domingo, 4 de dezembro de 2016

Agendas solidárias 2017

Agenda Solidária IPO
Ilustrações de João Vaz de Carvalho
Ao comprar está a ajudar o Serviço de Pediatria do IPO

Porque é que esta agenda é para si?
Porque são 365 dias solidários com as crianças e adolescentes com cancro, tratadas e acompanhadas no Instituto Português de Oncologia de Lisboa Francisco Gentil.

Doze meses marcados pelos textos de doze grandes personalidades portuguesas, que dão conta de uma memória marcante, que fez a diferença no seu percurso pessoal e na sua dádiva aos outros. Ilustrados pelo pintor João Vaz de Carvalho, que ofereceu o seu enorme talento a este projeto solidário.

Textos presentes na agenda:
Marcelo Rebelo de Sousa – «O choque da desigualdade»
Nuno Markl – «O meu primeiro “ato público”»
Elvira Fortunato – «Tornar a ficção em realidade»
Clara de Sousa – «As palavras desconhecidas»
Margarida Pinto Correia – «O poder de transformar»
Boss AC – «Quando preciso de me encontrar»
Sandra Correia – «A noite dos milagres»
Afonso Cruz – «Para o sótão e mais além»
Victoria Guerra – «As palavras do meu pai»
Prof. Sobrinho Simões – «Entre os seus, até ao fim»
Marisa Matias – «Um encontro para a vida»
Catarina Furtado – «Em nome das mães»



Agenda 2017 
Todos Diferentes, Corações Iguais
Ilustrações de Bruno Gaspar
Comece a planear 2017 com a agenda Todos Diferentes, corações Iguais, uma iniciativa para comemorar o Dia Internacional da Pessoa com Deficiência que junta os desenhos do ilustrador Bruno Gaspar às frases de Mafalda Ribeiro, oradora motivacional e escritora na defesa de um mundo mais inclusivo. 

Uma agenda que nos relembra que é possível assumir as nossas semelhanças, aceitando as nossas diferenças. 

Com cada compra reverte 1€ a favor da AFID.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

«O Espião da Sibéria», romance de espionagem de Lionel Davidson, é um dos novos lançamentos da Lua de Papel


O Espião da Sibéria
de Lionel Davidson

Texto sinóptico
MONTES KOLIMÁ, SIBÉRIA. Enterrada nos gelos eternos esconde-se uma estação científica tão secreta que nem sequer existe oficialmente. Quem lá entra, nunca mais sai. Mas Efraim Rogachev tem um plano.

UNIVERSIDADE DE OXFORD. O pacato professor Lazenby recebe uma mensagem encriptada. O autor é um brilhante cientista soviético desaparecido há décadas sem deixar rasto.

LANGLEY, SEDE DA CIA. Os satélites americanos captam uma explosão num bunker siberiano até ali desconhecido; as imagens são aterradoras.
Nos serviços secretos soam os alarmes. É preciso infiltrar um agente nos Montes Kolimá, um inacessível inferno de glaciares onde a temperatura ronda os 50 ºC negativos. Só um homem parece apto para a missão: Johnny Porter, poliglota, antropólogo, professor universitário e da etnia Gitksan. Os gitksan partilham com os nativos siberianos a mesma língua, a mesma cor de pele, a mesma sobre-humana resistência ao frio. E só um nativo conseguirá atravessar quilómetros de gelo, fintar tribos hostis, chegar ao coração do mistério.



O Espião da Sibéria, um dos mais trepidantes thrillers do século XX, esteve durante décadas “adormecido”. Mas um editor redescobriu-o e voltou a publicá-lo timidamente. O que se seguiu foi um regresso fulgurante às listas de livros mais vendidos e às listas de “melhores livros do ano”. Hoje assistimos ao renascimento crítico de um autor de culto – Lionel Davidson – e de toda uma obra onde se cruza o melhor de dois géneros: a grande aventura e o romance de espionagem.

“O melhor thriller que li até hoje.”
Philip Pullman

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Em Maio de 2017 chega às livrarias o 2.º romance de Paula Hawkins

A Topseller, chancela do Grupo 20|20 Editora, anunciou hoje que publicará o próximo romance de Paula Hawkins, Into the Water (título original), em Maio de 2017.
Sobre o novo romance, a editora americana da autora, Sarah MacGrath, comenta:
«Into the Water é de leitura urgente, surpreendente e profundamente satisfatória. Paula Hawkins prende o leitor com a intriga, mas tal como no seu último thriller, o mistério do homicídio é apenas uma parte de um todo maior, apenas um dos muitos elementos com os quais os leitores se sentirão envolvidos.
Tal como A Rapariga no Comboio explora o voyeurismo e a auto-perceção, Into the Water interroga a inconsistência da memória e as formas perigosas que o passado tem de se estender até ao presente e ao futuro.»
 

Passatempo: Livro de Afonso Cruz + Relógio Timberland

https://www.facebook.com/silenciosquefalam/photos/a.187362988008873.45353.178784915533347/1188611177884044/?type=3&theater
Este passatempo conta com o patrocínio da Timberland e da Editora Companhia das Letras.

O vencedor ou vencedora deste passatempo receberá de forma gratuita um exemplar do livro Nem Todas as Baleias Voam, do premiado escritor português Afonso Cruz, e um Relógio Timberland Henniker II – TBL14816JLBN07, com correias em pele castanha, caixa em aço inoxidável prateado e ponteiros cinza e laranja. O preço de venda ao público deste relógio masculino multifunções é de 159,00€.

Informações sobre o livro, clica aqui.

Informações sobre o relógio:
O Henniker é um modelo da família Timberland, perfeito para marcar o ritmo do trilho urbano. Existe hoje um trilho moderno que supera o conceito tradicional de fronteira entre campo e cidade. Tal como os estilos de vida está em permanente mudança e é imprevisível.

O passatempo decorre até ao dia 6 de Dezembro, na página deste blogue no Facebook.
Sabe como podes te habilitar a ganhar estes prémios, AQUI.
 

sábado, 26 de novembro de 2016

Acaba de ser reeditado «Gloria in Excelsis: As Mais Belas Histórias Portuguesas de Natal»

A reedição de Gloria in Excelsis: As Mais Belas Histórias Portuguesas de Natal, antologia organizada por Vasco Graça Moura, encontra-se desde ontem novamente disponível nas livrarias.

Este clássico da literatura de Natal, que se encontrava esgotado há já alguns anos, consiste em mais de quarenta histórias natalícias de grandes escritores portugueses dos séculos XIX e XX, nomeadamente Aquilino Ribeiro, Eça de Queirós, Ferreira de Castro, Fialho de Almeida, Gaspar Simões, José Eduardo Agualusa, Jorge de Sena, José Régio, José Saramago, Maria Ondina Braga, Miguel Torga, Ramalho Ortigão, Raul Brandão, Sophia de Mello Breyner e Vitorino Nemésio, entre muitos outros.

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

«O Livro da Ciência», um dos recentes lançamentos da Marcador

Chegaram às livrarias esta semana duas mãos cheias de novidades editoriais por parte da Editora Marcador.

Além dos livros dos youtubers SirKazzio e Tiagovski, nos escaparates podem encontrar os seguintes títulos: Doutor G, O Tricot da Luísa, O Livro de Petiscos da Isabel, Coentros & Massala, o ensaio Podemos Salvar a Europa?, um novo volume da colecção 'Grandes Ideias' O Livro da Ciência (O Livro da Psicologia e O Livro da Filosofia já encontram-se publicados) e o romance A Mulher é uma Ilha, da mesma autora de Rosa Cândida.
Para o público juvenil a Marcador aposta nos livros A Miúda Gótica e Coroa da Meia-noite.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

«Noite Estrelada», de Jimmy Liao

Editora: Kalandraka
Data de publicação: Outubro de 2016
N.º de páginas: 128

Autor de mais de 40 livros, Jimmy Liao é um dos ilustradores mais reconhecidos a nível mundial quando falamos de Literatura Infantil. Foi uma doença grave, diagnosticada em 1995, que fez-lhe repensar a vida e a sua visão do mundo por completo. Deixou o emprego e de forma autodidacta começou a criar histórias. Já tinha 40 anos quando o seu primeiro livro, Segredos na floresta, foi dado à estampa, e desde aí o seu percurso tem sido marcado pela grande receptividade por parte da crítica e com expectativa por parte do rol enorme de leitores — não só crianças — que aguardam a publicação de um novo livro seu. Este autor chinês afirma que os seus livros são para leitores de todas as idades, porque quando está a trabalhar numa obra, ele não tem um público-alvo idealizado. Em Portugal, um novo (o quarto) trabalho deste reputado autor de 58 anos, acaba de ser publicado pela Kalandraka, que o traduziu fielmente a partir de 星空, o seu título original, datado de 2009.
Noite Estrelada é um livro dedicado a todas «as crianças que não se sentem em sintonia com o mundo», e conta a seguinte história: Uma jovem menina está angustiada com os problemas que deambulam no seio da sua família. A mãe está sempre ocupada com o trabalho e não a compreende; o pai está constantemente ao telemóvel e não conversa com ela; entre os pais o ambiente também é tenso.
Estas são algumas das razões porque esta menina «forte por fora, mas na verdade (...) muito frágil por dentro» muitas vezes se retrai para um mundo de fantasia para evitar a dura realidade. Nesse seu mundo, os pequenos elefantes de brincar e os gatinhos têm tamanhos gigantescos.
O que a consola nos momentos tristes é a recordação da convivência que até aos 6 anos teve com os avós, na montanha. Mas agora o avô está doente e a querida avó «está no céu». Mesmo tendo alguns amigos, ela sente «uma solidão indefinível». No seu quarto, esta menina de cabelos compridos tem pendurado na parede uma reprodução de um quadro de Van Gogh, que revela uma noite estrelada e uma montanha em pano de fundo. Numa certa noite fria, talvez, quem sabe, o som da cantiga que a faz acordar do seu sono, possa ter vindo dessa mesma tela enigmática. Imaginação à parte, quando ela espreita pela janela do quarto, ela repara num rapaz «misterioso» e «estranho», que nunca tinha visto na vizinhança nem na escola. Nos dias seguintes nascerá uma amizade entre ambos, que fortalecerá a confiança desta pequena protagonista para enfrentar o mundo. O enlace desta amizade, de forma tácita, marca na história o início de uma segunda parte repleta de aventura, que pode ser interpretada como o regresso da pequena rapariga à primeira infância, o retrocesso ao ventre materno (o primeiro lugar que lhe protegeu do mundo externo) e, de certo modo, o grito pela liberdade.
As amizades nem sempre são para sempre, mas os frutos que elas dão, sim, poderemos guardá-los indelevelmente em nossa memória e coração. Esta é uma das lições que podemos tirar desta história que guarda um epílogo tocante: «(...) vou recordar para sempre aquele verão com as mais brilhantes e solitárias noites estreladas.»
Noite Estrelada revela-se um tratado terno sobre a amizade, sobre o final da infância e início da adolescência, e sobre a perda da inocência e o amadurecimento. É uma obra que evoca, entre outros temas, os laços afectivos entre avós-netos, a perda de entes queridos e a problemática do bullying.
A nível imagético, neste livro Jimmy Liao usou uma paleta de cores marcantes e arrojadas, sendo os tons azuis os mais predominantes nas cerca de 80 ilustrações (algumas preenchem duas páginas 19x26 cm). A nível gráfico, todo o conteúdo apresentado em Noite Estrelada, álbum recomendado para leitores a partir dos 9 anos, é irrepreensível.
Salientar que em 2011 foi lançado nos cinemas chineses um filme baseado neste álbum ilustrado (mais informações aqui).
 A editora disponibiliza as primeiras páginas deste livro, aqui.

sábado, 19 de novembro de 2016

«O Senhor Cavalo-Marinho», de Eric Carle

Editora: Kalandraka
Data de publicação: Novembro de 2016
N.º de páginas: 34

O habitat marinho é um dos mais ricos a nível de biodiversidade. Nesse mundo inimaginável habitam várias criaturas extraordinárias como o Sr. e a Sra. Cavalo-Marinho, que vão ser pais muito em breve. Nesta espécie de peixes, é o macho que fica responsável pela incubação dos ovos, guardando-os numa bolsa que possui na barriga (parecida à que os animais marsupiais têm). O Sr. Cavalo-Marinho, enquanto transporta as suas crias pelas profundezas do oceano, anfiteatros belos repletos de recifes e algas, ele encontra outros futuros papás como ele, como o peixe-leão, o peixe-folha ou o peixe-gato. Se ele protege os seus ovos dando-os guarida na barriga, outras espécies o fazem guardando-os na boca ou na testa, até eclodirem e seguirem o seu caminho sozinhos.
Nesta excursão guiada às profundezas do mar, Eric Carle explora, através de uma história simples e cuidadosamente contada, o mundo subaquático e a multiplicidade de seres vivos que o habitam.
Além de conter texto informativo, O Senhor Cavalo-Marinho inclui sintaxes e imagens repetitivas. Esta estrutura textual e ilustrativa previsível faz com que o pequeno leitor capte de forma simples o essencial da história e consiga diferenciar os vários tamanhos de cavalos-marinhos e das restantes espécies retratadas neste álbum agora relançado pela Kalandraka em edição cartonada (outro álbum do autor, Sonho de Neve, encontra-se disponível deste Outubro nas livrarias também numa nova edição cartonada).
Sobre a parte visual deste livro (Mister Seahorse, 2004; publicado pela primeira vez em Portugal em 2011), que é distinta e imediatamente reconhecível como da autoria de Eric Carle, há que salientar um detalhe merecedor de destaque, que vai captar o interesse das crianças ao manuseá-lo: várias folhas de acetato com estampas com motivos marinhos, encontram-se intercaladas com as páginas cartonadas da direita. Desta forma interativa, táctil e visual, que é apanágio do autor, é possível os pequenos leitores criarem brincadeiras diversas e ao mesmo tempo ficam a conhecer um dos meios mais importantes para a sobrevivência dos animais na natureza: a camuflagem/mimetismo.
Este álbum, pequeno em formato (13x18 cm), é também grande porque mostra que o papel do pai é tão importante como o da mãe quando se trata de criar filhos.
A figura paterna é um dos temas recorrentes nas obras que Eric Carle escreve e ilustra, porque ele foi uma criança que teve sempre o pai presente: «Eu acho que em meus livros eu honro o meu pai escrevendo sobre pequenos seres vivos, e de certa forma eu recapturo esses tempos felizes.» «Meu pai era um amante da natureza e ele costumava me levar em passeios no bosque quando eu era apenas um rapazinho (...) Ele levantou uma pedra e me mostrou as pequenas criaturas que viviam lá por baixo.»