sexta-feira, 21 de setembro de 2018

Novos livros sobre Einstein e o Holocausto

São 3 propostas de leitura de não-ficção, que chegarão às livrarias nos próximos dias.
A Editorial Bizâncio lança Quando Albert se Tornou Einstein, de Christian Bracco, historiador da ciência, professor na Universidade de Nice Sophia-Antipolis e investigador da equipa de História da Astronomia do Departamento Syrte do Observatório de Paris. A partir de 25 de Setembro, à venda.
O Primeiro Inimigo de Hitler - A Luta de Konrad Heiden, é o novo título das Publicações a Ferro e Aço, que a 2 de Outubro dá entrada nas livrarias. Este livro é da autoria de Stefan Aust (n. 1946), editor dos jornais Welt e Welt am Sonntag, e durante muitos anos redator-chefe da revista de notícias Der Spiegel.
O romance-verídico da fuga de um dos mais execráveis símbolos da barbárie nazi, é o que nos apresenta a Editorial Planeta no livro O Desaparecimento de Josef Mengele, de Olivier Guez, que a 2 de Outubro estará à venda.

1905. Um certo Albert Einstein, de 26 anos de idade, perito no Gabinete de Patentes e Propriedade Intelectual de Berna, aparentemente à margem do meio universitário, publica num período de alguns meses cinco artigos científicos que põem em causa os fundamentos da Física.
O objectivo desta obra é situar os questionamentos científicos e as “falsas pistas” que levaram às descobertas científicas de 1905 no contexto dos anos de estudo e formação do jovem Einstein: de 1895, ano da sua primeira tentativa de ingresso na Escola Politécnica Federal de Zurique, com 16 anos, até 1901, imediatamente antes de desistir da sua primeira tese de doutoramento.

Ninguém conheceu Hitler como Konrad Heiden. Este jovem jornalista foi o primeiro cronista do Terceiro Reich. Observou de perto e escreveu diariamente sobre a ascensão de Hitler na década de 1920 em Munique. O que torna a sua visão tão especial, é que descreve a história enquanto ela está a acontecer e não a partir da retrospetiva dos que sabem como tudo terminou. Ele viu o que outros não queriam ver. Mais tarde, Heiden utilizou os seus conhecimentos sobre Hitler e o seu domínio para escrever livros, que são até hoje uma fonte incontornável para os historiadores.
Conheça a outra faceta de Hitler nesta biografia impressionante do homem que foi o inimigo de Hitler desde a primeira hora.

Odiado, procurado pela Mossad e pelo caçador de nazis Simon Wiesenthal, o lendário e tenebroso médico de Auschwitz, Josef Mengele, nunca foi julgado ou sequer encontrado.
Acabada a guerra e depois de matar e torturar mais de 400 mil homens, mulheres e crianças, o chamado Anjo da Morte refugia--se na América do Sul. A Argentina de Perón é acolhedora, o mundo inteiro quer esquecer os crimes nazis. Mas a caçada recomeça e o criminoso tem de fugir para o Paraguai, e depois para o Brasil. O penoso errar de esconderijo em esconderijo, roído pela angústia e pela paranóia, não conhecerá tréguas... até à sua misteriosa morte.
O Desaparecimento de Josef Mengele é um espantoso mergulho nas trevas. Antigos nazis, agentes da Mossad, mulheres cúpidas e ditadores de opereta evoluem num mundo corrompido pelo fanatismo, a realpolik, o dinheiro e a ambição.
Esta é a odisseia dantesca de Mengele na América do Sul.

terça-feira, 18 de setembro de 2018

As novidades da Planeta para este mês

Para além do livro Feliz Para Sempre, estas são as propostas da Editorial Planeta para este mês.
Por que Fazemos o que Fazemos?
de Mario Sergio Cortella
Filósofo e escritor, Mario Sergio Cortella reflecte sobre uma das maiores fontes de mal-estar do mundo contemporâneo: a dificuldade em encontrar ânimo para o trabalho. Em 20 curtos capítulos, o autor aborda questões como a rotina da vida moderna, a busca pelo reconhecimento, a importância de se ter uma vida com propósito, a motivação em tempos difíceis, os valores e a lealdade – a si
mesmo e ao seu emprego.
Desafiador, incómodo, e ao mesmo tempo realista e encorajador, este livro é um verdadeiro manual para todos os que têm uma carreira, mas se questionam e reflectem sobre o presente e o futuro.


O Amor Que Sinto Agora
de Leila Ferreira
Um romance poderoso sobre o poder do amor e da transformação. Leila Ferreira, escritora e jornalista brasileira, constrói
uma narrativa de extrema sensibilidade, a partir de uma carta deixada pela sua mãe, antes de morrer.
A partir de uma história verdadeira, Leila Ferreira escreve um dos romances mais tocantes da literatura brasileira actual.
A partir de uma carta deixada por sua mãe, que já morreu, a autora faz uma viagem ao passado e ao mais profundo de si mesma, em busca de respostas e de libertação. Essa busca leva-a a visitar três países desconhecidos: México, Egipto e França, onde reencontra um sentimento que julgava nunca mais voltar a sentir: o amor.


Quarenta Dias Sem Sombra
de Olivier Truc
Livro vencedor de 22 prémios literários.
O aclamado e premiadíssimo romance de estreia do autor francês Olivier Truc é um policial étnico fascinante que nos leva a uma terra misteriosa, a Lapónia, e à descoberta da cultura e do povo Sami, um dos últimos povos indígenas da Europa, quase desconhecidos e em risco de desaparecerem.
A crítica internacional aclamou este policial e chega a referir-se a ele como um fascinante estudo antropológico com um procedimento policial convincente, que leva o leitor a mergulhar no estilo de vida dos pastores de renas sami no Norte da Lapónia, uma cultura antiga sob a pressão do mundo moderno.

Pedro Brás, fundador da Clínica da Mente, lança «Feliz Para Sempre»

Pedro Brás, CEO da maior clínica de psicoterapia de Portugal, a Clínica da Mente, e investigador do modelo psicoterapêutico HBM, explica em Feliz Para Sempre (Editorial Planeta) que os mais intensos estados de conflito interior, como a ansiedade, os ataques de pânico, as fobias, o luto, até a depressão, podem tratar-se sem recurso a medicamentos. Este livro chegou hoje às livrarias.

Sinopse
Por pior que seja a fase que estejamos a atravessar, podemos ser felizes! Dispomos de todas as ferramentas dentro de nós para o conseguir.
A infelicidade, a tristeza, a angústia não têm de ser permanentes. Não devem sequer manter-se nas nossas vidas.
Um dos conteúdos mais diferenciadores deste livro está no Compêndio dos estados de conflito e dor interior. Desde a depressão, à ansiedade, passando por fobias e ataques de pânico, Pedro Brás descreve, explica e desmistifica 19 factores que mais nos desequilibram e bloqueiam, e, em consequência, nos impedem de nos sentirmos felizes. E fornece ferramentas para que os compreendamos e nos libertemos deles (sempre sem recurso a medicação).

Excerto
«Podemos ser sempre felizes, mesmo nos momentos mais difíceis [...] O sofrimento que muitas vezes vivemos no presente é uma reacção às experiências difíceis que atravessamos nesse momento. Para que as agressões do presente não afectem a nossa felicidade, a nossa paz interior, devemos reagir e lidar com as agressões de forma a conseguir que não nos perturbem. Como?»

Romance finalista do Man Booker Prize 2017 é publicado por cá a 4 de Outubro

Passagem para o Ocidente
de Mohsin Hamid
Sinopse
Num cenário de guerra, é possível o amor e a esperança.
A história do amor furtivo de Nadia e Saeed tem lugar numa cidade não nomeada cheia de postos de controlo e de bombas, um labirinto humano à beira da rutura. Quando a guerra civil rebenta, surgem estranhos rumores sobre a existência de portas clandestinas que levam a outros países. À medida que a violência aumenta, os dois jovens sabem que têm de deixar para trás a vida que sempre conheceram, embarcando numa viagem sem regresso, vertiginosa e cheia de surpresas.
Numa mistura singular de realismo e magia, Passagem para o Ocidente é um belíssimo romance sobre refugiados, que nos leva a questionar em que mundo queremos viver.

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

«Os Testamentos Traídos», de Milan Kundera, uma das novidades da LeYa

Os Testamentos Traídos, de Milan Kundera
Ensaio escrito como um romance, ao longo das nove partes de Os Testamentos Traídos desfilam e cruzam-se as mesmas personagens: Stravinski e Kafka acompanhados dos seus curiosos amigos, Ansermet e Brod; Hemingway com o seu biógrafo; Janacek com a sua pequena nação; Rabelais com os seus herdeiros, os grandes romancistas. Todos eles são evocados para discutir diversas questões intelectuais do século XX, relacionadas sobretudo com a música e a literatura, assim como os principais temas que preocupam o autor. Kundera é um defensor apaixonado dos direitos morais do artista e do respeito devido a uma obra de arte e aos desejos do seu criador. A traição de ambos - muitas vezes levada a cabo pelos seus defensores mais apaixonados - é uma das ideias-chave deste livro brilhante e original.


Eva, de Arturo Pérez-Reverte
Em 1937, enquanto a Guerra Civil segue o seu trágico caminho, uma nova missão leva Lorenzo Falcó até Tânger, turbulenta encruzilhada de espiões, tráficos ilícitos e conspirações internacionais. O seu objetivo? Conseguir que o capitão de um navio carregado com ouro do Banco de Espanha mude de bandeira. Espiões nacionalistas, republicanos e soviéticos, homens e mulheres defrontam-se numa guerra obscura e suja, à qual acabarão por regressar perigosos fantasmas do passado. Entre eles, Eva. Agente soviética, mulher perigosa, desafio irresistível para Falcó... Após o êxito internacional de Falcó, realidade e ficção voltam a cruzar- se de forma magistral sob a pena talentosa de Arturo Pérez-Reverte, num livro onde, mais uma vez, não faltam aventuras, crime, e paixão...


Compro Bitcoin, de Philippe Herlin
O percurso da bitcoin não para de evoluir. Assistimos à emergência de uma nova tecnologia que está prestes a mudar, profundamente, a nossa economia. A bitcoin pode, sem dúvida, melhorar a rentabilidade das nossas poupanças, mas também vai modificar, ou perturbar, o nosso universo profissional e a forma como fazemos negócios. É, por isso, importante compreender o funcionamento da bitcoin e da blockchain, enumerar as suas controvérsias e saber quais são as primeiras aplicações concretas. Assistimos a uma aventura monetária e tecnológica inédita, vamos tentar aproveitá-la.

Nasce um Herói, de Jin Yong
No ano 1205, a China é um império à beira do colapso. A população, enfraquecida pela invasão da dinastia Jurchen Jin, é protegida apenas por guerreiros solitários. Guo Jing ainda não tinha nascido quando perdeu o pai às mãos do exército Jin. A mãe, grávida, conseguiu fugir para a Mongólia. É aí, no Reino do Meio, que Guo cresce entre os guerreiros nómadas de Genghis Khan. Este não era, porém, o destino que estava traçado para ele. E há quem não esqueça os desígnios do passado e jure tudo fazer para o encontrar. Pois nas origens de Guo inscreve-se a história de dois homens heroicos cuja amizade perdurará para além da morte e ecoará tragicamente nos destinos dos seus dois filhos.
Rodeado por heróis e vilões - Ke Zhen'e, um guerreiro cego; Lótus Huang, uma jovem lutadora disfarçada de rapaz; ou o temível casal composto por Dois Ventos Fétidos - Guo não imagina que o seu futuro está apenas a começar. Nasce um Herói é uma celebração da arte de contar histórias. Jin Yong aborda temas intemporais e universais - o Bem e o Mal, amor e sacrifício, honra e engano - e apresenta-nos um herói em cujo caminho se encontra a salvação do mundo.

O Sol e as Suas Flores, de Rupi Kaur
o sol e as suas flores é uma
coletânea de poesia sobre
a dor
autoabandono
honrar as raízes
o amor
emancipação
está dividido em cinco capítulos
murchar. cair. criar raízes. crescer. Florir

«Rupi Kaur reinventou a poesia... é inegável que tem a capacidade poética de articular emoções com as quais os leitores se confrontam.»
The Economist

«Rupi Kaur é a rainha da nova vaga da poesia.
The Wall Street Journal

domingo, 16 de setembro de 2018

Rentrée 2018 | Grupo Penguin Random House

Eis alguns títulos de chancelas do Grupo Penguin Random House que chegam até ao final deste mês às livrarias.
Uma História Negra
de Antonella Lattanzi
Um romance obscuro, que nos incita a pensar sobre a ambiguidade e a violência do amor.
Roma, um agosto quente. A seguir à festa de aniversário da sua filha mais nova, Vito Semeraro desaparece sem deixar rasto.
Carla e Vito casaram-se muito novos. Foram o grande amor um do outro. Amavam muito, mas o amor de Vito era obsessivo e violento. Um sorriso no rosto de Carla ou um vestido curto eram o suficiente para fazê-lo perder a cabeça e levantar-lhe a mão.
Assim que os filhos mais velhos, Nicola e Rosa, saem de casa, Carla consegue divorciar-se e muda-se com Mara, a filha mais nova, para um bairro operário nos subúrbios. No entanto, Vito continua a atormentá-la, a persegui-la e a ameaçá-la. No terceiro aniversário de Mara, cedendo à insistência da filha, Carla convida Vito para o jantar. Depois de muito tempo a família está reunida e a noite corre surpreendentemente bem. Na sequência, Vito desaparece...

O Castigo dos Ignorantes
de Michael Hjorth e Hans Rosenfeldt
A estrela de um reality show é encontrada morta numa escola, com um disparo na cabeça. Amarrado a uma cadeira de sala de aula, posicionado de frente para um canto, com orelhas-de-burro. Um exame longo, de várias páginas, pregado na parte de trás da cadeira. A julgar pelo número de respostas erradas, a vítima falhou no teste mais importante da sua vida.
Esta morte será o primeiro de uma série de assassinatos contra várias personalidades dos media e o Departamento de Investigação Criminal é chamado. Lutam para encontrar provas e finalmente Sebastian Bergman descobre pistas em chats e cartas anónimas publicadas em jornais. O autor das cartas opõe-se à falta de educação entre os modelos da nova geração e fala muito sobre os assassinatos. Sebastian desafia-o e fica claro que o seu oponente sem rosto tem informações sobre os assassinatos a que ninguém além da polícia —e do assassino —tem acesso.
Neste novo caso Sebastian Bergman e sua equipa enfrentam um serial killer complexo e tortuoso, que ameaça a própria existência da equipa.


Se Esta Rua Falasse
de James Baldwin
Se esta rua falasse, esta seria a história que contaria: Tish, 19 anos, apaixona-se por Fonny, que conhece desde criança. Fazem juras de amor e conjuram sonhos para a vida a dois. Sensual, violento e profundamente comovente, este romance é uma bela canção de blues, de toada doce-amarga, com notas de raiva e ainda assim cheia de esperança. Publicado pela primeira vez em 1974, Se esta rua falasse é o quinto romance de James Baldwin, um dos nomes maiores da literatura americana do século XX e uma das vozes mais influentes do activismo pelos direitos civis.
Um romance manifesto contra a injustiça da justiça e uma história de amor intemporal, é hoje tão pertinente e tão comovente quanto no dia da sua publicação.


A Menina que Sorria Contas
de Clemantine Wamariya
Em 1994, Clemantine e a irmã, Claire, não tiveram opção senão fugir ao genocídio do Ruanda, umas das maiores calamidades humanitárias do século XX, em que se calcula terem morrido perto de um milhão de pessoas.
Perdidas dos pais, passaram os seis anos seguintes em fuga, atravessando sete países africanos. Sempre com fome, constantemente violentadas e aprisionadas, vítimas da mais desumana crueldade, mas também testemunhas da mais abnegada bondade e dos mais inesperados sorrisos.
Quando Clemantine fez doze anos, chegou finalmente a boa notícia: ela e a irmã receberam o estatuto de refugiadas e partiram para os Estados Unidos da América
«Um testemunho de grande beleza que vai além do horror da guerra para recuperar a vivência de uma criança que tenta encontrar algum sentido na violência e no conflito. Íntimo e lírico. Leitura obrigatória.» Library Journal

«A infância idílica de Wamariya na capital do Ruanda e a loucura que se lhe seguiu são descritos com invulgar capacidade de análise e honestidade poética.» New York Times Book Review

«A rapariga que sorria contas descreve com minúcia o preço humano da guerra.» Washington Post



A Ordem do Tempo
de Carlo Rovelli
Por que nos lembramos do passado e não do futuro? O que significa o «fluxo» do tempo? Nós existimos no tempo ou o tempo existe dentro de nós? Numa prosa lírica e acessível, Carlo Rovelli convida-nos a reflectir sobre estas questões. Todos experimentamos o tempo, mas, quanto mais os cientistas aprendem sobre ele, mais misterioso permanece. Pensamos no tempo como uniforme e universal, movendo-se continuamente do passado para o futuro, medido por relógios.
Carlo Rovelli rompe com estas suposições, uma a uma, revelando um universo estranho no qual, no nível mais fundamental, o tempo desaparece. Unindo ideias da Filosofia, da Ciência e da Literatura, o autor sugere que a nossa percepção de fluxo do tempo depende da nossa perspectiva, da estrutura do nosso cérebro e das nossas emoções, mais do que do universo físico.


Penas de Pato
de Miguel Araújo
Num mundo onde toda a gente discute as grandes questões, Miguel Araújo detém-se nas pequenas questões, nos detalhes maravilhosos, nas particularidades ínfimas que nos escapam no dia-a-dia. Estes textos confirmam a inteligência e o olhar agudo que lhe reconhecemos da escrita de canções. Como um realizador, Miguel desvia a câmara dos protagonistas para se focar nos figurantes, que, ao fundo da cena, circulam, vivem, fantasiam, sem que ninguém os ouça ou lhes dê atenção.
Nestas páginas revemos as histórias da nossa vida: da tia que nos manda limpar os pés antes de entrar em casa, da nossa incapacidade para lidar com as finanças e os impressos, ou do dia em que o corpo nos grita «já não tens idade para isso». Aqui não há espaço para as glórias do músico, mas sim para as cólicas e receios antes de entrar em palco, para a canção que fugiu, para as convicções como pai ou para as surpresas que de repente nos alargam o mundo.


A Nossa Alegria Chegou
de Alexandra Lucas Coelho
Três jovens amigos, Ira, Ossi e Aurora, juntam-se num pacto: fazer uma revolução em Alendabar, o lugar onde moram, no primeiro dia do Outono. Nesse dia, uma mulher do outro lado do mundo chega a Alendabar com as cinzas do marido, trazendo o filho de ambos. E, no mesmo dia ainda, o dono de todas as terras em volta, conhecido como Rei, recebe um convidado do Oriente. O destino de todos vai cruzar-se ao longo das doze horas de luz deste equinócio.
Em A Nossa Alegria Chegou, Alexandra Lucas Coelho cria pela primeira vez um lugar, com a sua fauna, a sua flora e o que sobra de uma língua perdida. Há deuses antigos, servos, pirâmides. Também há helicópteros, mortes em série, inteligência artificial. Não sabemos em que ano a história acontece, nem em que parte da Terra. O mal de toda a parte está em Alendabar, o mal de Alendabar está em toda a parte. Mas Ira, Ossi e Aurora acreditam que o bem está na luta.


Chamar as Coisas Pelos Nomes
de Vânia Beliz
O maior obstáculo à educação sexual começa no significado que damos à palavra «sexualidade». Mais do que uma palavra que nem sempre compreendemos bem, é, isso sim, uma fatia fundamental da vida, que não deve ser ignorada por pudor, desconhecimento ou medo.
Este livro, da autoria de uma das maiores especialistas em educação sexual do nosso país, é uma ferramenta essencial para lhe dar apoio na compreensão de cada fase do desenvolvimento da criança, do adolescente e do jovem, e inclui todos os conselhos e informação de que precisa para os educar para uma vida feliz e completa.
Vamos lá falar do assunto?
_________________________
Em Outubro e Novembro, serão publicados, entre outros, os livros:
Berta Isla, de Javier Marías (Alfaguara)
A Cor Púrpura, de Alice Walker (Suma de Letras)

Por Amor à Língua, de Manuel Monteiro (Objectiva)
Frida Kahlo - Uma biografia, de María Hesse (Suma de Letras)

Tantas Palavras, de Chico Buarque (Companhia das Letras)
Becoming - A Minha História, de Michelle Obama (Objectiva)

terça-feira, 11 de setembro de 2018

Rentrée 2018 | Grupo Porto Editora

Eis 6 títulos de chancelas do Grupo Porto Editora (Porto Editora, Sextante, Livros do Brasil e Albatroz) que chegam até ao final deste mês às bancas.
A Sereia de Brighton, de Dorothy Koomson
Praia de Brighton, 1993
As adolescentes Nell e Jude descobrem o corpo de uma jovem na praia e, quando ninguém o reclama, a vítima passa a ser conhecida como A Sereia de Brighton. Três semanas mais tarde, Jude desaparece e Nell, ainda chocada com os acontecimentos na praia, fica completamente desamparada.
Passados 25 anos, Nell vive atormentada pelo passado, abandonando o emprego para descobrir a verdadeira identidade da jovem assassinada – e o que aconteceu à amiga naquele verão inesquecível.
Quanto mais perto fica da verdade, maior é o perigo. Alguém parece estar a seguir cada passo de Nell, que já não sabe em quem confiar.


Culpa, de Jeff Abbott
Há dois anos, Jane Norton esteve envolvida num acidente de automóvel que vitimou o seu amigo David e a deixou com amnésia. Ao início, todos são compreensivos em relação ao sucedido, mas o aparecimento de um bilhete de suicídio assinado por Jane no local do acidente gera a desconfiança, o ressentimento e o afastamento de todos aqueles que os conheciam.
Para além de continuar a enfrentar a suspeita e a hostilidade da cidade onde vive, o aniversário do acidente traz novos problemas: a campa de David é vandalizada e Jane começa a receber mensagens anónimas através das redes sociais. Alguém com um nome falso diz saber o que verdadeiramente aconteceu na noite fatídica de que ela não se lembra. Jane, desesperada por obter respostas a todas as questões que a atormentam, lança-se numa investigação frenética que pode, mais uma vez, colocá-la perante um destino mortífero.


A Sucessão, de Jean-Paul Dubois
Paul Katrakilis vive em Miami há alguns anos. Nunca conheceu tamanha felicidade. Ainda assim, sempre se sentiu deslocado do mundo que o rodeia. Nem a cesta punta, o desporto cuja beleza o entusiasma e que pratica como profissional, depois de abandonar uma carreira como médico, consegue libertá-lo do peso que carrega sobre os ombros.
Quando o consulado de França o chama para lhe comunicar a morte do pai, decide-se por fim a enfrentar a memória de uma família que tentou em vão deixar para trás. Porque os Katrakilis são tudo menos banais: o avô, Spyridon, ex-médico de Stálin, fugiu da URSS com uma lamela do cérebro do ditador; o pai, Adrian, médico também, sempre foi um homem estranho, aparentemente insensível; a mãe, Anna, e o seu irmão Jules, tio de Paul, descendiam de prestigiados relojoeiros e viveram como marido e mulher na grande mansão familiar. É toda uma dinastia que, de uma maneira ou de outra, sempre pareceu condenada à extinção.
Paul tem agora de voltar a França para tratar da casa. Quando lhe caem nas mãos dois cadernos negros que pertenceram ao pai, percebe enfim que sentido dar à sua herança.


Krabat - O Moinho do Feiticeiro, de Otfried Preussler
Um romance clássico da literatura de língua alemã, Krabat – O Moinho do Feiticeiro tem como pano de fundo histórico a Grande Guerra do Norte – travada entre potências que, no primeiro quartel do século XVIII, disputavam entre si a hegemonia no centro-leste da Europa.
Otfried Preussler conta-nos a história do aprendiz de moleiro Krabat e da sua luta para libertar a azenha da maldição do Mestre-moleiro. Rituais de magia negra e de liturgia cristã, sonho e realidade, amizade e ódio coexistem no mesmo espaço da narrativa, criando uma complexa teia de mistérios or desvendar e de perigos sempre à espreita.


O Mistério do Ataúde Grego, de Ellery Queen
O funeral de Georg Khalkis, famoso colecionador de arte grego, havia decorrido de modo íntimo e discreto, mas, inexplicavelmente, num clima de tensão. Foi pouco depois de os acompanhantes do cortejo fúnebre regressarem a casa que o advogado da família se apercebe de que o novo testamento que Khalkis assinara dias antes da sua morte estava desaparecido e logo notifica a polícia de Nova Iorque.
Apesar de minuciosa, pela casa, pela igreja, pelo cemitério, a busca revela-se infrutífera. Até que o inspetor Richard Queen e o seu filho Ellery, detetive amador, sugerem que se volte a abrir o caixão – e o que aí encontram não é o tão desejado testamento, mas o corpo estrangulado de um falsário recém-libertado da prisão. Que relação pode existir entre estes dois homens? Quantos crimes afinal terão sido cometidos? Um papel queimado, uma obra de Leonardo da Vinci roubada e uma pequena gralha tipográfica são algumas das pistas que Ellery Queen não deixará passar em branco e que conduzirão a um insuspeito culpado.

Ikigai - Guia Prático, de Francesc Miralles e Héctor García
Conhece a sua verdadeira razão de viver? Está a colocar em prática o seu IKIGAI?
Depois de revelarem os segredos dos centenários japoneses para uma vida longa e feliz no livro anterior, Ikigai, Viva Bem até aos Cem (um sucesso internacional publicado em 32 países), Héctor García e Francesc Miralles ensina-o neste guia a tirar o máximo proveito do seu propósito de vida de forma a viver mais e melhor.

Rentrée 2018 | Grupo BertrandCírculo

O Grupo BertrandCírculo, composto pela Bertrand, Quetzal, Temas e Debates, Círculo de Leitores, Contraponto, Pergaminho, ArtePlural, GestãoPlus e 11x17, já deu a conhecer os títulos dos livros que de Setembro até ao final do ano irá publicar.
Margaret Atwood, Eric Frattini, Stephen King, Jodi Picoult, Osho, Augusto Cury, Jayne Hardy, Jo Pratt, Cornelia Topf, Jennifer Egan, Jorge Luís Borges, José Eduardo Agualusa, Roberto Bolaño, Vasco Graça Moura, Jeffrey Archer, Niall Ferguson e Nassim Nicholas Taleb são apenas alguns nomes de autores cujos livros chegarão às livrarias nos próximos meses.
Para já, uma lista com 10 livros chegarão até ao final de Setembro às livrarias.
Chamavam-lhe Grace, de Margaret Atwood
Um dos livros mais esperados pelos leitores em Portugal. Esta extraordinária história de sexo, crime e mistério gira em torno do percurso de vida de uma das mulheres mais célebres e enigmáticas do seu tempo, Grace Marks, condenada pelo seu envolvimento no brutal homicídio do patrão e da sua governanta.

Uma Educação, de Tara Westover
A história apaixonante de uma mulher que se reinventa. Mas é também uma história pungente de laços de família e de dor quando esses laços são cortados. Com o engenho dos grandes escritores, Tara Westover dá forma, a partir da sua experiência singular, a uma narrativa que vai ao cerne do que é a educação e do que ela nos pode oferecer: a perspetiva de ver a vida com outros olhos e a vontade de mudarmos.

A Praia de Manhattan, de Jennifer Egan
O regresso da vencedora do prémio Pulitzer em 2011 com um emocionante romance histórico que tem a Grande Depressão e a Segunda Guerra Mundial em pano de fundo.
Uma narrativa extremamente cinematográfica que evoca o universo de Há Lodo no Cais - transcendendo-o em fôlego e âmbito.

Sepulcros de Cowboys, de Roberto Bolaño
Uma obra fundamental para a compreensão da génese e da evolução de um dos mais fascinantes universos ficcionais dos nossos dias. Depois de O Espírito da Ficção Científica, vem agora a público um novo conjunto de inéditos de Roberto Bolaño.

Atlas, de Jorge Luis Borges
O último livro de Borges a ser publicado em vida do autor.
«Não há um só homem que não seja um descobridor. Começa por descobrir o amargo, o salgado, o côncavo, o liso, o áspero, as sete cores do arco-íris e as vinte e tal letras do alfabeto; passa pelos rostos, os mapas, os animais e os astros; conclui pela dúvida ou pela fé e pela certeza quase total da sua própria ignorância.»

Os Novos Direitos Humanos, de Osho
O autor indiano de maior sucesso escreve sobre a Declaração Universal dos Direitos do Homem da ONU, que foi foi redigida em parte como reação aos horrores da Segunda Guerra Mundial.

Ergue-te e Mata Primeiro, de Ronen Bergman
A primeira e definitiva história das campanhas de assassínios seletivos de Israel, operadas pelas agências Mossad, Shin Bet e FDI, aclamada pelo The New York Times como «uma obra excecional, um livro humano sobre um tema incendiário».

A Praça e a Torre, de Niall Ferguson
E se tudo o que julgávamos saber sobre a história estivesse errado? Niall Ferguson propõe-nos uma nova forma de olhar o mundo: reformulando cada um dos períodos transformadores da história mundial, incluindo aquele em que vivemos, evidencia a existência de um confronto intemporal entre as hierarquias do poder e as redes sociais.

Contas-Poupança, de Pedro Andersson
«É fundamental o trabalho de Pedro Andersson como especialista da simplificação, clareza e desmistificação de mensagens e códigos próprios que os agentes, privados e públicos, insistem em utilizar em prejuízo dos utentes e consumidores.» José Gomes Ferreira

A Puxar ao Sentimento, de Vasco Graça Moura
Quatro anos depois da morte de Vasco Graça Moura, esta é uma forma de continuar a recordar uma das grandes vozes da poesia e da literatura portuguesas do nosso tempo.
Inclui fados inéditos de Vasco Graça Moura, marcados pelo seu génio melancólico e pleno de ironia - são poemas maravilhosos que, só por si, constituem uma homenagem ao fado e uma contribuição literária para abrir (ainda mais) as suas portas.

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Lançamento Parsifal: «Lisboa Nazi», do Prof. de História e museólogo Sérgio Luís de Carvalho

Lisboa Nazi
de Sérgio Luís de Carvalho
Sinopse
Pelas ruas da cidade, inúmeros portugueses lutam em prol do III Reich. Dão o rosto à causa nazi e às ideias de Hitler, espiam, polemizam e difundem defendem a Nova Alemanha fazendo suas as vitórias do Eixo e sofrendo bastante com as suas derrotas. Serão fiéis até ao fim…
Este livro leva-nos numa viagem por esses anos de chumbo e de combate, conduzindo-nos aos mesmos locais que eles frequentavam e que hoje ainda subsistem. Este livro expõe-nos também os jornais, folhetos e revistas que eles redigiam e vendiam, nos quais, com grande frontalidade, usam os mais fortes entusiásticos argumentos nazis. Desta forma, através destes homens, da sua ação e percurso, uma nova Lisboa surge aos nossos olhos. Uma Lisboa que se sumiu discretamente após a rendição alemã, mas que, todavia, ainda pode ser encontrada se soubermos para onde olhar. Uma Lisboa que ainda está lá.
Mas porque o passado persiste sob a patine do tempo, o leitor verá também o que desse tempo e desses homens resistiu até hoje. E decerto haverá muitas surpresas…

domingo, 9 de setembro de 2018

Rentrée 2018 | Grupo Presença

Eis alguns livros que marcam a reentrada literária das 4 chancelas do Grupo Editorial Presença. Os títulos já encontram-se à venda nas livrarias.
Uma Prece ao Mar, de Khaled Hosseini e Dan Williams
Conto inspirado na história de Alan Kurdi, o menino sírio de três anos que morreu afogado no mar Mediterrâneo, em setembro de 2015, quando fugia com a sua família, em busca de segurança na Europa.
No ano seguinte à morte de Alan, outras 4176 pessoas morreram ou desapareceram ao tentarem essa mesma viagem. Este livro é dedicado aos milhares de refugiados que perderam a vida no mar quando tentavam fugir da guerra e da perseguição nos seus países de origem.


Ao Sol de Tânger, de Christine Mangan
Uma história afiada como um punhal, numa estreia literária cheia de peripécias, exotismo e charme, escrita com tal mestria, que deixará o leitor arrebatado.
Direitos cinematográficos adquiridos. Filme irá contar com George Clooney na direção e Scarlett Johansson no papel principal.


Tudo o que julga saber está errado, de Richard Benson
Da próxima vez que alguém disser que Napoleão Bonaparte era baixo, ou que rapar o cabelo faz com que ele fique mais espesso, pode dizer-lhe com convicção que tudo o que julga saber está errado.


Tudo de Bom Para o Meu Cérebro, de Lene Knudsen
Depois de Tudo de Bom para o meu Intestino, a sueca Lene Knudsen está de regresso com um novo livro com receitas para estimular os neurónios!

Desafios matemáticos que te vão enlouquecer, de Inês Guimarães
Neste livro a youtuber Inês Guimarães, mais conhecida como MathGurl mostra-te como a matemática não é só para os cromos, nem fica fechada na escola. Esta ciência faz parte do teu dia a dia, pode ajudar-te a resolver valentes quebra-cabeças, a fazer um figurão entre amigos e familiares e, claro, é super divertida!

Rentrée 2018 | Grupo 20|20

Eis alguns livros que marcam a reentrada literária da 20|20 após a seally season.
Silêncio de Gelo, de Ragnar Jónasson
Um policial nórdico complexo, arrepiante e sombrio que faz lembrar as melhores histórias de suspense e mistério de Agatha Christie

Profunda Obsessão, de K. L. Slater
Uma mãe dedicada. Um novo membro da família. Uma perigosa obsessão.
«Um excelente thriller psicológico, repleto de surpresas.»  Me Loves Books

Tudo O Que Um Homem É, de David Szalay
«Estamos perante um momento raro, quando um romance faz com que olhemos para o mundo de maneira diferente, depois de o lermos - é o caso de Tudo o Que um Homem É New Statesman, Livro do Ano

Tudo Aquilo Que Não Lembro, de Jonas Hassen Khemiri
Quem decide o que é importante e o que é supérfluo?
O que se esconde por trás daquilo de que não nos lembramos?
«Um livro fascinante e misterioso. Cada frase vibra com a prosa eletrificante de Khemiri.» Herman Koch

Raposa (Dubravka Ugresic), de Dubravka Ugresic
«Uma exploração extraordinariamente perspicaz, elegante, divertida e totalmente original sobre a velha questão: "De onde nascem as histórias? "» Alberto Manguel

A Guerra Suja de Churchill, de Giles Milton
Relatada com o entusiasmo e atenção aos pormenores de Giles Milton, esta talvez seja a última grande história por contar da Segunda Guerra Mundial.