segunda-feira, 22 de julho de 2019

«Quem És Tu?», o novo livro de Lise Bourbeau

A autora bestseller Lise Bourbeau está de regresso com um novo livro: Quem És Tu?, que chega às livrarias a 2 de Agosto.

Sinopse
Todos nós já nos deparámos com a inquietante questão: quem sou eu? O leitor verdadeiramente comprometido com o caminho da autodescoberta encontrará neste livro respostas desafiantes e inesperadas a esta questão. Decifrando uma multiplicidade de sinais – incluindo coisas tão aparentemente banais como a roupa que escolhemos vestir e o sítio onde decidimos viver, mas sobretudo com base no significado das formas e do funcionamento do nosso corpo –, Lise Bourbeau oferece as ferramentas para um autoconhecimento sustentado e profundo. Descobre o sentido metafísico do teu percurso de vida e conhece finalmente Quem És Tu?

Excerto
«Este veículo que é o corpo, ou melhor, este revestimento que recobre a nossa alma não é senão a expressão do que a alma vivencia. À medida que a alma evolui, o seu veículo vai-se tornando mais perfeito. Por outras palavras, ao exerceres um domínio cada vez mais apurado sobre a tua experiência de vida, também atinges a mestria perfeita dos teus sentidos.»

Outros livros da autora já publicados pela Pergaminho:
Escuta o Teu Corpo, Alimenta o Teu Corpo, As Cinco Feridas, O Teu Corpo Diz "Ama-te"

sexta-feira, 19 de julho de 2019

Textos filosóficos entre as novidades da Edições 70


A 70, a marca editorial da Edições Almedina, já deu a conhecer os livros que até ao final deste mês irá fazer chegar aos leitores que interessam-se por Filosofia. Entre eles, destaque para O Homem Falível, do filósofo francês Paul Ricoeur, Escritos sobre o Terramoto de Lisboa, de Immanuel Kant, de Marco Túlio Cícero é lançada a obra Pequeno Manual de Candidatura Política, redigida em 64-65 a.C., e Introdução a Plotino, de Margherita Isnardi Parente, um texto crucial para se perceber a obra do filósofo de língua grega.



quarta-feira, 17 de julho de 2019

"Património Natural do Mundo", uma colecção exclusiva do Círculo de Leitores

O Círculo de Leitores apresenta "Património Natural do Mundo", uma colecção exclusiva em seis volumes que visa levar o leitor numa viagem pelos cenários naturais mais impressionantes do Planeta.
Esta colecção é uma celebração das riquezas naturais do nosso planeta, selvagens e sensíveis, em constante desafio às alterações climáticas. Com uma cuidadosa selecção de imagens de fotógrafos especializados, é-nos apresentada uma selecção dos mais belos parques nacionais, regiões protegidas e reservas da biosfera. Cada país revela os seus melhores segredos, quando nos afastamos das zonas urbanas e chegamos ao interior tranquilo e por vezes inóspito, ou ao aprazível e por vezes selvagem litoral. Observar e ler cada página é embarcar numa odisseia que nos deixa sem fôlego e nos faz descobrir os locais mais selvagens e exóticos, bem como os ecossistemas com a maior biodiversidade, a nível mundial.

«Somos a primeira geração a compreender as alterações climáticas e a última que pode fazer alguma coisa a esse respeito»
António Guterres, Secretário-geral da ONU, citando Petteri Taalas, da Organização Mundial de Meteorologia.
O 1.º volume já está à venda, é relativo à Europa do Sul e tem o seguinte texto sinóptico:
O densamente povoado sul da Europa tem para oferecer, não apenas tesouros culturais de renome mundial, como também abundante natureza intocada: inúmeros parques nacionais e zonas protegidas contribuem para a conservação de regiões fascinantes, com a sua fauna e flora tão ricas em espécies.
Espécies animais raras e ameaçadas pela extinção, como ursos, lobos, cegonhas e águias-pesqueiras, encontram, em vastas regiões de floresta e fluviais e no remoto mundo montanhoso, um habitat à sua medida. Os glaciares alpinos franceses, o tremendo Maciço do Monte Branco e os Pirenéus contrastam magistralmente com a paisagem idealizada da Provença ou da Costa Azul. Também a costa atlântica do norte de Espanha ou o Algarve, a Serra Nevada coberta de neve ou o fértil vale do Douro, juntamente com as ilhas das Canárias, da Madeira e dos Açores, compõem a natureza multifacetada do Sul. Desde sempre, somos maravilhados pela paisagem da Toscana, são míticos o Vesúvio e o Etna e inacessíveis as Dolomitas. Montanhas como o Olimpo e o Parnasso inspiraram a arte e a literatura. Em países como a Albânia, Bulgária, Croácia ou Eslovénia, a natureza surge ainda mais intocada, o mundo selvagem ainda mais intenso; aqui dominam penhascos agrestes, colinas solitárias, vales romanticamente intactos.

O 6.º título da colecção Património Natural do Mundo está previsto ser publicado em Fevereiro de 2020.
Para adquirir este livro exclusivo do Círculo de Leitores, acede a www.circuloleitores.pt, ou faz a reserva através do e-mail correio@circuloleitores.pt ou visita a página de Facebook.

«Nada é Assim Tão Grave» é o título de um dos novos livros da Pergaminho

Esta semana a Editora Pergaminho publica três livros.
Nada é Assim Tão Grave, do psicólogo catalão Rafael Santandreu

O Médico Médium: Fígado Saudável - O Diagnóstico é o título do novo livro de Anthony William, autor que tem o dom mediúnico de pressentir e diagnosticar problemas de saúde. 

Directamente da Suécia, apresentando o método Skogluft, chega-nos Uma Floresta em Casa, de Jorn Viumdal

segunda-feira, 15 de julho de 2019

Da autoria de sismóloga de renome mundial, chega um livro que aborda histórias de desastres naturais

A Vogais lança a 22 deste mês Os Grandes Desastres, um livro que conta histórias fascinantes de desastres naturais, do seu impacto na nossa cultura e das formas de pensar sobre os que estão por vir.
Terramotos, inundações, tsunamis, furacões, vulcões — todos são consequência das mesmas forças que dão vida ao planeta. Quando estas forças excedem a nossa capacidade de lhes resistir, tornam-se grandes desastres. Moldam as nossas cidades, elevam líderes, e derrubam governos e influenciam a maneira como pensamos, sentimos, lutamos, nos unimos e rezamos. A história dos desastres naturais é a história da humanidade.
A erupção vulcânica em Pompeia e o terramoto de 1755 em Lisboa desafiaram e reforçaram as visões predominantes da religião; o furacão Katrina e o tsunami de 2004 dizem-nos muito sobre governos e globalização. Com a população em regiões perigosas a crescer e o aumento global das temperaturas, os desastres naturais são cada vez mais inevitáveis. Mas as catástrofes humanas podem ser prevenidas!
Lucy Jones, doutorada em geofísica pelo MIT, oferece-nos uma perspetiva do nosso passado, como preparação para enfrentar grandes catástrofes no futuro. Ao analisar as respostas aos desastres ao longo da História, demonstra como é importante preparar as comunidades e saber responder da maneira mais eficaz possível.

Excerto
«Os terramotos estão sempre a acontecer por todo o mundo. A rede sísmica que mede os terramotos no sul da Califórnia, onde vivo e onde fiz a minha carreira de sismóloga, tem um alarme incorporado que dispara no caso de não ter havido nenhum registo de sismo no espaço de 12 horas — porque isso só pode significar uma avaria no sistema de registos. Desde que a rede entrou ao serviço na década de 1990, o sul da Califórnia nunca passou mais de 12 horas sem um sismo.
Os mais comuns são os tremores de terra mais pequenos.»

Novos livros da Bizâncio: «O Livro dos Ursos» e «O Grande Livro dos Superpoderes»

O Livro dos Ursos
de Katie Viggers

Qual o maior urso?
E qual o mais pequeno?
Qual dos ursos adora mel?
E qual deles tem os pés antiderrapantes?
Imortalizados em inúmeras personagens infantis, os ursos são animais que fazem parte do imaginário de miúdos e graúdos.
No entanto, os ursos não são personagens fictícias e este fascinante livro vai fornecer aos mais novos, e não só, informações preciosas sobre as oito espécies de ursos que existem no mundo: o urso-polar, o urso-panda, o urso-pardo, o urso-pardo-sírio, o urso-negro asiático, o urso-malaio, o urso-beiçudo, o urso-negro americano e o urso-de-lunetas.

Com as encantadoras ilustrações de Katie Viggers, vamos conhecer o mundo dos ursos, os seus gostos, os seus habitat e muito, muito mais.


O Grande Livro dos Superpoderes
de Susanna Isern e Rocio Bonilla

Todos temos algum superpoder incrível. Um superpoder que nos transforma em pessoas únicas e irrepetíveis.
O Grande Livro dos Superpoderes não é apenas um belíssimo álbum ilustrado. Não conta apenas uma história mas muitas, seguindo um padrão narrativo comum a todas.
Página a página, história a história, é-nos apresentado um protagonista e ficamos a saber qual o seu superpoder e em que consiste.
Vamos querer saber mais sobre os personagens, e isso vai levar-nos a pensar em nós próprios e procurar o reflexo da nossa singularidade na fantástica galeria de crianças que nos é apresentada.

Susanna Isern alia a sua experiência como escritora e psicóloga à sua capacidade de comunicar com os mais novos para, valendo-se de belíssimas ilustrações de Rocio Bonilla, nos mostrar o seu superpoder: o de contar histórias.
Desta autora encontram-se publicados diversos livros para os mais pequenos, entre eles A Melhor Sopa do Mundo (2017) e Pilú Pilú! (2011).

Biografia sobre a última rainha de Portugal, à venda nesta 6.ª feira

Amélia de Orleães, da historiadora Margarida Durães, tem o carimbo da Editora Temas e Debates, e chegará às livrarias no último dia desta semana.
aqui a sinopse desta biografia que se distingue das demais pelo rigor historiográfico.

sexta-feira, 12 de julho de 2019

«Fora do Labirinto», de Spencer Johnson

Editora: GestãoPlus
Data de publicação: 14-06-2019
N.º de páginas: 96
Mais de 28 milhões de pessoas em todo o mundo leram Quem Mexeu no Meu Queijo?, desde que foi publicado em 1998. O autor americano nascido em 1938 que escreveu esse livro motivacional que marcou uma época, Spencer Johnson, faleceu há dois anos. Escrito deixou a sequela do livro que abriu horizontes a milhões de pessoas para saírem das suas zonas de conforto e descobrirem como viver melhor.
Fora do Labirinto dá continuidade à história dos ratos Fungadela e Correria, e dos pequenos humanos Pigarro e Gaguinho. O que aconteceu ao Pigarro? Esta é pergunta-premissa desta continuação.
Antes era forte e orgulhoso, alguém que os outros pequenos humanos procuravam, por ser tão seguro de si. Mas desde que o seu amigo foi embora do Labirinto ‒ um lugar perigoso, cheio de recantos escuros e becos sem saída ‒, Pigarro deixou-se acomodar, e a cada dia que passava, o seu alimento foi ficando cada vez mais escasso.
Um dia, uma estranha aparece-lhe no Labirinto e com ela traz maçãs, «pedras redondas vermelhas», que oferece ao pequeno humano, para lhe saciar a fome.
Com esta nova companheira, Esperança, Pigarro percorre os lugares escuros do Labirinto, até que encontra uma saída. Ele se dá conta que «as suas crenças estavam a mantê-lo prisioneiro na sua maneira de ver as coisas», e assim, a não desfrutar de todo o seu potencial para fazer novas conquistas.
O que será que eles descobrem fora do Labirinto?
Destinado a todas as idades, tal como a prequela, Fora do Labirinto está escrito numa linguagem simples, fácil de ser interpretada, e tem uma mensagem que pode ser útil para pessoas que se sentem presas em uma rotina e não conseguem vislumbrar um caminho a seguir.
Nesta continuação da fábula sucesso de vendas à escala global, Spencer Johnson aborda o tema das crenças limitadoras: as crenças que restringem o nosso desempenho. Através das acções dos dois personagens centrais da história, o autor põe-nos a reflectir sobre o papel que têm as nossas crenças em todas as conquistas que obtivemos.
A grande mensagem de Fora do Labirinto é que não há limites para aquilo em que podemos acreditar, se decidirmos pensar “fora da caixa”.
Da bibliografia de Spencer Johnson contam títulos de sucesso como Sim ou Não (Gestão Plus), O Gestor-Minuto (Gestão Plus) e A Mãe-Minuto (Pergaminho).

Gradiva publica o romance de estreia de Kazuo Ishiguro

As Pálidas Colinas de Nagasáqui
de Kazuo Ishiguro

Sinopse
Neste seu aclamado romance de estreia, Kazuo Ishiguro conta a história de Etsuko, uma mulher japonesa que agora vive sozinha em Inglaterra, chorando o suicídio recente da filha.
Refugiando-se no passado, dá consigo a reviver um Verão particularmente quente em Nagasáqui, quando ela e as amigas se esforçavam por reconstruir as vidas após a guerra. Mas, quando recorda a sua estranha amizade com Sachiko – uma mulher abastada reduzida pela guerra à indigência –, as memórias assumem um tom inquietante.

«Um enigma arrepiante e irrepreensivelmente engendrado.»
Sunday Times

«Um romance delicado e irónico, com personagens extraordinariamente convincentes.»
New York Times Book Review

«Um génio original e notável.»
New York Times

Conhece aqui outros livros do Prémio Nobel da Literatura 2017.

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Suma de Letras publica «1793», do autor sueco Niklas Natt och Dag

No seu romance de estreia, 1793, o sueco Niklas Natt och Dag pinta um retrato convincente do final do século XVIII em Estocolmo. Através dos olhos dos diferentes narradores, o verniz em pó e a pintura da época são retirados para revelar a realidade assustadora, mas fascinante, escondida além dos factos secos dos textos de História. Com um pé firmemente cravado na tradição literária e outro na literatura de suspense, este autor cria um género inteiramente novo de tríler histórico sugestivo e realista.

Sinopse
1793, Estocolmo. Quatro anos após da tomada da Bastilha e mais de um ano depois da morte de Gustavo III da Suécia, as guerras estrangeiras esvaziaram os tesouros e a nação é governada com mão de ferro pelo senhor do reino. Na esteira do falecimento do velho rei, a confiança transformou-se num bem escasso. A paranóia e as conspirações sussurradas abundam em todos os cantos. Uma promessa de violência estala no ar enquanto os cidadãos comuns se sentem cada vez mais vulneráveis aos caprichos dos que estão no poder.
Quando Mickel Cardell, um ex-soldado aleijado e ex-guarda noturno, encontra um corpo mutilado flutuando no lago malcheiroso da cidade, sente-se compelido a dar ao homem não identificado um enterro condigno. Para Cecil Winge, um brilhante advogado que é também detetive consultor na Polícia de Estocolmo, um corpo sem braços, pernas ou olhos é um enigma formidável e uma última oportunidade de acertar as coisas antes de perder a sua batalha com a morte. Juntos, Winge e Cardell vasculham Estocolmo para descobrir a identidade do corpo, encontrando o lado sórdido da elite da cidade.
1793 retrata a capacidade de se ser cruel em nome da sobrevivência ou da ganância - mas também a capacidade para o amor, a amizade e o desejo de um mundo melhor.

Elogios da crítica
«Complexo e rico. Além dos personagens fascinantes, a maior força de Natt och Dag pode estar na selecção dos pormenores que usa para descrever uma cidade com dois séculos de história. Este é o primeiro romance publicado de Natt och Dag, mas parece demasiado habilidoso e seguro para ser a sua primeira obra.»
New York Journal of Books

«Um mistério histórico soberbamente pormenorizado.»
Irish Times

«Um romance de estreia notável. A mais recente sensação escandinava.»
Sunday Times

«No seu romance de estreia, Natt och Dag examina os efeitos de um assassinato brutal sobre aqueles que o investigam - e explora as causas psicológicas do crime... Arrepiante e instigante. Implacável, bem escrito, impossível de largar.»
Kirkus

«É cedo para escolher os melhores livros do ano, mas 1793, a estonteante estreia de Niklas Natt och Dag, será, com certeza, um deles.»
The Washington Post

sexta-feira, 5 de julho de 2019

«Acredita em Mim», de JP Delaney

Editora: Suma de Letras
Data de publicação: 08/05/2019
N.º de páginas: 424
Às vezes, quando se usa uma máscara durante muito tempo, ela cola-se à nossa pele.
Claire Wright tem 25 anos e é britânica. O seu sonho é tornar-se uma grande actriz e foi por isso que foi estudar Teatro para Nova Iorque. Para pagar os estudos e a renda do apartamento que divide com uma amiga, ela faz trabalhos ocasionais para uma firma de advogados de divórcios. Pregar ciladas a homens infiéis não é exactamente um trabalho que esta mulher ambiciosa, muito perspicaz e atraente tem dificultar em concretizar.
Um dos seus novos alvos, é um professor universitário cuja mulher, Stella Fogler, lhe incumbe a tarefa de seduzi-lo. Patrick Fogler resiste à tentativa de sedução de Claire, mas no final dessa noite, a sua esposa é encontrada assassinada num quarto de hotel, logo após ter feito contas com Claire, pelo serviço prestado.
O detective Frank Durban e a psicóloga forense Kathryn Lathan ficam encarregues de investigar este homicídio, e de imediato é delineada uma operação policial no mínimo rocambolesca.
A britânica, que assume ter um lado negro que não revela a ninguém, não lida bem com a rejeição e diz fazer «qualquer coisa para continuar a representar» [mesmo fora dos palcos]. Até que ponto é capaz de ir uma mulher impulsiva, com problemas financeiros, que gosta de ser o centro das atenções, para atingir os seus propósitos? Para conseguir um visto de residência permanente na cidade que para ela representa o sonho americano, Claire Wright será capaz de matar? Qual o papel que a protagonista desta história terá no esquema policialesco?
Acredita em Mim é um romance que tem como principais temas a obsessão, a vingança e a paranóia. A história tem uma narradora-protagonista não confiável, com um carácter dúbio, que seduz o leitor ao longo da trama. Neste novo tríler psicológico (Believe in Me, lançado originalmente em Julho de 2018) do escritor JP Delaney, nada é o que parece. A história é sinuosa, por vezes obscura, é muito imaginativa e imagética, com muitas voltas e reviravoltas na acção, o que proporciona um ritmo de leitura acelerado.
Acredita em Mim tem todos os ingredientes para ser transposto para o cinema, tal como A Rapariga de Antes, romance anterior do autor que chegará brevemente à grande tela pelo realizador Ron Howard.
Referir que o enredo de Acredita em Mim foi baseado no romance The Decoy, livro que JP Delaney (autor que tem utilizado vários pseudónimos, entre eles Anthony Capella e Jonathan Holt, para assinar vários romances) publicou em 2001 em nome próprio, Tony Strong (n. 1962).
The Perfect Wife é o título do próximo tríler psicológico deste autor e será publicado em Inglaterra e nos Estados Unidos no próximo dia 6 de Agosto. C. J. Tudor e Mary Kubica, autoras de tríleres psicológicos de sucesso, já manifestaram os seus elogios sobre esse romance, que esperemos que a Suma de Letras apresente também aos leitores portugueses.

quinta-feira, 4 de julho de 2019

Uma nova sequela de «Chocolate», de Joanne Harris

Vinte anos depois da publicação de Chocolate, o grande romance que fez da inglesa Joanne Harris uma escritora internacionalmente reconhecida, chega-nos um novo livro que dá continuidade à história de Vianne Rocher, na pitoresca vila francesa do sul de França. Segundo as Edições Asa, que chancelam a obra, este é «um romance sobre a força do passado, o poder da memória e a aceitação das marcas que a vida deixa em nós»
De referir que A Menina Que Roubava Morangos é o 4.º livro da 'série Chocolate' que tem como protagonista Vianne Rocher - após Sapatos de Rebuçado e O Aroma das Especiarias.
Sinopse
O coração de Vianne Rocher, a encantadora e inquieta maga do chocolate, parece ter finalmente serenado. A vila de Lansquenet-sous-Tannes, que em tempos a rejeitou, é agora o seu lar. Com a filha mais velha, Anouk, a viver em Paris, Vianne dedica-se por inteiro à chocolaterie e a Rosette, a filha mais nova, a sua menina “especial”. A acompanhá-las estão os seus amigos do rio, os extravagantes vizinhos, e o circunspecto padre Reynaud.
Mas o vento, quando sopra, traz sempre mudanças... E estas começam com a morte de Narcisse, o temperamental florista. A vila fica em alvoroço pois Narcisse deixa não só uma surpreendente herança a Rosette, mas também uma inesperada confissão.
Nada voltará a ser como dantes. E quando uma loja nova abre onde antes se dispunham as magníficas flores de Narcisse, tudo parece um prenúncio de algo: um confronto, alguma turbulência, ou talvez até... um crime?
Conseguirá Vianne impedir que o vento leve tudo o que lhe é mais querido?
Há magia no ar. Há luz e sombra. Vingança e amor.

Os livros mais recentes da Editora Temas e Debates

Já estão à venda, com o selo da Temas e Debates, os livros Poder, Prazer e Lucro, O Livro do Porquê, A Geografia do Infante D. Henrique e Aventuras de um Jovem Naturalista.
À venda a 19 deste mês estará a biografia da última rainha de Portugal, Amélia de Orleães.

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Novos livros de ficção e não-ficção da Gradiva e Presença

As Mulheres do Coro de Chilbury, de Jennifer Ryan
Kent, 1940. Chilbury, uma idílica povoação inglesa, vê os seus homens - maridos, filhos, irmãos - partirem para a guerra. Entregues a si próprias, as mulheres da aldeia confrontam-se com uma outra batalha: salvar o coro local que o pároco decidiu encerrar, para, através do canto, desafiarem o grande conflito que se trava na Europa. e com esse objetivo juntam-se à carismática Miss Primrose Trent, professora de música recém-chegada a Chilbury.
Entre elas, destacam-se Mrs. Tilling, uma viúva tímida; Venetia, a sedutora da aldeia; Silvie, a jovem refugiada judia; Edwina, uma parteira pouco escrupulosa que procura fugir de um passado sórdido. Bisbilhotices, ciúmes, medos, angústias, amores secretos marcam este romance inspirador e profundamente comovente que explora o modo como uma pequena comunidade consegue enfrentar as vicissitudes e os horrores de uma guerra violenta e destruidora.
Entre risos e lágrimas, e inspirando-se nas prodigiosas histórias que lhe contava a avó, que viveu no período da 2ª Guerra Mundial, numa pequena aldeia de Kent, Jennifer Ryan explora as almas deste coro que nenhum leitor jamais irá esquecer.
Um pequeno tesouro, inteligente e com um humor tipicamente britânico.

A Verdadeira Vida, de Adeline Dieudonné
Era uma casa igual às outras do quarteirão. Ou quase. a deles tinha quatro quartos: o seu, o do irmãozinho Gilles, o dos pais e o dos cadáveres. o pai é amante de caça grossa. A mãe é transparente, submissa aos humores do marido. Os sábados passam-se a brincar na sucata ali perto. Até que um dia se dá um acidente violento que faz tremer o presente.
Desde então, Gilles deixa de rir. Ela, com os seus dez anos, deseja anular tudo, voltar atrás. Apagar esta vida que lhe parece uma má versão da outra. a verdadeira. Então, em jeito de guerreira dos tempos modernos, arregaça as mangas e mergulha de cabeça, antes de todos os outros, na desordem da existência. Esquiva-se, passa entre os golpes e mantém a esperança insensata de que um dia tudo se recomporá.
Com uma escrita divertida e fulgurante, Adeline Dieudonné apresenta-nos personagens rebeldes, inteiras, num universo ácido e sensual.
Um romance que é um murro no estômago.

O Cosmo da Mente, de Edoardo Boncinelli e Antonio Ereditato
Quantos anos tem a vida?
Qual é o destino das estrelas?
Se o átomo é feito de vácuo, o que é que sustém o mundo?
Por que razão só os neurónios dos humanos, entre os de todas as espécies, são capazes de descrever os neutrinos?
Edoardo Boncinelli e Antonio Ereditato contam-nos a aventura do Universo: desde a explosão inicial até à composição das galáxias, desde o princípio do espaço-tempo à evolução do Homo sapiens e ao surgimento da consciência humana. 

Mentes Tirânicas, de Dean A. Haycock
Nem todos podem tornar-se tiranos. É necessário que exista uma confluência particular de eventos para se ganhar controlo absoluto sobre países inteiros.
Em primeiro lugar, tem de se ter nascido com o potencial de desenvolver traços brutais de personalidade: narcisismo, maquiavelismo, psicopatia, alguns elementos de paranoia e uma ambição extraordinária.
Em segundo lugar, a predisposição para um comportamento anti-social tem de ser desenvolvida e fortalecida na infância, através de abusos físicos e/ou psicológicos ou vivendo tempos difíceis.
Por último, a chegada à idade adulta tem de ocorrer no seio de um sistema político instável.
Entrar nas cabeças dos líderes estrangeiros e dos terroristas é uma forma que os governos têm de compreender, prever e influenciar as suas acções. Os perfis psicológicos podem ajudar-nos a entender o impulso para dominar, subjugar, torturar e assassinar.
Mentes Tirânicas mostra-nos que conhecer estes traços pode permitir-nos conhecer as suas motivações e acções, assim como prever o seu comportamento e até impedi-lo.
Numa altura em que os líderes autoritários proliferam no mundo, conhecer os exemplos mais extremos de comportamento tirânico deveria constituir uma séria advertência para todos os que revelam indiferença face às ameaças do extremismo político.