sábado, 29 de abril de 2017

«Crocodilo e Girafa - Um par de namorados a sério», de Daniela Kulot

Editora: Kalandraka
Data de publicação: 24/03/2017
N.º de páginas: 32

Uma girafa e um crocodilo, um casal de namorados que não prescinde a companhia um do outro, vivem numa casa feita às suas medidas desproporcionais. Num dia, ambos decidem ir dar um passeio. Tiram à sorte e calha deslocarem-se à Cidade-Girafa. Chegados aí, visitam uma loja de gelados e uma loja de roupa, mas o bem-estar de ambos fica comprometido devido aos olhares incisivos e sussurros dos congéneres do elemento feminino do casal. «que par tão estapafúrdio!», chegaram a comentar.
Dado o imbróglio, eles decidem ir à outra cidade, a dos Crocodilos, mas também lá as atitudes dos seus habitantes são idênticas: apontam o dedo, cochicham, riem-se…
A girafa e o crocodilo ao regressarem a casa, deparam-se com um incidente. Ao protagonizarem um feito heróico, o estigma que os elementos da mesma natureza de ambos tinham alimentado acerca da relacção deles ficará dilacerado. E onde havia um cerco tácito entre as duas cidades e entre os habitantes destas, restou apenas uma lição: devemos aceitar as diferenças e respeitar os outros, independentemente das aparências, do que é visível aos olhos.
Crocodilo e Girafa - Um par de namorados a sério, álbum publicado originalmente na Alemanha em 2006, é o quarto título publicado pela Kalandraka de uma série de cinco (o volume que fecha a colecção tem como tema o Natal), que tem como protagonistas este atípico e bem disposto casal.
A par do texto com mensagem optimista, Daniela Kulot (n. 1966) junta ao mesmo coloridas e animadas ilustrações cujos detalhes não são deixados ao acaso.
Krokodil und Giraffe - ein richtig echtes Liebespaar foi traduzido para português por Maria Hermínia Brandão, que assinou também a tradução de Crocodilo e Girafa, uma família igual às outras e Um Pequeno Crocodilo ternurento que só visto, ambos publicados em 2011.

quinta-feira, 27 de abril de 2017

«Ioga para Corrigir a Visão», de Kazuhiro Nakagawa

Editora: Pergaminho
Data de publicação: 03/02/2017
N.º de páginas: 216

Nunca as pessoas fizeram tanto uso de computadores, smartphones, videojogos e outros aparelhos digitais como actualmente. Enquanto a electrónica avança exponencialmente, mais aparelhos são afinados e desenvolvidos para satisfazerem as necessidades e também dependências dos consumidores.
Oitenta por cento de todas as informações externas que os seres humanos obtêm são visuais. Para uma pessoa, tudo começa com o que ela vê através de seus olhos.
No livro Ioga para Corrigir a Visão, do médico Kazuhiro Nakagawa, ele é peremptório a afirmar que «muitos dos que pensam que têm boa visão estão de facto a enganar-se a si mesmos.» Será este o lado menos positivo dos utilizadores de aparelhos que vêm facilitar as comunicações e proporcionar melhor qualidade e comodidade, mas que vêm igualmente potenciar problemas ligados à visão?
O programa de treino de recuperação visual deste japonês, diretor do Vision Fitness Center em Tóquio, é baseado nos princípios de controlo sensorial do ioga e em outras práticas orientais. Esta abordagem baseada no poder da mente, tem o seguinte mote: «os olhos e o cérebro são como amigos inseparáveis, que trabalham sempre juntos.»
Na primeira metade do livro, o autor faz uma introdução a este seu método que já ajudou a melhorar e combater por completo a milhares de seus pacientes muitos problemas relacionados com a visão – das 216 páginas que o livro tem, cerca de 30 são preenchidas com resultados numéricos e percentuais optométricos do antes e depois dos pacientes terem sido apresentados a este método, e com testemunhos de quem afirma ter aliviado e vencido doenças como a miopia, a hipermetropia, o estrabismo, o astigmatismo e a ambliopia; para o número de páginas do livro, esta autopublicidade revela-se desmesurada.
Só quando as técnicas e exercícios são apresentados ao leitor, é que a obra começa a ganhar interesse, pois cativar o leitor, escrever pensando nele, este japonês não o faz – e já tem mais de dez livros publicados.
Em relacção aos exercícios apresentados, como o do 'círculo/triângulo/quadrado' ou o do 'ziguezague', para quem costuma ter os olhos cansados, secos, etc., estes são muito simples de pôr em prática e têm a mais-valia de terem figuras demonstrativas ao lado a exemplificar cada passo. Pestanejar, respirar, bocejar, massajar e visualizar são passos tão simples, mas que podem melhorar muito a nossa acuidade visual.
Quase no fim do livro, são apresentadas técnicas para os leitores que passam muito tempo a ler, e por consequente, ficam com os olhos fadigados. Kazuhiro Nakagawa expõe também os passos de um exercício muito precioso, intitulado 'Leitura rápida'. Quem não gostava de ler mais e em menos tempo? Ler ao dobro da velocidade habitual e ler uma linha de uma só vez?
Ioga para Corrigir a Visão é, portanto, uma obra com muitos conselhos úteis para quem sofre de desordens oculares. Todavia, e tal como o autor refere, os exercícios para surtirem efeitos devem ser postos em prática regularmente, com paciência e perseverança. A ver vamos…


Excertos
«Para evitar a depressão, é essencial tratar bem os olhos, que são os pontos de entrada da luz.» (p. 38)

«Como são os olhos que determinam a visão, quando os seus músculos se tornam rígidos, o sentido de equilíbrio da pessoa começa a vacilar facilmente.» (p. 106)

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Novo livro de Philippe Claudel: «A árvore dos Toraja»

A árvore dos Toraja é um romance sobre um cineasta que procura entender o lugar que a morte do seu melhor amigo ocupa na sua vida. Este novo livro de Philippe Claudel chega às livrarias a 27 de Abril com chancela da Sextante Editora.

Texto sinóptico
«O que são os vivos? À primeira vista tudo parece evidente. Estar com os vivos. Mas que significa isso, verdadeiramente, estar vivo? Quando respiro e caminho, quando como, quando sonho, estou inteiramente vivo? Quando sinto o calor doce de Elena estou mais vivo? Qual é o grau mais elevado de estar vivo?»
Um cineasta no meio da vida perde o seu melhor amigo e reflete sobre o papel que a morte ocupa na nossa existência. Entre duas mulheres maravilhosas, entre o presente e o passado, na memória dos rostos amados e na luz dos encontros inesperados, A árvore dos Toraja celebra as promessas da vida.

Críticas de imprensa
«A morte. A morte para melhor evocarmos a vida e os sentimentos que ela faz nascer em nós ao longo da nossa passagem pela terra.»
Valérie Trierweiler, Paris-Match

«No centro dos seus pensamentos livres, na origem do desassossego contra o qual ele luta, fica o acontecimento que é a morte, «a força que os homens têm de sobreviver», a faculdade de «aprender a morrer», na qual acreditavam Sócrates e Montaigne, a capacidade de continuar a viver após a morte do outro.»
Nathalie Crom, Télérama

Novidades Texto & Grafia: «A Verdade sobre a Tragédia dos Romanov» e «ABC das Finanças»

No centenário da Revolução Russa, a Texto & Grafia faz chegar às livrarias um livro esgotado há algum tempo: A Verdade sobre a Tragédia dos Romanov. Esta é uma obra fundamental para a compreensão do período e da evolução do próprio processo revolucionário.

O número 6 da coleção Novos Paradigmas, ABC das Finanças, é a outra novidade de Abril. Neste livro colaboraram especialistas de renome mundial nas áreas das finanças e da gestão empresarial, que são ao mesmo tempo colaboradores regulares da Harvard Business Review Press e Harvard Business School Press.

«Finalmente Compreendo o Meu Cão», um manual de treino e educação de cães


Finalmente Compreendo o Meu Cão
Um guia completo de lazer, treino e comportamento para todas as raças, tamanhos e idades.
de Nicole Gil

Texto sinóptico
Já tem um cão ou pensa vir a ter? Quer descobrir como comunicar com ele, conhecer os métodos de ensino mais atuais e aprender a conviver no dia a dia com o seu amigo de quatro patas? Quer conhecer as diversas atividades de lazer e desporto que pode fazer com ele? Interessa-lhe saber porque é que cada vez mais pessoas se mostram entusiasmadas com o treino dos seus cães? Então leia este livro! O treino dos nossos cães é uma tarefa que pode ser muito divertida e que fortalece a nossa relação com eles. Educação é divertimento, e não é, ou não devia ser, sinónimo de punição.

Não são apenas os cães grandes, fortes e vigorosos que necessitam de ser bem treinados. Os cães não têm todos as mesmas apetências e necessidades e não tentam ser «chefe de matilha». Descubra neste livro como lidar com o comportamento do seu melhor amigo e ensine-o da forma mais adequada. 1 ano de trabalho intenso = 10 anos com um cão que quase não dá trabalho!

Alguns dos temas abordados:
Raça, género e idade
Os Cães e as crianças
Os cães e os outros animais
A educação do seu cão
Alimentação
Alojamento e férias
Treinamento passo a passo

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Neste sábado é apresentado no Funchal o livro «As Receitas da Minha Querida Mãe»

O livro de receitas As Receitas da Minha Querida Mãe, de Katia Aveiro e Dolores Aveiro, será apresentado ao público madeirense no próximo dia 22, na Fnac Madeira Shopping. O evento tem início às 16h. 
De referir que este livro publicado pela EuroImpala Books pode ser também adquirido em qualquer uma das lojas do Diário de Notícias, além de estar disponível nas livrarias.

O lançamento oficial da obra decorreu no passado dia 8, em Lisboa, e teve uma grande afluência de público (ver fotos aqui).

sábado, 15 de abril de 2017

Um novo "livro amarelo" da Guerra e Paz Editores


Apocalipse / Apocalipse
de D. H. Lawrence / João de Patmos

Texto sinóptico
Eis Jesus Cristo, resplandecente, em toda a sua glória. É com essa visão, literária, que este livro começa.
Aqui se inaugura um género novo, como com a Ilíada se inaugurou o poema épico. Que género é este? Apocalíptico, como diz Helder Guégués no breve ensaio que justifica terem-se juntado, neste livro, o texto que o apóstolo João (foi ele?) terá escrito em Patmos e o texto que sobre esse texto escreveu D.H. Lawrence?
E que coisa quer dizer apocalíptico que não seja a Revelação, essa revelação que nos chega, não pelo pensamento e pela razão, mas pelas VISÕES FULGURANTES EM QUE ESTE LIVRO É PRÓDIGO, a começar na visão do Trono onde, semelhante à pedra jaspe e sardónica, Um está sentado, esse Um, que guarda o Livro escrito por dentro e por fora, selado a sete selos, ao seu redor quatro animais cheios de olhos, por diante e por detrás.
Este é um livro profético por ser também o livro de triunfo de seres e coisas imaginárias, das coisas que nunca vimos, mas que hão-de vir, livro da Besta e da obscuridade. Eis um texto seminal, um protolivro, e o que um grande autor, D.H. Lawrence, escreveu sobre esse mesmo livro.

Sobre a colecção Livros Amarelos:
Os textos falam uns com os outros. Amam-se, negam-se, tocam-se uns aos outros.
livros amarelos é o paparazzo da história da literatura e do pensamento: revela as relações comprometedoras de textos célebres. 

«Ensaio Sobre a Cegueira» numa edição deluxe

Uma nova edição única e exclusiva de Ensaio Sobre a Cegueira, de Saramago, é publicada pela Guerra e Paz no próximo dia 19.

Seguno nota editorial, «esta é uma edição única e irrepetível que nasce da amizade do editor José da Cruz Santos com José Saramago, que o juntou a Vasco Graça Moura e Rogério Ribeiro. Desse encontro nasce esta edição raríssima do aclamado romance de José Saramago com prefácio inédito de Vasco Graça Moura e dez ilustrações do pintor Rogério Ribeiro. Uma edição que é também um «livro de arte», que bibliófilos e coleccionadores vão especialmente apreciar.»

São apenas 500 exemplares, publicados em edição de capa dura e lombada de tecido, 320 páginas + 20 a cores, que perpetuam o encontro destes três nomes, num livro que não voltará a ser editado.