terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

«Querida Amazónia», uma exortação apostólica do Papa Francisco

Querida Amazónia, de Papa Francisco
Um texto escrito como uma carta de amor, onde abundam citações de poetas que ajudam o leitor a entrar em contato com a maravilhosa beleza da Amazónia, mas também com seus dramas diários.
Querida Amazónia convida a uma resposta específica e corajosa, ao repensar a organização e os ministérios eclesiásticos.
Chama à responsabilidade toda a Igreja católica, para que sinta as feridas daqueles povos e as dificuldades das comunidades impossibilitadas de celebrar a Eucaristia dominical, e lhes responda com generosidade.
Nesta exortação, Francisco recorda que na Amazónia a fé foi transmitida e mantida viva graças à presença das mulheres fortes e generosas, sem que nenhum sacerdote passasse por aqueles lugares.
«Dirijo esta Exortação ao mundo inteiro. Faço-o, por um lado, para ajudar a despertar a estima e solicitude por esta terra, que também é «nossa», convidando-o a admirá-la e reconhecê-la como um mistério sagrado; e, por outro, porque a atenção da Igreja às problemáticas deste território obriga-nos a retomar brevemente algumas questões que não devemos esquecer e que podem servir de inspiração para outras regiões da Terra enfrentarem os seus próprios desafios» (Papa Francisco).

Já se encontra em pré-venda o novo livro do escritor Ildefonso Falcones

Após Os Herdeiros da Terra e A Catedral do Mar, a Suma de Letras publica a 3 de Março O Pintor de Almas, o mais recente romance histórico do melhor escritor de romance histórico de Espanha neste século. Com tradução portuguesa assinada por José Vala Roberto, Ildefonso Falcones oferece-nos nesta trama emocionante, uma história de um tempo conturbado, ao mesmo tempo que narra uma trama emocionante, onde o amor, a paixão pela arte, a luta pelos ideais e a vingança combinam com mestria para recriar uma Barcelona, outrora sóbria e cinzenta, que agora caminha para um futuro brilhante, onde a cor e a esperança começam a espalhar-se pelas suas casas e ruas.

O Pintor de Almas encontra-se já em pré-venda, aqui, aqui ou aqui.
Sinopse
Barcelona, 1901. A cidade vive dias de grande agitação social. A miséria sombria dos mais desfavorecidos contrasta com a elegante opulência das grandes avenidas, onde começam a destacar-se alguns edifícios singulares, símbolo da chegada do modernismo.
Dalmau Sala, filho de um anarquista assassinado, é um jovem pintor que vive preso entre dois mundos. Por um lado, a sua família e Emma, a mulher que ama, são fortes defensoras da luta dos trabalhadores; homens e mulheres que não conhecem o medo ao exigir os direitos dos trabalhadores. Por outro lado, o seu emprego na oficina de cerâmica de Dom Manuel Bello, o seu mentor e um conservador burguês de fortes crenças católicas, aproxima-o de um ambiente em que prevalecem a riqueza e a inovação criativa.
Deste modo, seduzido pelas tentadoras ofertas de uma burguesia disposta a comprar o seu trabalho e a sua consciência, Dalmau terá de encontrar o verdadeiro caminho, como homem e como artista, e afastar-se das noites de vinho e drogas para descobrir o que realmente é importante para ele: os seus valores, a sua essência, o amor de uma mulher corajosa e lutadora e, acima de tudo, aquelas pinturas que brotam da sua imaginação e capturam, numa tela, as almas mais miseráveis que perambulam pelas ruas de uma cidade agitada pelo germe de rebelião.

Primeiro parágrafo
«Os gritos de centenas de mulheres e crianças ecoavam nas vielas da cidade velha. «Greve!» «Fechem as portas!» «Parem as máquinas!» «Baixem as persianas!» O piquete de mulheres, muitas delas com filhos pequenos nos braços ou a tentarem mantê-los seguros pela mão, apesar dos seus esforços para fugirem e juntarem-se aos um pouco mais velhos, não sujeitos a controlo, percorria as ruas da cidade velha, incitando os trabalhadores e os comerciantes, que ainda mantinham abertas as oficinas, fábricas e lojas, a interromperem a actividade de imediato. Os bastões e barrotes que empunhavam convenciam a maioria, embora não fosse rara a quebra dos vidros das montras e uma ou outra rixa.»

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

Novos livros da Bookout Editora

A Educação Hoje
Princípios educativos para crianças e jovens
de Pedro Anjos
Livro destinado a pais e educadores que responde às principais questões da educação dos nossos dias.
O presente livro faz a ponte entre as múltiplas questões levantadas por muitos pais acerca dos desafios educativos com que se defrontam na educação dos seus filhos e a experiência do autor na ajuda e aconselhamento a jovens e suas famílias nas pertinentes ansiedades que a uns e a outros inquietam.
A abertura das sociedades a novas realidades e o advento das novas tecnologias, entre outras novas realidades, transformaram irremediavelmente a forma de educar e preparar os jovens para o futuro. O grande desafio já não é a compartimentação do papel de educador e de educando, mas sim conseguir o feliz casamento de papéis em que todos ensinam alguma coisa ao outro numa interação rica de vivências e de maior realização e felicidade para todos.
Afetos - Disciplina - Autoridade - Segurança Informática - Família - Bullying - Autoestima - Valores - Papel da escola - Adolescência - Emoções - Comunicação - Educação - Autonomia - Resiliência - Liberdades - Responsabilidade - Direitos e deveres - Dependência - Saúde.
Estes e outros são os desafios educativos que são abordados neste livro, não como fórmulas mágicas, mas como conselhos e estratégias de atuação reconhecidamente eficazes na sua abordagem. Para ter sempre à mão e consultar como se de um guia de ajuda se tratasse.

Livre!
Descobrir um sentido em todos os momentos da vida
de Alex Pattakos e Elaine Dundon
A síntese do trabalho memorável de Viktor Frankl e dos seus 7 princípios para encontrar um Sentido de Vida.
Viktor Frankl, proeminente psiquiatra que inspirou milhões de pessoas em todo o mundo com a sua extraordinária história de sobrevivência nos campos de concentração nazis, encontrou o sentido de vida que o manteve vivo entre os horrores.
A partir do seu clássico O Homem em Busca de um Sentido, este livro realça a liberdade que temos de escolher a nossa atitude e concretizar aquilo que nos move, dá força e motiva em todas as circunstâncias da vida. Neste livro, Alex Pattakos e Elaine Dundon sintetizaram pela primeira vez o trabalho de Viktor Frankl em sete princípios fundamentais que traduziram em atitudes:
Exercer a liberdade de escolher a atitude - Cumprir o impulso para descobrir um sentido de vida - Descobrir um sentido em todos os momentos - Não agir contra nós mesmos - Olhar para nós mesmos à distância - Desviar foco de atenção - Ir além de nós mesmos.
Descobrir o sentido da nossa vida é descobrir o caminho da liberdade de pensamento e, na essência das nossas emoções, ficar acima das circunstâncias e realizar todo o nosso potencial humano.
A partir do seu clássico O Homem em Busca de um Sentido, este livro realça a liberdade que temos de escolher a nossa atitude e concretizar aquilo que nos move, dá força e motiva em todas as circunstâncias da vida.
Outro livro que pode interessar: A Falta de Sentido na Vida

Saúde Digestiva e Bem Estar
de Dawn Harper
Um livro que faz o percurso pelo sistema digestivo e explica como funciona de forma equilibrada e saudável. Desde a função dos órgãos e glândulas aos sintomas e distúrbios no seu funcionamento causadores do mal-estar que todos nós conhecemos, este livro diz-nos tudo o que precisamos de saber sobre doenças digestivas.

Excertos
«O tema das alergias alimentares merece um livro próprio, mas decidi incluir um breve capítulo sobre este tema porque vejo muita confusão no meu consultório.»

«O seu intestino funciona por instinto e isso dá-lhe fantásticas oportunidades de bem-estar e conforto. Agradeça-lhe por ele fazer esse trabalho por si.»

Outros livros que podem interessar: O Intestino Também Sente e Tudo de Bom para o meu Intestino.

Budismo
Ensinamentos dos grandes mestres
O Budismo surgiu na Índia no VI a.C. a partir dos ensinamentos que Siddartha Gautama desenvolveu depois de se ver confrontado pela primeira vez com a miséria, sofrimento e morte em que vivia o seu povo.
Religião não teísta, a prática budista conduz os seus seguidores através de si mesmos até ao estado de Sabedoria Interior, o estado de felicidade. Pela meditação e prática contemplativa, pelo desapego aos bens materiais, pelo controlo da mente e promoção de atitudes nobres, o indivíduo liberta-se da dor do mundo físico e encontra-se consigo mesmo em busca do seu supremo Nirvana.
O presente livro reúne os mais significativos e marcantes ensinamentos dos grandes mestres budistas ao longo do tempo, sob a forma de pequenas frases, excertos e citações que resumem a prática e a espiritualidade do budismo e inspiram uma vida de paz e o pleno da realização espiritual no percurso do Caminho até ao estado de sabedoria interior.
Como um guia de viagem, cada ensinamento aponta na direção da mente, de nós mesmos e do estado espiritual de maior felicidade e tranquilidade que todos procuramos.

Excertos
«Não desejes e não sofrerás! O desejo é a alma do sofrimento.»
Buda

«Olho por olho e o mundo acabará cego.»
Dalai Lama

«Não te baralhes num monte de pensamentos.»
Dudjom Rinpoche
Consulta outros livros da Bookout Editora em www.bookout.pt

Passatempo: «Falhar para Acreditar». de Pedro Colaço

https://www.facebook.com/silenciosquefalam/photos/a.187362988008873/2749766965101783/?type=3&theater

Passatempo a decorrer na página deste blogue no Facebook, aqui.

domingo, 16 de fevereiro de 2020

Sobre o Holocausto saem novos livros: «A Parteira Alemã» e «A Mais Preciosa Mercadoria»

Chega já no início da próxima semana a Portugal A Parteira Alemã, o romance de estreia de Mandy Robotham, autora britânica com um mestrado em Escrita Criativa pela Oxford Brookes University. Mandy Robotham é parteira e escreve sobre nascimento, morte, amor e tudo o que envolve estes momentos únicos. No Goodreads, A Parteira Alemã (A Woman of War) tem uma pontuação de 4.30, média atribuída por mais de 10 mil leitores.

Alemanha, 1944.
Anke Hoff, prisioneira do campo de concentração de Ravensbrük faz o que pode para manter vivas as suas companheiras grávidas e os bebés recém-nascidos. Mas quando o seu trabalho é notado, é escolhida para uma tarefa bem mais perigosa.
Eva Braun está grávida do filho do Führer Anke é retirada do campo para Berghof, casa refúgio de Hitler, para trazer ao mundo o filho de Eva Braun. Se recusar, a sua família morrerá. Anke vê-se perante uma escolha impossível. Dividida entre o dever de parteira e o ódio pelo regime para o qual agora trabalha.
A viver uma vida que nunca poderia ter imaginado, Anke apaixona-se por um oficial alemão e cedo o casal é confrontado com os perigos desta relação proibida.
Poderá o seu amor sobreviver aos horrores da guerra? E mais importante, conseguirão encontrar a felicidade?
Vendido em mais de dez países, finalista de uma série de prémios literários, escolhido pelo realizador Michel Hazanavicius para ser em breve um filme de animação, A Mais Preciosa Mercadoria, do dramaturgo Jean-Claude Grumberg, é uma fábula sobre Auschwitz que se inspira num episódio real e não cessa de perturbar e comover leitores em todo o mundo, sobretudo por ter essa rara qualidade de poder ser lida por pessoas de todas as idades. O facto de o autor ter assistido ao momento em que o seu pai foi levado pelos nazis para o campo de extermínio onde acabou por morrer durante a Segunda Guerra Mundial inspirou-o para a escrita de muitos textos ao longo da vida, entre eles A Mais Preciosa Mercadoria, romance que em França, onde foi originalmente publicado, já se imprimiram mais de 90 000 exemplares. A Dom Quixote lança esta obra no início de Março.

Era uma vez um casal de lenhadores muito pobres que vivia numa floresta, por onde passava um comboio de mercadorias. Como estavam em guerra e era inverno, não tinham quase nada para comer. Por isso, a lenhadora sonhava que um dia alguém lhe atiraria uma coisa boa e deliciosa do comboio. Os lenhadores não tinham filhos, o que para ele era um alívio mas, para ela, um grande desgosto.
Era uma vez um casal de judeus que viajava num comboio com dois bebés praticamente recém-nascidos. O pai sabia que não iam para um lugar nada bonito e, ao atravessar a floresta, teve uma ideia bastante insensata…

De Deepak Chopra, dois novos livros

Do mesmo autor de Supercérebro (2013), Cura Quântica (2016), O Poder da Cura (2018) e de muitos outros títulos, chegaram recentemente a Portugal outros dois livros: Tem Fome de Quê? e Reinventar o Corpo, Descobrir a Alma.
Tem fome de quê? De um alimento doce ou salgado? Ou será que tem fome de algo totalmente diferente?
Siga as orientações de Deepak Chopra, esqueça as dietas da moda, equilibre a balança a seu favor e aprenda a comer conscientemente.
Cada célula do nosso corpo, defende Deepak Chopra, é composta por dois elementos essenciais: consciência e energia. Se soubermos fazer uso do poder destes dois elementos, seremos capazes de alterar os padrões de energia distorcidos que são as verdadeiras causas do envelhecimento, da doença e do mal-estar.

sábado, 15 de fevereiro de 2020

Foi lançado romance com temática gay, do escritor francês Philippe Besson

A Sextante Editora publicou a 6 deste mês a tradução portuguesa de Arrête avec tes mensonges (2017), a obra galardoada em França com o Prémio Maison de la Presse. Deixa-te de Mentiras, do romancista, dramaturgo e guionista francês Philippe Besson, está a ser adaptado ao cinema após ter obtido um assinalável êxito internacional: Melhor Livro LGBTQ da Oprah Magazine, Escolha do Editor da New York Times Book Review e Melhor Romance Gay da The Advocate.
Este romance autobiográfico fala da dor da perda e do crescimento, dos sonhos que se acalentam quando ainda somos apenas gente em potência.
Para o New York Times Book Review, este é «um romance terno e sensual»; já segundo o Daily Mail, esta história «capta a intensidade do primeiro amor com toda a sua tristeza, desejo e sofrimento». Quem também não ficou indiferente a este livro, foi o autor de O Coração de Inglaterra (Porto Editora, 2019): Jonathan Coe, que elogia assim Deixa-te de Mentiras: «Há anos que nada me comovia tanto... Tornar-se-á um clássico.»
Sinopse
Este premiado romance de Philippe Besson, «o Brokeback Mountain francês», como o classificou a revista Elle, conta a história de amor entre dois rapazes adolescentes na França de 1984. À entrada de um hotel em Bordéus um conhecido escritor cruza-se com um jovem estranhamente parecido com o seu primeiro amor, Thomas. Olha então para trás, para uma relação nunca esquecida, uma relação escondida do último ano do liceu. O erotismo e a ternura de um primeiro amor e a dor da perda e da passagem do tempo.

Philippe Besson conta com mais de vinte livros publicados, muitos deles traduzidos para várias línguas e depois adaptados ao cinema e ao teatro. Em Portugal tem publicados Em Tempos de Guerra (Caleidoscópio, 2008) e Um Instante de Abandono (Editorial Teorema, 2010).
Outras novidades da Porto Editora: Chuva Miúda e Os Tempos do Ódio.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2020

Porto Editora publica novos livros dos escritores espanhóis Luis Landero e Rosa Montero

Luis Landero estreou-se na literatura em 1989 com o romance Jogos da Idade Tardia (Dom Quixote, 1992). Este que é considerado um dos nomes essenciais da literatura espanhola escreveu «um poderoso livro sobre a família e a memória que não vai deixar os leitores indiferentes», refere a Porto Editora, que chancela Chuva Miúda, livro considerado pela crítica espanhola como o Melhor Romance do Ano, em 2019. Este romance sobre a família, com os seus segredos e rancores, chega hoje às livrarias nacionais.

Instruções para Salvar o Mundo, Lágrimas na chuva, A ridícula ideia de não voltar a ver-te, O peso do coração e A carne são títulos de Rosa Montero que fazem parte do catálogo da Porto Editora. A estes junta-se, a 20 deste mês, Os Tempos do Ódio, um novo livro da escritora espanhola nascida em 1951. Este é um romance intenso e emocionante, no qual estão presentes temas como a passagem do tempo, a paixão como forma de vencer a morte, o amor ao próximo como fator indispensável para uma vida plena, a luta contra os excessos do poder e o horror aos dogmas.
Gabriel decide celebrar o octogésimo aniversário da mãe e, para isso, terá de contactar as irmãs a fim de reunir a família para a feliz ocasião. Todavia, estes telefonemas entre irmãos despertam rancores antigos, relembram erros do passado e põem em confronto diferentes visões do mesmo episódio. Aurora, a discreta mulher de Gabriel, é a confidente pela qual passam todas as histórias que durante anos estiveram guardadas no mais fundo de cada uma das personagens.
Independente, pouco sociável, intuitiva e poderosa, a detetive replicante Bruna Husky tem apenas um ponto vulnerável: o seu enorme coração. Dilacerada pelo súbito e inexplicável desaparecimento do homem que ama, o inspetor Paul Lizard, a replicante enceta uma investigação desesperada e em contrarrelógio que a conduz até uma colónia remota dos Novos Antigos, uma seita que nega a tecnologia, e às origens de uma trama sombria de luta pelo poder, que remonta ao século XVI. Enquanto isso, a situação no mundo é cada vez mais tumultuosa, a tensão popular aumenta e a guerra civil parece inevitável. Numa história que é, no essencial, um retrato preciso e deslumbrante dos tempos em que vivemos, Bruna terá de enfrentar o seu maior medo: a morte.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2020

Novidade PAULUS Editora: «Silêncio, O mestre dos Mestres»

Silêncio, O mestre dos Mestres, de Emiliano Antenucci
O silêncio é indispensável a todos os homens, para o próprio equilíbrio da pessoa humana, habitada pela presença de Deus, a quem a reverência e o silêncio sagrado são adequados. Mas no mundo em que vivemos, o silêncio foi enviado para o exílio. Portanto, é urgente procurá-lo e colocá-lo de volta no centro de nossas vidas. Frei Emiliano Antenucci coloca-nos em seu caminho de maneira prática e convincente. Revendo várias situações existenciais e a citar textos sugestivos de autores espirituais antigos e contemporâneos, destaca doze etapas indispensáveis para um autêntico caminho de espiritualidade marcado pelo silêncio. Madre Anna Maria Cànopi, in prefácio
Excertos
«O silêncio é um mundo maravilhoso e extraordinário, uma atmosfera, um estado de alma, uma clareira na nossa consciência, um regresso a nós mesmos para caminharmos livres». (p. 11)

«O silêncio é a "assinatura" de Deus, que precisa da tinta de Sangue do seu coração para juntá-lo ao teu.» (p. 13)

Porque invejamos o sucesso dos nossos amigos?

Um olhar novo e provocador sobre a nossa espécie, que fornece novas pistas sobre quem somos, porque fazemos o que fazemos e como podemos viver uma boa vida. Este é o pressuposto do livro O Salto Social, da autoria de William von Hippel, professor de Psicologia na Universidade de Queensland.
Quando artistas famosos vencem um Grammy ou um Óscar, não sentimos inveja porque não os conhecemos, não fazemos parte do seu grupo de amigos, e não temos intenção de competir com eles, nomeadamente por parceiros sexuais. Mas quando os nossos amigos nos superam, particularmente num domínio que valorizamos, o caso muda completamente de figura.
A seleção sexual grava esta lógica muito fundo na nossa psique, tornando incrivelmente difícil erguermo-nos acima disto sem sentir inveja do sucesso dos outros — particularmente dos que nos são próximos.
«Repleto de conhecimento sobre o caráter humano, este livro faz-nos refletir sobre o que verdadeiramente importa», diz o 'Kirkus Reviews' sobre O Salto Social, livro que a Vogais Editora publica na próxima segunda-feira (juntamente com Portugal: Breve História de Um Império).
A psicologia humana está repleta de contradições: esforçamo-nos para alcançar os nossos objetivos, mas quando somos bem-sucedidos, a nossa felicidade é passageira. Desejamos que os nossos amigos tenham uma boa vida, mas sentimos inveja se for boa demais.
Reclamamos de chefes difíceis, mas não costumamos ser melhores quando assumimos a liderança. Estas incoerências podem parecer irracionais, mas cada uma é fruto da evolução com o propósito de servir uma função vital nas nossas vidas. De facto, os aspetos mais fundamentais da nossa psicologia foram moldados permanentemente pelo «salto social» que os nossos antepassados deram ao migrarem da floresta tropical para a savana. Na sua luta pela sobrevivência, deram prioridade ao trabalho em equipa e à sociabilidade em detrimento das proezas físicas, criando um tipo inteiramente novo de inteligência.
Mesclando antropologia, biologia, história e psicologia com ciência evolutiva, O Salto Social é um olhar novo e provocador à nossa espécie que fornece novas pistas sobre quem somos, porque fazemos o que fazemos e como podemos viver uma boa vida.

Excertos
«O nosso passado profundo chama-se pré-história por uma razão; não existem registos escritos dessa época. Os cientistas descobriram uma quantidade extraordinária de fósseis e de outros pedaços de provas do nosso passado distante, mas por vezes estas peças do passado estão abertas a múltiplas interpretações. Acrescente-se que, como as estratégias e os comportamentos não fossilizam, é difícil saber exatamente como é que os nossos antepassados resolveram muitos dos problemas que enfrentaram no processo de se tornarem humanos. Apesar destes desafios, os cientistas que estudam a evolução fizeram um trabalho notável ao extrair informação de pequenas pistas, e as suas ideias brilhantes e trabalho árduo permitiram-me contar esta história relativamente completa.»

«(...) a psicologia evolutiva é uma história sobre o modo como a evolução moldou os nossos genes, que por seu lado esculpem a nossa mente, mas não é de todo uma história geneticamente determinista. O ambiente também esculpe a nossa mente, e a nossa cultura, os nossos valores e as nossas preferências desempenham um papel vital em quem nos tornamos — e para onde iremos a seguir.»

terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

«A Reclusa» é o título de um novo tríler psicológico que está quase a chegar

O romance de estreia de Debra Jo Immergut chega a Portugal no próximo dia 18. A autora trabalhou anteriormente como editora de uma revista, foi colaboradora frequente do Wall Street Journal e do Boston Globe e ensinou Redação nas universidades de Iowa e Maryland, além de o fazer também em bibliotecas e prisões.
Carregado de acção, A Reclusa (Suma de Letras) é «uma reflexão íntima e emocionante sobre a liberdade e o risco, o poder masculino e feminino e os desejos de corrupção e redenção que habitam em todos nós.»

Sinopse
Miranda Greene planeia morrer em Maio de 1999 nas instalações do estabelecimento correccional de Milford Basin, Nova Iorque. Resta-lhe cumprir mais cinquenta e dois anos de prisão por assassinato em segundo grau, sem possibilidade de liberdade sob fiança, por um acidente estúpido que nem sequer foi ela a provocar. Mas, para além de ser julgada por um juiz duro, ela era filha de um ex-congressista. Miranda tenciona ir às consultas do psiquiatra da cadeia e guardar os comprimidos que este lhe ministra até ter a quantidade necessária para pôr fim à vida.
Frank Lundquist é psiquiatra e trabalha na prisão. Antes disso, tinha um consultório particular, de sucesso, em Manhattan e casara com a mulher que amava. Perdeu tudo por causa de um terrível acidente que não provocou, apesar de se sentir culpado.
Quando Frank vê Miranda pela primeira vez, reconhece-a de imediato. No entanto, o mesmo não acontece com Miranda. Tinham feito o secundário juntos e Frank passara anos completamente apaixonado por ela. Dentro dos muros da prisão, Miranda está desesperada, atormentada pelas lembranças de uma tragédia infantil, diante de um legado familiar de moral e decisões políticas duvidosas, e ainda tentando libertar-se do amor desastroso que levou à sua queda. E também está obstinadamente determinada a manter algum controlo sobre o seu destino. Frank tornar-se-á uma poderosa esperança de absolvição e, quem sabe, até de fuga.

Outro tríler publicado recentemente pela Suma, que está a receber excelente feedback por parte dos leitores: Uma Família Quase Normal.

Estão a chegar livros escritos por médicos sobre saúde e longevidade

A 19 deste mês estarão já nos escaparates das livrarias dois livros de dois médicos controversos, que lidam há muitos anos com o impacto da alimentação e nutrição na saúde, e têm ideias muito próprias sobre como podemos aumentar a nossa longevidade.
A Oficina do Livro chancela + Vida + Saúde + Tempo, o novo livro do Doutor Manuel Pinto Coelho.
De Steven R. Gundry, médico e autor americano, pioneiro na cirurgia de transplante de coração infantil, a Self lança O Paradoxo da Longevidade.
Tudo o que precisa de saber para viver de forma saudável, plena e feliz durante mais tempo.
Neste livro o Doutor Manuel Pinto Coelho mostra-nos como, através da alteração dos nossos hábitos quotidianos, é possível viver mais, com mais saúde e mais felizes. Com gestos simples, mas empenhados, podemos reduzir a incidência e os sintomas de várias patologias, das mais simples às crónicas, bem como impedir o aparecimento de doenças mais e menos graves.
Mudar a alimentação, suplementar com nutrientes e hormonas, instituir a prática de exercício físico, são alguns dos fatores primordiais que pode alterar no seu dia a dia e assim contribuir para o seu bem-estar. Segundo o autor não podemos evitar o envelhecimento, mas conseguimos se nos cuidarmos, viver melhor cada etapa da nossa vida. Pode começar hoje.

O cirurgião cardiotorácico de renome mundial, Dr. Steven Gundry, sabe muito em que todos nós queremos viver para sempre — até atingirmos a meia-idade e testemunharmos o sofrimento dos nossos pais e até dos colegas. Como resolvemos o paradoxo de querer viver até uma idade avançada, enquanto continuamos a desfrutar dos benefícios da juventude?
Este livro inovador contém a resposta. Ao trabalhar com milhares de pacientes, o Dr. Gundry descobriu que as “doenças do envelhecimento” que mais tememos não são simplesmente uma consequência da idade. Pelo contrário, são um subproduto da maneira como vivemos as nossas vidas. Em O Paradoxo da Longevidade, ele mapeia uma nova abordagem para envelhecer bem, baseada em apoiar a saúde das nossas partes “mais antigas”: os microorganismos que vivem dentro do corpo.
Os nossos micróbios intestinais — as bactérias que compõem o microbioma — determinam amplamente a nossa saúde ao longo dos anos. Esses bichinhos estão no banco do motorista desempenhando um papel em tudo, desde o nosso peso e a aparência da nossa pele, ao desenvolvimento de doenças comuns (como a artrite) ou doenças mais graves (como o cancro ou o Alzheimer).
A boa notícia é que nunca é tarde para apoiar esses micróbios e dar-lhes o que eles precisam para que eles — e nós— possamos prosperar. O Dr. Gundry descreve aqui um plano de estilo de vida para melhorar a saúde e nos ajudar a manter plenos de vitalidade nas próximas décadas.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2020

Próximos livros de desenvolvimento pessoal: «O Poder do Agora – Pensamentos» e «Cura - O Poder da Mente»

O livro O Poder do Agora transformou-se num verdadeiro fenómeno dos nossos tempos, traduzido em mais de 30 línguas e tendo vendido milhões de cópias em todo o mundo. Já na próxima sexta-feira, pela Pergaminho, chega às livrarias portuguesas um caderno de reflexão, O Poder do Agora – Pensamentos, para ajudar o leitor a consolidar os ensinamentos de Eckhart Tolle.

A 19 de Fevereiro, um outro livro editado pela Lua de Papel dá entrada nas livrarias. Cura - O Poder da Mente é da autoria de Kelly Noonan Gores, guionista, realizadora e produtora. Gregg Braden, Deepak Chopra, Joe Dispenza e Anthony William são alguns dos médicos, cientistas e líderes espirituais que nos falam neste livro que foi inspirado no documentário da Netflix Heal, de 2017.
O Poder do Agora é um dos maiores bestsellers de espiritualidade dos nossos dias, tendo inspirado milhões de pessoas em todo o mundo a fazer uma pausa nas suas vidas (e mentes) atarefadas para descobrir a vastidão do espaço interior. Neste pequeno caderno de reflexão, Eckhart Tolle desafia-nos a prosseguir um diálogo connosco mesmos, na perpétua descoberta do imenso espaço de paz que é o momento presente.
Quando uma pessoa recebe um diagnóstico negativo fica abalada, sem capacidade de resposta. A partir daí limita-se a cumprir ordens de terceiros, e em geral segue o tratamento indicado sem nunca se questionar se existem alternativas melhores. Ao fazê-lo, porém, está a abdicar do poder que tem sobre a sua saúde, da enorme capacidade de se curar por si própria. E a verdade, como demonstra este livro, é que deveríamos ter mais confiança em nós mesmos e no nosso corpo.
Os nossos pensamentos, crenças, emoções têm um enorme impacto na nossa saúde. A epigenética prova que nem sequer os genes são imutáveis, ou seja, o nosso poder de cura vai muito mais longe do que imagina. Às vezes basta uma alimentação diferente, mais exercício físico, alguma meditação para conseguirmos activar as poderosas defesas do nosso corpo.
Neste livro, Kelly Noonan Gores acompanha a cura de duas pessoas com diagnósticos reservados; e em paralelo fala com algumas das mais brilhantes mentes do nosso tempo, de cientistas a líderes espirituais, que nos vão explicar tudo aquilo que os médicos não nos dizem.

Novos romances com o selo da Harper Collins

Das autoras que escrevem sob o pseudónimo Liv Constantine (as irmãs Lynne e Valerie Constantine), chega-nos pela Harper Collins A Última Vez que te Vi, romance que segundo a escritora Mary Kubica, é «um livro de mistério em torno de um homicídio emocionante repleto de mentiras, escândalos, obsessões e vingança.»
Da americana Kassandra Montag, já está à venda o seu primeiro romance: Depois do Dilúvio, uma saga épica que lhe valeu o Chicago Tribune Best Book of the Year.
Segredos, mentiras, traição… e homicídio.
A doutora Kate Englishtem tudo. Não só é herdeira de uma enorme fortuna como ainda tem um marido bonito e uma filha lindíssima, uma carreira de sucesso e uma belíssima mansão de fazer inveja a qualquer um.
Mas tudo isso está prestes a mudar. Numa noite, a mãe de Kate é encontrada morta, assassinada na sua própria casa. A seguir, Kate recebe uma mensagem: se achas que agora estás triste, espera e vais ver…
Evidentemente, nem tudo o que parece é na alta sociedade de Baltimore e à medida que os escândalos, infidelidades e traições são expostos, a tensão aumenta sem precedentes. O assassino pode ser qualquer um: um amigo, um vizinho, a pessoa amada, um familiar. E a Kate é a próxima na lista.

Há pouco mais de um século, o nosso mundo sofreu uma transformação tremenda. Depois de anos em que o mar subiu lentamente de nível, abrindo caminho sobre o continente, a água acabou por apagar do mapa as maiores cidades costeiras dos Estados Unidos da América, seguindo depois para o interior, até só sobrar um arquipélago de cumes montanhosos onde proliferam colónias rodeadas por mar aberto.
Myra, uma mulher teimosa e independente, e Pearl, a sua precoce filha de sete anos, pescam com o seu barco, o Pássaro, e só pisam terra para fazer trocas de provisões e de informação nos poucos redutos remanescentes de civilização. Há sete anos que Myra chora a perda da sua filha mais velha, Row, que foi raptada pelo pai depois de um dilúvio monstruoso lhes ter engolido a casa no Nebrasca. Tempos depois, durante um confronto violento com um desconhecido, Myra descobre subitamente que Rowfoi vista num acampamento distante perto do Círculo Polar Ártico. Ignorando a sua cautela habitual, Myrae Pearl embarcam numa viagem perigosa através dos gélidos mares do norte, agarradas à esperança de que Row ainda lá esteja.
Na sua viagem, Myrae Pearl unirão forças a um barco maior, um navio onde Myra surpreendentemente se vê a criar laços com os restantes tripulantes. Mas os segredos, a luxúria e a traição ameaçam-lhes o sonho. Depois de os seus destinos sofrerem uma reviravolta chocante e sangrenta, Myra tem de enfrentar o dilema de perceber se o salvamento de Row justifica colocar Pearl e os seus companheiros de viagem em risco.

domingo, 9 de fevereiro de 2020

Novidade Cultura Editora: «Amar-te à Beira-Mar», de Rodolfo Barquinha

A 25 de Janeiro foi apresentado o segundo livro de Rodolfo Barquinha, intitulado Amar-te à Beira-Mar. Chancela este romance a Cultura Editora.

Texto sinóptico
Algum dia, em alguma cama, em qualquer lugar do mundo, lerás os meus poemas. Verás que medem 1,72 m de altura, que dizem “medonho” e “brutal” como tu. Observarás que têm um sorriso contagioso, uma receita médica que salvará o mundo com a palavra amor. Notarás que seduzem com 120 pestanas em cada pálpebra, que abraçam com os lábios qualquer L&M azul e sabem a Moët & Chandon.
Quando chegar esse dia, recordarás a nossa viagem, a última música, e sentirás o perfume do mar que amámos juntos. Saberás que quando agarrei a tua mão naquela praia, não foi só para colocar-te um anel. Foi entender que aquele teu “sim”, juntamente com a poesia, formaram uma fonte inesgotável na minha inspiração, imensa como o mar, vasta como o céu e tão profunda como a eternidade.
Excerto
«Gostaria de desejar-te o melhor,
mas não posso,
porque o melhor
tu já o perdeste.»

Do mesmo autor: Um mundo só para te ver voar (Chiado Editora, 2017)