segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Sugestão de leitura: «O Poder Pessoal», de Carl Rogers


de Carl Rogers
 
Páginas: 312
Editora: Padrões Culturais
ISBN: 9789898160980
Sinopse
O Poder Pessoal foi o último livro publicado por Carl Rogers, conforme referenciado por sua filha, Natalie Rogers, vindo a lume 10 anos antes da sua morte, e é o resultado de um afastamento da prática clínica entre 1972 e 1977, período durante o qual, em jeito de síntese e de balanço, reflecte com maior profundidade sobre o desenvolvimento do ser humano inserido nas suas variadas vertentes sociais. A essência deste "Poder Pessoal" baseia-se numa influência positiva, com bases em acções subtis e inteligentes onde se procura que o indivíduo tome nas suas mãos a responsabilidade pelo crescimento individual e social.
Excerto
«Uma abordagem centrada na pessoa conduziria, em muitos aspectos da nossa vida, a uma maneira de ser desejável, construtiva e viável. Não tenho ilusões a respeito do grau de apoio que este ponto de vista possa obter neste país. A direcção do futuro da nossa nação está no fio da navalha; estamos a viver um tempo de escolhas cruciais – consciente e inconscientes – que determinarão o nosso futuro. Uma lição que aprendi, muitas vezes, com o meu jardim, é a de que os restos castanhos e putrefactos das plantas de um ano são estrume, onde se podem descobrir os rebentos dos anos seguintes. Por isso, acredito, também, que na nossa cultura decadente se notam os vagos contornos de um novo crescimento, de uma nova revolução, de uma cultura de tipo muito diferente. Vejo que essa revolução se aproxima, não sob a forma de um grande movimento organizado, nem de um exército armado, com estandartes, nem através de manifestos e declarações, mas pela emergência de um novo género de pessoa, que brota através das folhas e caules mortos, amarelecidos e podres das nossas instituições em estiolamento. Um novo tipo de pessoas, com valores muito diferentes dos da nossa cultura actual, está a emergir em números crescentes, e a viver e a ser de maneiras que rompem com o passado. Em todos os campos, há uma revolução silenciosa em marcha, que promete levar-nos para a frente, em direcção a um mundo mais humano e mais centrado na pessoa.»

O Autor
Carl Rogers (1902-1987) foi um dos mais influentes psicólogos americanos e revolucionou a psicoterapia com o seu conceito de «terapia centrada na pessoa», influenciando com o seu trabalho muitas gerações. De Rogers vem a nossa ênfase contemporânea na auto-estima e o seu poder de desencadear outras forças numa pessoa. É Rogers, muito mais que Benjamin Spock, que defende uma relação não directiva de pais
e professores com as crianças. A escola de psicanálise de referência é actualmente chamada de «psicologia do self», um nome que Rogers poderia ter cunhado. Rogers dirigiu um esforço intelectual substancial ao serviço da crença que os seres humanos necessitam de aceitação, e quando esta lhes é dada movem-se em direcção à auto-realização.
Outra obra do autor publicada em Portugal: Tornar-se Pessoa (Padrões Culturais).

 

Sem comentários: