemos que as Edições ASA estejam a pensar publicá-lo brevemente.
Na próxima quinta-feira, dia 22, o filme que inspirou-se em Wonderstruck - O Museu das Maravilhas (no Goodreads, o livro tem, no dia de hoje, uma pontuação estrondosa de 4,16 (de 5), uma média de ratings atribuídas por mais de 45 mil leitores), estreia nas salas de cinema nacionais e conta com interpretações dos jovens actores Oakes Fegley (Ben) e Millicent Simmonds (Rose), e das premiadas actrizes Julianne Moore (mãe de Rose) e Michelle Williams (mãe de Ben).

6 comentários:

Joana disse...

Gostava de ler e ver o filme.

Catarina disse...

Também quero ler e ver, não sei o que fazer em primeiro se ler o livro se ver o filme!

vera carinha disse...

Vão-me oferecer este livro

Juliana Caçador disse...

Parece muito interessante

Catarina Miranda disse...

Adorava ter este livro

Rui Miguel disse...

Adorava perder-me nas páginas deste livro. ;)