sexta-feira, 24 de junho de 2022

«Uma Luz na Noite Escura», de João Carlos Melo

Editora: Bertrand
Data de publicação: 10/03/2022
N.º de páginas: 192


Comummente, a necessidade de estar só, não é compreendida como algo imprescindível. Para a grande maioria das pessoas, dispensar tempo para estar sozinha e mergulhar na fundura dos seus pensamentos e sentimentos é como entrar numa viela sombria – não querem fazê-lo sozinhas.
No seu mais recente livro, ao longo de 14 capítulos, o psiquiatra e psicoterapeuta João Carlos Melo debruça-se sobre o tema da solidão: uma emoção, um estado de espírito. Nesta obra, a visão que o autor apresenta sobre a solidão «não é derrotista, nem dramática, nem vitimizada», mas também não constrói uma ideia idílica da mesma.
O que é a solidão? Para o autor, é «um estado mental dominado pelo sentimento doloroso de não pertencermos ao mundo que nos rodeia… É sermos indiferentes para os outros, sermos ignorados por eles, como se fôssemos invisíveis…» Salienta que estar sozinho não é o mesmo que sentir solidão, porque existem pessoas que, mesmo passando muito tempo sozinhas, não padecem de solidão: «…não são invadidas pela solidão (...) porque se ligam a alguém ou a alguma coisa».
Neste trabalho que, nota-se, teve muita pesquisa, o autor dos livros Nascemos Frágeis e Recebemos Ordens para Sermos Fortes (2019) e Reféns das Próprias Emoções (2021), mostra-nos como a pandemia de Covid-19 potenciou o problema da solidão e dá-nos a conhecer, nos primeiros capítulos, as histórias de três homens que, para atingirem um feito, “desafiaram” passar muito tempo consigo próprios, sendo eles as suas únicas companhias. São eles: o primeiro português que conseguiu dar a volta ao mundo num barco; o menos conhecido dos três astronautas que em 1969 chegaram à Lua; e o primeiro português a chegar ao lugar mais alto do mundo.
Recorrendo a testemunhos de pacientes seus e a entrevistas antigas e recentes, João Carlos Melo conta histórias de pessoas que fogem da solidão e pessoas que a enfrentam, mostra-nos as relações entre solidão e suicídio, entre solidão, sofrimento e rejeição, entre silêncio e solidão, entre outras ligações.
Os autores Susain Cain e Erlinge Kagge e os seus livros Silêncio - O Poder dos Introvertidos num Mundo Que Não Pára de Falar e O Silêncio na Era do Ruído, respectivamente, são analisados pelo autor, para explicar ao leitor que a solidão, uma «dor social», sendo uma matéria de grande complexidade, pode ser examinada a partir de várias perspectivas.
Precisamos dos outros, logo desde a nascença. A ligação às pessoas é fundamental para a nossa saúde física e mental. Estas duas afirmações, de uma forma geral, constituem o leitmotiv de Uma Luz na Noite Escura, um livro perspicaz e estimulante, que nos instiga e estimula à reflexão.

Excertos

«Há pessoas que não conseguem estar sós… não conseguem estar consigo próprias. Fogem de si mesmas e precisam sempre de alguém que as distraia para não se confrontarem com o que se costuma ser designado por demónios.» (p. 12)

«Precisamos dos outros para existirmos e sermos como somos. Todos precisamos uns dos outros. Isso é intrínseco à nossa natureza humana.» (p. 86)

«Quando procuramos – ou acolhemos – o silêncio, estamos a ir ao encontro de nós próprios, isto é, ao encontro da parte mais profunda do nosso ser, onde habitam medos e angústias, e onde se esconde o desconhecido.» (p. 112)

Sem comentários: