domingo, 7 de outubro de 2018

Dois novos filmes baseados nos livros «Um Pequeno Favor» e «A Mulher»

Desde o mês de Junho que está disponível nas livrarias Um Pequeno Favor, um tríler arrepiante, na linha de Em Parte Incerta e A Rapariga no Comboio. Este romance de estreia da americana Darcey Bell tem o selo da Editora Bertrand. O filme baseado no romance, está em exibição nas salas de cinema portuguesas e conta com interpretações de actores como Anna Kendrick, Blake Lively e Henry Golding. Ver trailer aqui.

Texto sinóptico
Ela é a tua melhor amiga.
E conhece todos os teus segredos.
Por isso é tão perigosa.
A vida de uma mãe sozinha desmorona-se quando a sua melhor amiga desaparece.
Tudo começa com um pequeno favor, um gesto que as mães de bom grado fazem umas pelas outras. Quando Emily pede à melhor amiga que lhe apanhe o filho na escola, Stephanie nem hesita. Tal como elas, os seus filhos são melhores amigos.
Stephanie é viúva e trabalha a partir de casa, no seu blog. Vivia uma vida solitária até conhecer Emily, uma sofisticada executiva com um trabalho muito exigente em Manhattan.
Só que Emily não regressa. Não atende o telefone nem responde aos sms da amiga. Stephanie sabe que aconteceu algo de terrível e, alarmada, recorre aos leitores do seu blog para pedir ajuda. Contacta também o marido de Emily, o belo Sean, para lhe dar apoio emocional. É o mínimo que pode fazer.
Acabam por receber notícias terríveis.
Mas serão verdadeiras? Stephanie não tarda a dar-se conta de que nada é tão simples como parece, nem sequer um pequeno favor.

Dois livros da escritora americana Meg Wolitzer já foram adaptados para o cinema. A adaptação do livro A Mulher - publicado em Portugal em 2009 pela Editora Caleidoscópio, e depois pela Editora Teorema em 2016 - já está pronta e em breve o resultado poderá ser visto nas salas de cinema, com Glenn Close no principal papel. Ver trailer aqui.
Da autora, estão disponíveis em português os títulos A Persuasão Feminina (2018) e Os Interessantes (2014).

Texto sinóptico
A trinta e cinco mil pés de altitude, no conforto da cabina de 1ª classe do avião, Joan Castleman decide deixar o marido. Estão lado a lado, rumam a Helsínquia, onde ele, escritor de renome, irá receber o prémio literário de uma vida.
Na semiobscuridade, Joan mergulha numa intensa reflexão sobre a sua relação com Joe. O início tempestuoso, na universidade, onde ela era a aluna promissora e deslumbrada e ele o professor carismático e casado. E depois, o resto, a vida boémia em Greenwich Village, o nascimento dos filhos, e a decisão de subjugar o seu talento em prol da vida que acreditava querer.
Mas Joe revelou-se medíocre enquanto pai e marido, concentrando-se unicamente no seu dom. E Joan, entretanto, perdeu qualquer sentido de identidade, vivendo apenas como “a mulher do génio”.
Agora, perante o apogeu da carreira literária do marido, é-lhe impossível refrear a memória do momento em que, ainda estudante, leu o primeiro conto dele. Chegou o momento de se confrontar com as consequências das opções que tomou tão cedo na vida - e do segredo que ambos sempre guardaram tão bem.

Sem comentários: